Basic questions about learning

Mike MarzioMaria Brasileira’s post “Learning English by reading about it in Portuguese: why isn’t it effective?” is brilliant, and brings up the most basic questions about learning, which are perfectly valid here in France, too. In fact, the French Public Education method of teaching languages is probably one of the worst in the world, the ultimate method designed for learning *about* English.

The paradox is simply that by writing in English only, Maria is following her own advice, forcing students to look for meaning in context, and to use those English – English dictionaries. But what are the beginner’s reactions to Maria’s text in English only? The points she brings up should be understood by beginners, which is impossible without translation.

Aprenda inglês com as técnicas de quem já passou pelo processo. Experimente Grátis por 30 dias o Curso de Inglês do English Experts 3.0.

So, the broad range of “Intermediate” students will be challenged in varying degrees, and the courageous will make sense of it all in the end. This is Maria’s “reward” and the end of the paradox. Thanks to her post, some students will understand the importance of changing their habits, and getting their brains into “acquisition mode” by remaining in English-only environments, and by making “wonderful mistakes” which are part of communicating in the target language.

Why is it that the people in the Netherlands and in Scandinavian countries don’t have the same problem as the French and the Brazilians? They generally begin speaking English when they are very young, as if bilingualism were natural. I will not try to answer this complex question.

Language schools like my own, and certainly many in Brazil, “gently enforce” the English-only rule. Although all of our English teachers are from native English-speaking countries, and are all fluent in French, they systematically *make believe* that they don’t speak or understand French.

Therefore, many students who come to learn English with us actually believe they have entered a world where they HAVE TO speak English (The student’s first reaction is probably “My teacher is an idiot. She doesn’t even speak French!”).

It works, even with beginners. When a beginner speaks to us in French, we answer only in English, and keep the student concentrating on the task at hand. And during the break, when all the teachers and students are in the kitchen for coffee, the student who speaks in French is never ignored, nor admonished. He simply hears a reply in English.

After a few sessions, we hear more and more “English with mistakes”, even from the most timid students, and there is a silent sigh of relief from the teachers, often with a correction without “correcting”, simply by replying with a sentence which leads to correct usage instead of repetition of the student’s mistake.

It’s a complex affair because it goes against the grain. New habits are hard to learn, old habits hard to forget, but all the teachers understand, as a group, that they have to break down the students’ old habits.

The simple fact that the students really like their teachers, helps the teachers to “win the battle” in the end, with all-English anguish, slow acquisition, and finally a realization of significant accomplishment on both sides.

Aprenda mais

Gostou desse artigo? Conheça o Curso de inglês English Experts e descubra como você pode turbinar o seu inglês.

Receba mais dicas de inglês como esta por E-mail, Twitter, RSS feed ou Facebook.

17.jpg

Michael Marzio

Michael Marzio é professor de inglês. Mora na França e mantém o famoso site de vídeos educativos de idiomas, o Real English. Colabora periodicamente com o English Experts com artigos 100% em inglês.

8 comentários

  • 03/01/09  
    Jonã diz: 1

    O site não tem uma área de sugestões?
    O tradutor no canto inferior direito do site é muito bom mas o Answers Tips é simplismente incrível! Com um simples click duplo no site é possivel ter o significado inglês-inglês ou traduzido para iniciantes. Segue abaixo o link da página para conhecer e também conferir inclusive a usabilidade do recurso.

    http://www.answers.com/main/answertips.jsp

    Não posso deixar de elogiar o trabalho de exelência que esse site tem realizado, que em 2009 isso venha a cada dia melhorar mais e mais, espero voltar a colaborar com o site esse ano.

    • 03/01/09  
      Alessandro diz:

      Jonã,

      Obrigado pela sugestão. Já utilizamos o AnswersTips aqui, alías já fomos inclusive indicados por eles em uma de suas newsletter. Mas acabei removendo o recurso pelo fato do pessoal não utiliza-lo muito bem.

      Obrigado pela visita e pelo comentário. Volte sempre.

      Abraço,

  • 04/01/09  
    Lucia diz: 2

    Oi, Alexandre!
    Adoro seu site e leio TODAS as matérias que, por aqui, aparecem. Hoje, preciso de um grande favor seu.

    Uma das minhas “New Year’s resolutions” foi “esse ano eu vou estudar francês” e, como nada acontece por acaso, me deparo, hoje, com esse texto incrível do Michael Marzio que ensina inglês na França. O meu pedido é:
    você pode pedir que ele indique alguns sites franceses (escritos em inglês ou português) no estilo do English Experts??? Já tentei achar by myself e não consegui.

    Muitíssimo obrigada, por tudo, Alessandro. Que o seu site continue “bombando”. Você já é um sucesso!

    Abraços

    Lúcia

  • 04/01/09  
    Alex Jilas diz: 3

    Thank you Marzio

    :)

  • 04/01/09  
    Sofia diz: 4

    I just loved this new post! It is very useful, speacilly for us, students of English, to know something about it, that is out of our own country. Thank for this blog, I discovered it, and it’s very hard to stop visiting it! hahahha

    Congratulations, again.

  • 10/01/09  
    Jonã diz: 5

    Faço inglês em uma escola onde é proibido se falar português nas aulas. O que se vê nas aulas de conversação é algo que chamo de “Brazilian English” falado inclusive pelos professores. Esse termo pode ser novo pra vocês mas creio que todo brasileiro já viu alguem falar ou fala dessa maneira. “Brazilian English” é aquele inglês bem feijão com arroz (bean with rice XD) do qual a boca simplismente trasmite em inglês o que a cabeça pensa em português. Um inglês com um ‘music’ bem brasileiro, um inglês com muito ‘the book of Athur’ bastante ‘is not’ e nenhum de ‘Athur book’ e quase nenhuma contração. Lembrando que isso é bastante expressivo entre os professores, os alunos simplismente copiam. Eu busco ao máximo fugir do “Brazilian English”, como trabalho em um hotel vejo no dia-a-dia que o inglês falado por extrangeiros é BEM diferente.Creio haver tocado em um assunto interessante e Gostaria de algum comentário a respeito disso se possivel do prof. Michael Marzio e outros mestres do English Experts. Desde já muito obrigado

  • 12/01/09  
    Sofia diz: 6

    Então Jonã, depende muito da escola onde você estuda e do aluno também. Muitas escolas infelizmente, acabam falando português porque o encaram com a frase “o cliente sempre tem razão” e não deveria ser assim, e é aí que esse “Brazilian English” entra, os alunos acabam falando ao pé da letra. O negócio é a gente se virar mesmo, ver filmes, seriados, com legenda em inglês, participar de blogs como este, ler livros. Só assim mesmo que ficamos mais familiarizados com a língua. =D

  • 12/02/09  
    santos katuzeco diz: 7

    oi valeu… tinha certas dificuldades em falar ingles, mas estas dicas deram-me maior vontade para o aprender em pouco tempo.