Aprender inglês com ou sem Sotaque?

Perguntas e respostasJoão Henrique comenta: “É a variedade de sotaques que enriquece o nosso vocabulário e também a fluência. Convivo no trabalho com um escocês por 28 dias e depois com um sul-africano por mais 28 dias. O resultado tem sido a melhora no meu entendimento da palavra ouvida e também no meu falar. Quanto ao sotaque, no início eu ficava preocupado em “imitar” o sotaque deles, e isso me deixava perdido quando havia a troca de escala deles, pois o outro às vezes corrigia a entonação e o meu sotaque. Atualmente não me preocupo em adequar o meu sotaque ao sotaque deles, falo com a entonação e sotaque mais adequados ao meu jeito de falar. E eles continuam me entendendo.”

João, você tocou num tema bastante interessante, muitas pessoas pensam que para falar bem um segundo idioma é necessário falar sem sotaque (accent). Acredito que isso é um engano, é possível falar muito bem o inglês mesmo com um sotaque carregado. Sempre assisto entrevistas de Alemães e eles falam com um sotaque fortíssimo, porém de forma correta.

Aprenda inglês com as técnicas de quem já passou pelo processo. Experimente Grátis por 30 dias o Curso de Inglês do English Experts 3.0.

Luciano Burti – comentarista de Fórmula 1 – resumiu muito bem a questão do sotaque em uma entrevista para o EE, ele disse “não se preocupe em errar no começo ou de ter sotaque de brasileiro porque, aliás, você é brasileiro!”. Concordo com ele, o sotaque apenas mostra a sua origem, ninguém vai zombar de você por conta do sotaque. O importante é a comunicação.

Leia a entrevista com Luciano Burti na íntegra.

Em outro ponto da entrevista Burti ainda diz “faço uma recomendação, não se preocupe com o sotaque, ele virá naturalmente. Conheci algumas pessoas que se preocupavam mais com o sotaque do que com a língua em si e por isso demoravam a falar com fluência”. Essa recomendação, vinda de um sujeito que consegue entender a comunicação entre pilotos e equipes, deve ser levada a sério.

Só para descontrair um pouco, confira aqui como aprender inglês sem sotaque pode ser complicado. É hilário!

Agora é a sua vez querido leitor. Gostaria de saber a sua opinião a respeito do tema: Você se importa com o sotaque?

See you!

Aprenda mais

Gostou desse artigo? Conheça o Curso de inglês English Experts e descubra como você pode turbinar o seu inglês.

Receba mais dicas de inglês como esta por E-mail, Twitter, RSS feed ou Facebook.

34.jpg

Alessandro Brandão

Alessandro Brandão é coordenador caseiro do English Experts e do Fórum de idiomas. Trabalha também em projetos na área de Comércio Eletrônico e Ensino a Distância (EaD).

43 comentários

  • 18/11/09  
    Henry Cunha diz: 1

    Mas, se existe tal coisa, quais seriam as características do “sotaque brasileiro em inglês”?
    Regards

  • 18/11/09  
    Thaly diz: 2

    Na minha opinião sotaque é algo que você deve conhecer. É como no Brasil, a diferença de uma região para a outra é inacreditável!
    E é isso que, na minha opinião, enriquece qualquer idioma. Então quanto mais sotaques diferentes você tiver a oportunidade de ouvir, seja do idioma inglês ou de qualquer outro que você queira aprender, você melhora principalmente a sua compreensão oral.
    Aprender um novo idioma é também conhecer um pouco da cultura que esse idioma carrega, e acredite, é essa a parte mais divertida…

    Obriga pelo ótimo artigo!
    See you!

  • 18/11/09  
    Diego diz: 3

    Me importava até lê esse artigo
    a parti de agora, vou tentar mudar esse fato.

    mt bom o artigo, bom mesmo!

    see you!

  • 18/11/09  
    Enzo Lucas diz: 4

    Bom, eu adoraria não ter sotaque estrangeiro (brasileiro). Não por achar ridículo ter um. Mas porque acho muito legal o sotaque nativo, a entonação nativa, enfim… Alguma coisa me fascina no native accent. Por isso, quero chegar a ter pelo menos um “slight accent” :) Já que é tão “hard” depois que passa a infância atingir um ”native accent”.

  • 18/11/09  
    Jose Teles diz: 5

    Hi, everybody!
    I don’t bother for having a poor accent. What worth wile is to understant and to make myself understood.
    Isn’t it?
    Until next class

  • 19/11/09  
    Paulo Brito diz: 6

    Já que entramos no meio automobilístico, vale lembrar do grande Airton Senna que não possuia (nem fazia questão de ter) absolutamente nenhum sotaque. Procurem vídeos de suas entrevistas no youtube.

  • 19/11/09  
    roziane diz: 7

    aprender
    inglês
    é muito massa

    sempre vou entrar nesse blog
    bjs adorei

  • 19/11/09  
    Marcelo Borborema diz: 8

    Bacana o post !!!

    See you !!

  • 19/11/09  
    Virginia McCartney diz: 9

    O sotaque é importante sim !
    Pelo menos é isso o que acho .

  • 19/11/09  
    Denis Fabricio Gomes diz: 10

    Vi uma vez que ‘Açaí’ era escrito em ingles como algo do tipo ‘ah-sigh-eeh’. Um amigo canadense insiste após anos no Brasil em falar ‘agorda’ ao invés de ‘agora’, ao passo que outro amigo, americano este, possue um sotaque e uma intonação em Portugues, brinco, melhor que as minhas.

    Creio que o sotaque, independente da nacionalidade da pessoa ou do idioma usado, é uma caracteristica biologica. Só existe perfeição em seu idioma nativo. O resto é treino, desenvolvimento de certas habilidades auditivas e fonológicas, expressão ao falar e muito charme no caso do nosso “sotaque latino”.

    Abraço a todos!

    Denis Fabricio

  • 19/11/09  
    Milton Raimundo dos santos diz: 11

    I think to preocupate with the accent, English is a language with several accents in worldwise in nowadays.

  • 19/11/09  
    Vanessa diz: 12

    Ter entonação nativa da língua inglesa deixa o ingles mais natural e agradavel de se escutar. Mas como ter um ingles impecável se não conseguimos ainda construir frases corretamente? Acredito que o aprendizado do ingles acontece em fases. A partir do momento que se domina a língua, fica mais fácil treinar a entonação, e se livrar do sotaque estrangeiro (seja portugues, espanhol, frances…) carregado. E concordo que no final das contas o importante e se comunicar claramente.

  • 19/11/09  
    Eliseu Oliveira diz: 13

    Moro na Nova Zelandia e sou aprendiz de ingles.
    Não sei se podemos chamar isso de sotaque mas custei a deixar de lado o tal sotaque neozelandez que na realidade consiste em falar as palavras pela metade.

    Impossivel aprender qualquer coisa por aqui se nao se familizarizar com o som que eles emitem pois as palavras são cortadas e raramente correspondem aquela pronuincia classica onde voce consegue perceber a estrutura da palavra.

  • 19/11/09  
    leo diz: 14

    hello!!!I believe that we must seek the best accent but it is not something that we should worry too much…

    bye

  • 19/11/09  
    Flavio Ricci diz: 15

    Um sotaque é toda uma composição das cordas vocais + língua + abertura da boca e a força que vai utilizar para sobrar o ar. Sem contar se parte desse ar irá para o nariz. Adquirimos isso observando as pessoas a nossa volta.
    Quando minha filha era menor, várias vezes peguei ela olhando para minha boca enquanto eu falava uma palavra nova. Cada vez que a repetia, ela quase que falava junto comigo bem baixinho.
    O que ela estava fazendo, era observando para aprender desde o posicionamento da boca e lingua até a entonação.
    É frequente vermos pessoas do interior ou de Minas Gerais chegar em São Paulo e ser gozado pelo classico “Póóóórrrrrrta” ou… “Pôôôrrrque Póóóórrrrrrta abééééérrrrrta?” (sem ofenças), o mesmo acontece quando o paulista chega no Rio e manda aquele “Pórta”… neste caso, a letra “r” é produto da vibração da língua no céu da boca. Já os cariocas, levam o som do ‘r’ como se fossem dois “rr”: “Porrta”.
    Cada um gosta mais da sua maneira de falar, pois é a que esta acostumado. Quando falamos ingles é a mesma coisa, Quem nunca escutou um americano tentando falar rário e mandar um ródio (ou coisa parecida)… isso vem do fato da letra “r” deles não ter o mesmo som do nosso. por falar nisso, a letra “h” deles é que tem o mesmo som de “r” nosso. (red ‘vermelho’, pronunciado com o som de “r”, vira outra palavra = “head”).
    Concluindo, assim como a brincadeira da “porta” entre os estados, se for falar ingles, levem em conta o público que esta se relacionando. Pode ser que falar com sotaque brasileiro seja entendido por uns como uma falta de cultura e conhecimento sua, e para outros motivo de brincadeira. No final das contas, depois de 5 minutos conversando com uma pessoa, já adaptamos nosso vocabulário aos sons emitidos por elas, nos tornando capazes de entender o querem transmitir e nos fazendo transmitir.
    O importante é falar, sempre e com todos!!!

  • 19/11/09  
    Angela diz: 16

    Muito bom esse Post. Acho que o mais importante, pelo menos no início do aprendizado de outro idioma, é conseguir fluência, conhecimento da língua. Com o tempo, qdo estiver mais familiarizado, aí sim, pode-se tentar aprofundar a questão. Vi, outro dia, uma entrevista com um americano que está morando no Brasil há mais ou menos 01 ano. Ele falava tão carregado, com um sotaque deles muito forte e algumas palavras eles não conseguia pronunciar mto bem, tipo: óbvio, que ele dizia “óvio”. Porém, eu entendi tudinho o que ele falou em Português! Portanto, acho que o mais importante, é se fazer compreender, com ou sem sotaque! Isso pode ficar para mais tarde!
    See you

  • 19/11/09  
    jhcerqueira diz: 17

    Isso mesmo que tenho procurado, “falar sempre e com todos” !
    Não vejo o sotaque como impecílio para a fluência, conheço também uns indianos que tem um sotaque fortíssimo, peculiar deles, pois é a mesma coisa quando vejo indianos falando inglês nos filmes.
    Acredito que se morássemos em outro país seria mais fácil polir bastante o inglês e fazer parecê-lo com o de lá, mas é como o Flávio Ricci falou sobre o sotaque dos brasileiros no próprio Brasil.
    Sucesso para todos !

    Cheers

  • 19/11/09  
    Alessandro diz: 18

    Olá pessoal,

    Obrigado pelos comentários, todos foram muito felizes ao explicar o seu ponto de vista. O objetivo era mesmo levantar a discussão, porque muita gente fica travada com medo de falar e o sotaque é um dos fatores que deixam as pessoas com receito de comunicar em inglês.

    Abraços e obrigado mais uma vez pela participação!

  • 20/11/09  
    Heloisa Reis diz: 19

    Olá pessoal.

    Estou estudando inglês, com a ajuda de professores e por conta (só o curso não me tornará fluente) e sempre procuro ouvir sotaques diferentes. Eu particulamente prefiro o britânico pois acho mais fácil entender.

    Eu acho que me preocupo sim com o sotaque mas depois deste artigo, vou me preocupar menos.

    Obrigada

  • 20/11/09  
    Sandra Maria Guntzel Pinto diz: 20

    Acho lindo os sotaques quando originais e não acho necessário aprende-lo e sim falar corretamente.

  • 20/11/09  
    guilherme diz: 21

    Morei 1 ano e 4 meses em Dublin, Irlanda. O sotaque deles é único e no início engraçado. Obviamente após todo esse tempo por lá acabei falando como eles, uma vez que trabalhava viajando por todo o país e descobrindo uma variação enorme de accents dentro daquele pequeno país. Tentava no início, quando ainda sabia apenas algumas palavras, imita-los. Depois percebi que sotaque não se imita, isso vem normalmente. Assim como uma criança de Minas cresce falando bucadinho e outra de Mato Grosso do Sul exagera no R ao falar Porta, por exemplo.

  • 20/11/09  
    Robson diz: 22

    Antigamente eu ligava bastante para falar como eles pois queria que ficasse bem embolado, hoje ja faz algum tempo que tento aprender ingles ja acho até legal o lance do sotaque.

  • 21/11/09  
    Lila diz: 23

    Acho lindo os sotaques, mas não acho necessário aprende-lo e sim falar corretamente.
    Lila.

  • 21/11/09  
    Christiane diz: 24

    Bom, eu falo inglês muito bem e segundo os estadunidenses, quase não tenho sotaque. Quando falo com australianos, irlandeses, ingleses e outros nativos do idioma que não estadunidenses, eles sempre dizem que eu tenho um sotaque americano. E fazem até piadas às vezes, pois detestam o sotaque americano.
    Não busquei isso e na verdade, só descobri o fato falando por aí. Acho que foi porque comecei muito cedo, aos nove anos. Mas o importante é entender e se fazer entender! Sotaque é identidade! Mostra de onde você é! :D

  • 21/11/09  
    Stan diz: 25

    isso me fez lembrar um artigo que lí na Internet, que dizia o seguinte:
    …..”INSPIRADO POR UMA ENTREVISTA DE SYLVESTER STALLONE NA TV, COBAIN (NIRVANA-JÁ FALECIDO) COMENTA IRRITADO O SOTAQUE “FRED FLINSTONE” DO ATOR E DESCREVE AS PESSOAS DO ESTADO DO ALASCA COMO “CAIPIRAS QUE NUNCA VÊEM A LUZ DO SOL…”.

    realmente, é complicado entender S.S. durante os filmes, apesar de adorá-lo como ator.

    valeu!!! abraços!!!

  • 21/11/09  
    Paulo Sidney diz: 26

    Acho que sotaque vem com tempo e a qual naturalidade do Ingês se está exposto.
    Mas não acho que isso seja tão relevante assim, o importante é falar com naturalidade.
    Abraço

  • 21/11/09  
    juliana diz: 27

    Poxa, gente, por favor! Sotaque é muito sexy! Hehehehe! Adorava quando meus amigos americanos falavam português comigo. Muitas vezes eles me impressionavam pelo vocabulário deles. E isso que é importante! Sotaque todo mundo tem! Quero ver um baiano descer aqui pra Florianópolis e entender o que os manezinhos pescadores falam! Sotaque é uma forma de nos expressarmos e revela muito sobre nós. Só não tem sotaque quem apresenta telejornal! :)

    Eu vi alguém perguntando “como parece o sotaque brasileiro?” lá no começo. Olha, sempre me perguntaram se eu e meus amigos éramos russos nos EUA, ahahahahaa. Acho que pelo fatos de o Russo e o Português (br) serem bem “travados” e terem sílabas bem “denotadas” com vários, “tro”, “fri”, “pre”, “rra”, “sta”, e outras combinações fortes. Sei lá, é o que eu imagino ser :) Vejam um dia um russo falando inglês e vejam se não parece um brasileiro…

    E teve outra pessoa que falou do açaí. Hehe, isso é muito legal também… Eu vi que eles escrevem “assai”, mas não sei como falam. Mas o meu favorito mesmo é o Caju, que eles falam e escrevem Cashew, hehe. Esse nome é muito engraçadinho, e acaba parecendo que estão falando mesmo Cajú (sai meio como cajchü) :)

  • 23/11/09  
    Marcelo Silva diz: 28

    Ola Alessandro, antes de deixar a minha opniao gostaria de saber o que exatamente voce quis dizer a respeito de fluencia quando disse que ao parar de ler artigos do seu interesse no equivalente ao portugues, a sua fluencia melhorou. Como assim? Nao seria o contrario? Quanto ao sotaque, realmente nao importa muito desde que, a sua pronuncia seja clara e a colocacao das palavras tbm, mas no meu caso eu procuro praticar e chegar ao mais proximo possivel do sotaque de uma pessoas de lingua inglesa e nao de uma regiao especifica dos Estados Unidos ou whatever, porque eu acredito que o seu sotaque lhe abre portas, talvez eu esteja errado, mas mesmo no Brasil, enquanto na faculdade, conheci professores capacitadissimos e com sotaque de interior que quando iam fazer alguma apresentacao en outros estados nao tinham tanto credito no inicio de suas apresentacoes, porque eram vistos como quem nao sabe nada somente pelo pre-conceito do sotaque.
    abraco.

    • 23/11/09  
      Alessandro diz:

      Marcelo,

      Obrigado pelo comentário. Onde eu disso essa frase que você citou nos comentários? Poderia enviar o link?

      Abraço,

  • 26/11/09  
    Rafael Marques diz: 29

    O nosso sotaque eh a nossa raiz. Se voce compreende e eh compreendido facilmente, nao importa mais o seu sotaque. Eh pura imitacao… eh legal ver um nativo falar ingles, mas eh muito mais legal ver um nao nativo falar ingles fluentemente independente do sotaque.

  • 28/11/09  
    Felipe Haag diz: 30

    Hi there,

    I believe we can pay some attention on the accent, but I agree we should not worry that much about it.

    Best Wishes!

    Felipe Haag

  • 29/11/09  
    camilo diz: 31

    ola Pessoal,

    Nunca me importei com o sotaque, mas em pronunciar corretamente, isso que sempre estou preocupado, pronunciar e dar entonacao correta.

    Excelente post.

  • 30/11/09  
    Dicas de Inglês :: Phrasal Verb: Put Off diz: 32

    […] diferencia alguém com mais experiência no idioma com os mais novos, além da pronúncia – com ou sem sotaque, é a utilização dos phrasal verbs (o que é um phrasal […]

  • 05/12/09  
    sergio f. carmo diz: 33

    O sotaque existe em todo pais. Nao devemos nos preocupar com ele. Com o passar do tempo seremos capaz de compreender com facilidade.
    Estou no ingles basico e recebi uma dica importante de uma pessoa que morou nos Estados Unidos por 30 anos. No Brasil falamos portugues conforme o estado que moramos e nem por isso deixamos de nos entender. Precisamos apenas de um tempo para aprendermos as particularidades local.

    Abraços
    Sergio.

  • 06/12/09  
    Kelly diz: 34

    Cara,

    Nao tem como nao ter “sotaque”! Ele pode ser fraco ou ter um sotaque forte, porem ele vai existir… Como disse uma professora de college minha: Eu acho lindooooooo os sotaques, e se eu fosse vcs nunca nem tentariam perder, é sexy. Palavras de uma professora de college. Isso quer dizer que: Viva com o seu sotaque so fale gramaticamente correto e estara tudooooooo certo… Mas tmb nao custa nada tentar melhorar sempre!!!

  • 06/12/09  
    camilo diz: 35

    hmm., boa pergunta, eu ja me importei sim, hoje mais nao, tenho preocupacao na pronuncia em si. Quando pronunciamos correto, o sutaque acaba diminuindo, eh o que conseguir perceber.

    abracos,

  • 10/12/09  
    rodrigo diz: 36

    O objetivo de um idioma é poder se comunicar. Fato. Agora onde se quer chegar com isso, depende de cada um. Comunicar por comunicar, até o Joel Santana se comunica.
    Pra aprender a dominar um idioma de modo falado, vc tem que saber pronunciar as palavras direito. Isso demora um certo tempo.
    E pra mim, como já foi dito, o sotaque só demonstra o quão a pessoa está habituada com o idioma. Sem considerar as diferenças regionais, vc consegue perceber isso pelo sotaque. Se alguém tem um sotaque natural de onde se fala a língua, vc ve que ela é um nativo. E tb do contrário, pode-se ver que tal pessoa não é um nativo.
    Pode-se falar muito bem com sotaque, porém a beleza da língua vem com um sotaque, entonação semelhante de um nativo. Minha opinião.
    Dá gosto de ver a Shakira falar português (e por outras coisas tb, rsrs). Tem um dominio tão grande que faz inveja pra metade da população do nosso país!

  • 14/12/09  
    Patrícia diz: 37

    Então, lí todos os comentários feitos aquí e entendo que a escolha entre o inglês: americano e britânico, é bastante variado; lógico que depende da necessidade de cada um. Vou começar o meu primeiro curso de inglês e estou na dúvida qual será realmente o mais produtivo. Gostaria de usufruir mesmo é da sua experiência em poder me auxiliar na escolha entre qual inglês iniciar minha
    ” carreira” diríamos assim…
    Agradeço e aguardo.

  • 23/12/09  
    Ricardo diz: 38

    Se uma pessoa entende o sotaque como “falta de cultura ou conhecimento”, quem sofre dessa falta é essa pessoa porque não sabe o que é nem uma coisa nem a outra.

  • 28/12/09  
    marcos diz: 39

    pesquisas mostram que 30 crianças francesas tem um som diferente de 30 crianças inglesas quando choram, ou seja

    pra perde um sotaque é necessario tambem treina o som, tentar fazer um som igual ao nativo, seja rindo, seja falando …ahhhhhh pra depois jogar esse som nas palavras

  • 04/01/10  
    ketlyn costa santos diz: 40

    eu sou uma garota americana com o passar do tempo fui fazer um curso e foi de portugues. amei agora falo e escrevoe muito mais

  • 12/01/10  
    Cintia Machado diz: 41

    Me importava com o sotaque até ir morar nos EUA e descobrir que o sotaque não era uma coisa ruim, e sim uma característica pra lá de especial minha, afinal eles adoravam meu sotaque e achavam very cute! E o melhor é que eles complementavam dizendo que meu ingles era muito bom. Hoje, dou aulas de ingles, e tento passar a mesma ideia para meus alunos, a de que se tu falas o idioma corretamente, o sotaque só virá para deixa-lo mais charmoso!!

  • 02/02/12  
    Sotaque e Pronúncia: entenda a diferença | Dicas de Inglês diz: 42

    […] bem está muito vinculado ao sotaque. Na minha opinião, falar bem é conseguir se fazer entender, sotaque indica apenas a sua origem. O professor Daniel Bonatti, explica (de forma brilhante) no vídeo abaixo a diferença entre […]