A minha forma de melhorar o Inglês

worldO leitor Alex Nunes postou sua história com o aprendizado de inglês no fórum, eu publico aqui para que mais pessoas tenham acesso. Vale a pena conferir!

Talvez a história saia um pouco grande, mas acho válido escrever para aqueles que buscam uma forma de vencer o desânimo de aprender Inglês por conta própria.

Tire suas dúvidas sobre os tempos verbais, baixe um guia grátis da Englishtown: Guia de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola. Clique aqui e saiba como baixar!

Bom, tudo começou quando eu e meu irmão decidimos que seria mais divertido jogar jogos do tipo Resident Evil e Dino Crisis, se traduzíssemos todos aqueles textos que apareciam a todo momento. Quem gosta de videogame sabe do que eu estou falando. Esses papéis apareciam para complementar a história e até auxiliar o personagem no que ele devia fazer em seguida. Como eu e meu irmão jogávamos sempre com auxílio de revista, não ligávamos muito para esses “arquivos”. Mas chegou o dia em que decidimos traduzi-los para ver o que estavam falando e assim pegamos nosso pequeno dicionário inglês-português/ português-inglês da Michaelis, mais cadernos e caneta.

Confesso que não era fácil e tenho certeza que nossa tradução pecou pela qualidade várias vezes. Mas o importante era que descobríamos novas palavras e organizávamos as que já conhecíamos de um jeito novo, talvez antes impensado. Naquela época, não era tão simples quanto hoje, quando basta ligar o computador, buscar um dicionário online ou um fórum de dúvidas. Éramos nós, com o que havíamos aprendido de inglês até então, e o que o contexto do jogo sugeria. Nunca fizemos curso de línguas – não havia dinheiro para isso. Mas traduzimos bastante, de vários jogos. Chegamos até a dispensar o uso de revistas e tentar zerar na base do que a gente traduzia. Fomos quase até final do jogo.

Lembro até hoje de algo curioso que aconteceu numa aula de inglês, no meu primeiro ano do Ensino Médio. A professora fazia as perguntas do que as palavras significavam e eu respondia na maior facilidade. Um amigo meu, que estava num curso de inglês da época, virou pra mim espantado e perguntou como eu sabia de tudo aquilo. Falei que vivia traduzindo textos do videogame. “Você deve traduzir muitos mesmo”, ele continuou. “Só se aprende assim, não é?”, eu disse.

Essa onda de traduções decaiu bastante no meu Ensino Médio, mas eu me relacionava com o idioma de um jeito diferente. Sempre gostei de ler muito, inclusive livros de bolso com histórias de faroeste (influência do meu pai). Esses livros me despertaram a curiosidade para a história americana, ainda mais no que dizia respeito à expansão para o oeste. Como não havia computador em casa, matava minha curiosidade no colégio, acessando sites das cidades americanas citadas nos livros e lendo a respeito de sua cultura, história, população, paisagem. Não entendia lá muita coisa, mas era legal. Eu só fazia isso quando lembrava, é claro, e um ou outro problema foram me afastando do interesse por inglês.

Passei uns dois anos sem buscar aprender mais, até que surgiu uma oportunidade de ser bolsista lá na faculdade. Um dos requisitos era saber um pouco de inglês. Por que isso? Porque uma das atividades da bolsa é pegar da Internet textos em inglês que tenham a ver com o tema estudado pelo núcleo de pesquisa e traduzi-los! Para mostrar serviço, eu tinha que traduzir, traduzir e traduzir, auxiliado por um dicionário inglês-inglês que tem lá na sala onde fico. O dicionário parece uma Bíblia de tão gordo e pra saber o significado da palavra, você é obrigado também a traduzir a explicação. Ou seja, inglês pra todo lado!

Admito que no começo foi muito difícil. Havia coisas como “Present perfect“, “Phrasal verbs“, “Idioms“, que davam um nó na minha cabeça, eu ficava dias preocupado achando que não iria saber traduzir essas coisas. Mas com persistência e interesse, eu revirei a internet em busca de exemplos e explicações que pudessem me ajudar – numa dessas, acabei descobrindo o English Experts. Além disso, achei que já era hora de ver filmes com legendas em inglês para poder ver as palavras em vez de apenas ouvi-las.

Também passei a assistir muitos seriados legendados, mas muitos mesmo. Tudo isso abriu minha mente para o Inglês de um jeito absurdo. Tanto que hoje em dia, as explicações das professoras do Ensino Médio e do Ensino Fundamental parecem bobas, incrivelmente vazias e incompletas. O Inglês é uma língua bonita, interessante e até divertida se você souber persistir e não fechar a mente para conceitos pré-concebidos, não se deixar limitar pelo o que você sabe de português. Não estou dizendo que o Português é seu inimigo no aprendizado da outra língua. Ao contrário: o que eu sabia de português em alguns aspectos me ajudou a entender o inglês e vice-versa. Posso dizer que aprender Inglês me fez dar mais valor ao Português. Condeno veementemente as pessoas por aí que usam inglês sem necessidade num texto ou numa placa de anúncio só pra parecerem mais “chiques”, “modernas”. Cada idioma no seu lugar; é preciso fazer a separação porque o português é nossa identidade.

Tenho que admitir que não sou um expert em inglês, entendo melhor do que falo ou escrevo e sou preguiçoso para fazer exercícios de fixação. Mas acredito que o negócio é persistir e sempre se achar capaz. A maneira como aprendi pode não funcionar pras outras pessoas, mas se tem algo que dá certo pra todo mundo é se manter firme e confiante.

Valeu!

Alex, parabéns pela persistência. Pode ter certeza que todo esse esforço vai dar muito resultado em sua vida.

Abraços,

Aplicativo para Ampliar o Vocabulário

Você tem dificuldade para se lembrar das palavras, phrasal verbs e expressões em inglês? Conheça o "Meu Vocabulário: Um aplicativo para ampliar o seu vocabulário em inglês" e veja como nossa equipe resolveu esse problema definitivamente.

Receba mais dicas de inglês como esta por E-mail, Twitter, RSS feed ou Facebook.

34.jpg

Alessandro Brandão

Alessandro Brandão é coordenador do English Experts e do Fórum de idiomas. Trabalha também em projetos na área de Comércio Eletrônico e Ensino a Distância (EaD).

27 comentários

  • 23/05/09  
    André Reis diz: 1

    Parabéns pelo seu depoimento kara. Mostra sua persistência, perseverência e, acima de tudo a vontade/necessidade de aprendizagem, que com certeza (consciente ou não) acabou sendo um vetor para sua motivação.

    É bom ver que estou no caminho certo, hoje em dia, com internet, torrents, e-mule e similares, fica facil baixar qualquer coisa e depois botar uma legenda… assim a gente pratica a língua sem estar fora do país. E isso ajuda muito.

    Também tenho o costume de assistir meus seriados, filmes e desenhos com a legenda em Ingles, e boto uma em PT-BR bem pequena, no cantin da tela, só pra confirmar se o que eu lí interpretei de forma correta.

    Estou num curso há 4 meses e faço uso contínuo do dicionário online da Cambridge e Answers.com, isso têm me ajudado demais a evoluir , é impressionante.

    Eu só não sei se seria correto ficar traduzindo pra PT-BR… acho q éh mais importante ENTENDER o que você está lendo do que ficar com aquele negócio na cabeça “Why = PQ” etc… acho q isso as vezes pode te deixar limitado, pois quando você ver uma expressão ou algo do tipo pode lhe causar uma certa confusão. Bom, pelo menos eh isso que pregam no meu curso (que aliás tenho gostado mt).

    Mas eh isso ai kara, foi bom ler seu depoimento e com ele certificar-me de que eh possível sim aprender algo desde que você se empenhe.

    Mais uma vez, parabéns.

  • 23/05/09  
    Beatriz diz: 2

    Haha, isso me lembrou como eu aprendi inglês. Já estava lá com meus quatroze anos, por aí, depois de ter passado quase dois anos numa escola de linguas onde tudo o que eu aprendi foi que no dia 31 de Outubro o lugar virava um cemiterio de isopor, fora todas as aulas de inglês da escola que sempre foram obrigatórias. Eu tinha desistido de tudo isso, achando que inglês nunca entraria na minha cabeça, e foi quando meus pais resolveram gastar o dinheiro da escola de linguas em TV paga. Me apaixonei por séries legendadas. Eu assistia tanto que chegava a ser preocupante. Mas o mais estranho foi notar que depois de seis, sete meses só vendo TV, eu já não precisava olhar as legendas a todo momento. Muitas vezes eu me levantava, ía pra cozinha pegar alguma coisa, ouvindo o programa, e entendia praticamente tudo. Com a subida vertiginosa do You Tube, minha capacidade de entender inglês também foi além. Passei a assistir filmes inteiros sem legenda (e embora ainda perca uma partezinha ou outra, nunca deixei de entender o filme).
    Agora eu gosto de inglês. Chega a me pegar pensando em inglês as vezes. Acho que no final o importante e dar um jeito de amar o que se esta aprendendo. Caso contrario, é como tentar comer uma comida sem sal.
    Ótimo blog pessoal, good work!

  • 23/05/09  
    Júlio diz: 3

    Muito boa a história do Alex. Assim como no caso dele, um dos grandes icentivos para me aventurar na língua inglesa foi o meu interesse por games. Me senti quase lendo um pouco sobre a minha própria vida.
    Parabéns pela perseverança e pelo ótimo texto, Alex. Com certeza vai animar ainda mais o pessoal que frequenta o blog a evoluir no seu inglês.

  • 24/05/09  
    Diego diz: 4

    Eu começei a estudar há 1 ano… eu sabia poucas palavras como cores e alguns animais…
    Começei dia 27 de abril do ano passado (data da pasta)

    Primeiro traduzindo minhas músicas favoritas com total auxilio do programa Babylon7… depois achei um artigo sobre aprender as 250 palavras mais usadas… Essa foi a chave do meu aprendizado… Se você sabe as mais comuns, consegue entender melhor os textos, do que saber palavras complexas, mas que não aparecem sempre……

    E nas 2 primeiras semanas de estudos achei o English Experts… Aqui éa minha casa quando o assunto é estudar inglês…

    valew

  • 24/05/09  
    Adir Ferreira diz: 5

    Alex! Que maratona!

    Mas é assim mesmo, 1% de inspiração e 99% de transpiração.

    Minha história é semelhante à sua na questão do esforço e você vai ver que compensa.

    Hoje trabalho com idiomas no interior de SP, trabalho com clientes do Brasil inteiro e tenho uma parceria com uma empresa dos EUA.

    Tudo isso com muito esforço pois a cada escolha, uma renúncia.

    Parabéns pelo esforço e dedicação.

    Prof. Adir Ferreira

  • 24/05/09  
    Norberto diz: 6

    “Condeno veementemente as pessoas por aí que usam inglês sem necessidade num texto ou numa placa de anúncio “. Cara, como é bom ver alguém compartilhando uma mesma idéia que a gente! Eu credito isso à baixa auto-estima dessas pessoas. E, parabéns por todo seu depoimento, pode ter certeza que servirá de incentivo a muitas pessoas.

    Abraço!

  • 24/05/09  
    Rosa diz: 7

    Parabéns Alex! Assim é que se faz. Com certeza sua história encorajará a muitos estudantes que acessam o Englishexperts.
    Eu adoro estudar Inglês e tenho perseverado até hoje e espero continuar assim.
    Fica com deus e continua firme.

    Abraço
    Rosa

  • 24/05/09  
    Juninho diz: 8

    Eu comecei EXATAMENTE da mesma forma a gostar de inglês… Traduzindo JOGOS.

    Parece bobo, mas hoje tenho uma facilidade incrível com textos em inglês…
    Depois passei para os Filmes e seriados, igualzinho ao Alex…

    Eu pensava que talvez eu tinha dito sorte nesse “campo de aprendizagem”, mas vejo que é uma ótima forma mesmo :D

    Mas o melhor é cada um procurar o que mais gosta e relacionar essas atividades ao inglês, irá ajudar bastante ;D

    Abraços!

  • 24/05/09  
    Solon L. G. Souza diz: 9

    Alex, bonita sua história, essa vibração que você passa é o elo importante no processo de aprendizado!!! Parabéns pelo êxito!!! torça porque vontade não falta, abraço, Solon.

  • 25/05/09  
    João Ghizoni diz: 10

    Alex, congratulations on your perseverance. This is a very important element when one is studying a language. Another point I consider very important is discipline. You really have to dedicate yourself to studying, learning if you want to really be able to read/write/speak/understand that language.

    After my three years of English classes in the public school (7th and 8th grades in elementary school and 1st year of high school) I noticed I loved this language. Then, three years later, when I was already working and making money I managed to buy a course and study BY CORRESPONDENCE. It was hard work. I did two of them. And the third one was with cassettes (wow!). Another name is ‘tapes’ (both last century’s gadgets). And I dedicated one whole year of hard studies to those fascicles and tapes. And I learned a lot.

    Congratulations again, Alex! And cngratulations, Alessandro, on this great blog!

  • 25/05/09  
    Emanuel Fagundes diz: 11

    Legal Alex, como eu disse lá no fórum, essa sua história aí nos mostra como é necessário persistir para conseguir o que se deseja. Valeu.

  • 26/05/09  
    Cassiano Gomes da Silva diz: 12

    Parabéns Alex!
    Muitas pessoas possuem essa força de vontade e, assim como você, também acharam um jeitinho próprio de aprender um pouco mais a Lígua Inglesa ou, pelo menos, facilitar o aprendizado da mesma.
    Uma coisa que você citou no seu texto e que é importantíssimo para quem quer aprender Inglês é o conhecimento da Língua nativa, no nosso caso, Português.
    Infelizmente, o nível cultural do brasileiro diminui a cada ano e as pessoas não sabem mais o que é tempo verbal, adjetivo, coletivo, advérbio, etc.
    Pessoas assim são as que sempre possuem dificuldade em aprender o Inglês. Como alguém poderá aprender Simple Past, se não sabe conjugar um verbo no passado, nem na própria língua?
    O que mais tenho visto nos sites de relacionamento hoje em dia, é gente que escreve: “eu curto fazê”, “eu gosto de curti”, etc. É deprimente, mas é a realidade!
    Pelo que tenho visto, pessoas acima dos 25 anos, que eram mais cobrados na infância com relação aos estudos, apresentam maior facilidade em aprender outras línguas do que a molecada de hoje, que é criada pelas babás e faz a própria “língua”.
    Mais uma vez, parabéns!

  • 26/05/09  
    Giovani Carvalho diz: 13

    Muito boa a historia . Eu tambem aprendi meio parecido so que eu jogo rpg rsrsrs. E o que me fez interessar mais pelo ingles foi a musica, sempre tentando traduzir as letras de bandas que eu gosto.

  • 29/05/09  
    Pedro diz: 14

    Eu não entendo essa insistência das pessoas em traduzir. Gente, não é traduzindo que se aprende um idioma! Você pode até aprender algo traduzindo, como demonstra, mas se preocupando mais em simplesmente sentir a língua, aposto que aprenderia muito mais!

  • 01/06/09  
    Sergio diz: 15

    Metade de tudo que aprendi na minha vida sobre inglês veio de videogames e de “comics”.
    No meu caso era até pior já que amava RPG que tem muito mais textos que RE. Na verdade, o rapaz deve ser mais novo que eu. Joguei RPGs na epoca do Master System e Mega Drive. Não chego a dizer que sou completamente fluente. Mas é o inverso, falo melhor que entendo, meu vocabulário é enorme, mas as vezes sinto dificuldade na conversação. Esse ingles me levou a ficar dois meses nos Estados Unidos e razoavelmente sem problemas. Se seu filho gosta de games. Incentive, isso vai melhorar demais o ingles dele. Só diga para ele nao colocar em portugues, ok?

  • 05/06/09  
    Jonã Machado diz: 16

    Creio que todo mundo que leu se identificou em algum momento. Comigo foi um pouco parecido e ainda me deparo com isso as vezes.

  • 18/06/09  
    Mylena diz: 17

    ALex muito bom seu empenho! Eu também joguei muito esses jogos que você citou e boa parte da fixação do meu inglês se deu por eles, pois há um bom vocabulário nesses jogos… por exemplo, partes das casa, objetos, expresões…

    Se vc aprendeu é o que vale… traduzindo ou não, este é seu método!!!

  • 18/06/09  
    Francy e Carlos diz: 18

    Interessante a tua história…. tenho uma vontade muito grande de aprender o inglês, pois vejo muitos filmes falados em inglês e legendados em holandês, mas gosto mais do inglês, pois apesar da beleza do idioma holandês, este é como pijama, só se usa dentro de casa.
    Gostamos muito de ter o teu blog.
    bs, abs,

  • 02/07/09  
    gabriela diz: 19

    A MINHA É BEM DIFERENTE QUE A SUA! (RISOS)

    TUDO COMEÇOU SEXTA (26 DE JUNHO)
    UM DIA DEPOIS DA MORTE DE MICHAEL JACKSON, EU QUERIA HOMENAGEAR A MORTE DELE, APRENDENDO INGLÊS.
    FAZ 6 DIAS QUE COMECEI A FAZER O CURSO.

    TENHO 13 ANOS, FIQUEI MUITO COMOVIDA COM A MORTE DE MEU ÍDOLO. QUE ENTÃO, ESTOU HOMENAGEANDO A MORTE DE MICHAEL JACKSON, VOU TRADUZIR, CANTAR TODAS A MÚSICAS DELE E DE OUTROS CANTORES INTERNACIONAIS…COMO: A RAINHA DO POP (MADONNA), JUSTIN TIMBERLAKE, KARRY KATE, BEYONCE, RIHANNA ENTRE OUTROS…

    MAS, PRINCIPALMENTE EU DEDICO MEUS ESTUDOS PARA MICHAEL JACKSON. FOI COM ELE QUE TIVE VONTADE DE APRENDER INGLES.

    SOU SUA FÃ

    MICHAEL JACKSON ( REI DO POP), ETERNO ***LUTO*. TE AMO!

    I LOVE YOU!!!

    • 02/07/09  
      Alessandro diz:

      Gabriela,

      Muita gente estuda inglês através de músicas, como você quer fazer agora. Conheço muita gente que começou a estudar para entender as músicas de U2, Roxette, Beatles e etc. Lamento a morte de seu ídolo. Segue abaixo um link para ajudar neste começo:

      http://www.englishexperts.com.br/category/ingles-em-musicas/

      Sucesso nos estudos!

      Abraço,

  • 03/07/09  
    juraci diz: 20

    Estou como voce tentando melhorar a cada dia!
    Estou procurando um site que me ajude na pronuncia,pois entendo bem mas falar e que e dificil pra mim.Boa sorte!

  • 05/07/09  
    Mirian diz: 21

    Mto legal e incentivador a maneira como vc aprendeu inglês Alessandro!!
    Eu comecei a aprender inglês por meio das músicas, pegando a letra, tentando acompanhar e traduzindo e parece que está funcionando!!Quando escuto algumas músicas até consigo saber algumas frases comuns que os cantores usam!!!Ah e não posso deixar de agradecer a ENGLISH EXPERTS que com todos os exemplos e comentários expostos, mostra que é possível sim aprender inglês sozinho, basta mto esforço e estudo constante!!!Mto obrigado mesmo Alessandro e deixo a todos o incentivo de continuarem aprendendo!!!

    • 05/07/09  
      Alessandro diz:

      Mirian,

      Obrigado pelo comentário. A perseverança é realmente algo que nos leva longe, não apenas nos estudos mas em todas as áreas de nossa vida. Sucesso nos estudos!

      Abraço,

  • 24/07/09  
    Hiago diz: 22

    Eu faço mais ou menos assim, as palavras que não sei procuro traduzi-las para que eu possa usar depois em alguma frase minha. Estudar esses artigos que são postados no site do English Experts é muito bom pois ajuda no seu dia-a-dia. Minhas aulas de inglês na esocla parecem ser simples como citado nesse depoimento, as aulas parecem estar sempre faltando algo quando se sabe o assunto. Por isso eu sempre ando estudando ingles em qualquer lugar, pois não agora, mais no futuro eu usarei tudo que aprendi enquanto jovem.

  • 22/09/09  
    marthinha diz: 23

    bom assim gente eu quero saber como faço pra aprender o ingles no passado bom por em quanto eu ainda nao achei o que estou procurando!

    help -> me ajudem

    ***->beijinhos<-***

  • 27/09/09  
    Dion diz: 24

    Que estoria legal. Parabéns! Eu estou estudando sozinha, e cada dia me apaixono mais pelo idioma. E o que tá me ajudando e me motivando muito é o English Experts. Valeu pelas dicas…

  • 09/01/10  
    Teilor B. dos Santos diz: 25

    Quando jogava esses games eu ficava empacado em certas fases também e o jeito era recorrer o dicionário para passá-las.