Como melhorar seu inglês rápido sem gastar dinheiro e tempo

Hoje julgo impossível alcançar a fluência sem dois fatores que sempre ignorei:

1. Professor particular: De preferência um nativo da língua ou pessoa que morou muito tempo (mais de 10 anos) em país de língua inglesa.

Tire suas dúvidas sobre os tempos verbais, baixe um guia grátis da Englishtown: Guia de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola. Clique aqui e saiba como baixar!

2. Experiência de imersão: Não existe isso de aprender inglês com brasileiro. O negócio é ir lá, no mínimo esses cursos de imersão em hotel-fazenda, pois as nuances, o brilho da língua, nenhum curso ou brasileiro consegue ensinar com perfeição.

Eu acho válido ter algum custo, mesmo que o retorno não seja financeiro, ele vem. Assistir filmes, ouvir música, ler livros originais, conversar via internet ou telefone. O retorno do inglês é imediato.

Eu diria que a minha evolução nos últimos 4 meses utilizando este método tem sido algo como (com acompanhamento de professor):

Ler: 70% => 100%
Falar: 30% => 60% (faltam nuances, mas nativos já me entendem sem problemas)
Escrever: 40% => 70%
Ouvir: zero => 60% (entendo 80% os nativos, 100% brasileiros e 50% filmes e sitcoms)

Texto enviado por Helio no fórum de inglês do English Experts. Você concorda com ele? Para acompanhar toda a discussão clique aqui.

Faça o seu cadastro no fórum de inglês e participe também com perguntas e respostas.
See you!

Aplicativo para Ampliar o Vocabulário

Você tem dificuldade para se lembrar das palavras, phrasal verbs e expressões em inglês? Conheça o "Meu Vocabulário: Um aplicativo para ampliar o seu vocabulário em inglês" e veja como nossa equipe resolveu esse problema definitivamente.

Receba mais dicas de inglês como esta por E-mail, Twitter, RSS feed ou Facebook.

34.jpg

Alessandro Brandão

Alessandro Brandão é coordenador do English Experts e do Fórum de idiomas. Trabalha também em projetos na área de Comércio Eletrônico e Ensino a Distância (EaD).

38 comentários

  • 07/11/07  
    Luana Guedes diz: 1

    Tenho que dizer que fiquei muito decepcionada ao abrir minha caixa de emails hoje pela manhã e ler este artigo, Alessandro.
    Sou professora de inglês há muitos anos, e apesar de não ter morado fora ou ter tido aulas com um professor nativo, falo inglês e espanhol fluentemente, trabalho com traduções técnicas e comerciais e dou aulas tão eficazes quanto um nativo (inclusive pois muitos alunos me procuram por indicação, e por ter ouvido que minha aula é melhor do que a de muitos nativos que se encontram por aí e que acham que podem dar aula de inglês simplesmente por falar o idioma).
    Hoje em dia tenho orgulho de não ter morado fora para aprender os idiomas que falo, pois isso mostra que com um pouco de dedicação podemos chegar a qualquer lugar. E foi assim que aprendi inglês, me dedicando e me empenhando em aprender o idioma da forma mais natural possível, por vários meios e ferramentas que eu poderia passar horas lhe explicando, que não doeram e nem custaram tanto assim.
    Mas se você realmente acha que isso não é possível sem um professor nativo ou de um curso de imersão…

  • 07/11/07  
    Alessandro diz: 2

    Oi Luana,

    Não foi a minha intenção desmerecer nenhum professor de Inglês. Aliás, conheço alguns que nunca moraram fora do país que são experts de verdade. Ex.: Adir e Deniso. Só para exemplificar, no último final de semana o Adir, o Christopher (americano) e eu realizamos uma conferência via Skype. A fluência do Adir me impressionou! Por essas e outras acredito que é possível falar bem inglês e ser professor sem ter morado no exterior.

    Se você leu o texto até o final viu que ele foi publicado no fórum. Eu ainda termino o post com a pergunta: “Você concorda com ele?”. Algumas coisas que eu publico aqui no blog têm o objetivo de gerar polêmica mesmo, caso contrário. a coisa fica muito chata.

    Espero que você me entenda. Obrigado pelo comentário.

    Abração

  • 07/11/07  
    Christopher diz: 3

    Alessandro’s point, as I read it, was that one should give preference to teachers who have lived in a native English-speaking country for a long period. Why wouldn’t you?

    Of course, another large point is that one should also give much more preference to a teacher that knows how to *teach*.

    So as an example, Luana undoubtedly can do a much better job of teaching English to a Brazilian than, say, my mother, even though my mom has lived in the US her whole life.

    The cost issue is also interesting, as the title of the post speaks to the common preference to learn without spending too much money. My advice?

    – Listen to whatever material you get. Videos, songs, podcasts etc.

    – Repeat out loud. Then repeat again. Then repeat again. Then repeat again. Then repeat again. Then repeat again. …for hours…

    Language is an athletic endeavor. We must train our tongues.

    I can dream in essentially idiomatically perfect Portuguese, but i can’t speak nearly as well as I can hear it in my head.

    much love to the blog, to Luana, and to Alessandro,
    Christopher
    http://verdeamarelo.ning.com

  • 07/11/07  
    Prof. Adir Ferreira diz: 4

    Well, actually the post is by Hélio and was taken from the forum and it raises one of the most discussed issues: should a teacher be native to teach good English? My answer is: of course not! Í learned English and Spanish all by myself and also by teaching, so I guess Hélio stepped over the line and made it extremely general, but let´s respect his opinion, ok? Thing is, let´s keep up the good work and study hard, my people!!!

  • 08/11/07  
    Barbara Rydell diz: 5

    Nice tips, indeed!!! Porém eu acredito que a fluência vem da sua capacidade se saber pensar em inglês. Um intercâmbio nos EUA é uma boa pedida eu acho.

  • 08/11/07  
    Vitor diz: 6

    Moro nos EUA…. Vim para ca aprender ingles, porem nunca tinha feito uma aula na vida…rsrs…. Ja estou aqui fazem 3 meses… Hoje me arrependo de nao ter feito aulas de ingles.. hahaha….

    E nao creio que para voce falar ingles fluente precise morar no pais…. Eu vejo pelo meu irmao q ja estuda ingles a anos, nunca foi para um pais da lingua inglesa.. e fala ingles fluente, melhor do que eu falo ainda =((

  • 08/11/07  
    Paulo Sidney diz: 7

    Bem, opinião todo mundo tem e cada um a expressa da maneira que acha melhor. Pois bem, eu acho que o post foi um tanto quanto infeliz, nem tanto pelo conteúdo mas sobretudo pela forma.
    Existem muitos brasileiros que são ótimos professores assim como existem muitos nativos que péssimos professores, e vice e versa.
    Mas dá pra aprender Inglês com professor brasileiro sim.

    See you

  • 08/11/07  
    themeron diz: 8

    Essas dicas são como a ‘mágica’ para emagrecer: fechar a boca e fazer exercícios.
    Fica muito aquém da realidade de 99,9% dos estudantes de línguas estrangeiras.
    A vantagem que temos no tocante ao inglês, é o maior contato com a cultura e língua inglesas, principalmente dos EUA.
    Não acho ser ‘impossível’ alcançar a fluência fora dessas ‘dicas’ e, temos sim, é que procurar alternativas para otimizar o aprendizado nas escolas, fugindo da ‘cultura’ de que o aluno bom é o aluno que fica anos pagando mensalidade…
    Quanto ao professor nativo, comparando com o futebol, nem todo jogador pode ser um bom técnico.

  • 09/11/07  
    Vitor diz: 9

    Uma coisa que eh bom lembrar, eh que tem mais professor de ingles pessimo, do que professor de ingles bom…. Eu nunca fiz aula em escola de ingles, mas ja vi prof. de escola de ensino medio horrivel…. E conheco prof. de ingles (amigo) que ensina em curso e tbm nao fala bem….

    Sao raros professores igual o Prof. Adir….

  • 09/11/07  
    Adir Ferreira diz: 10

    Vitor, agradeço suas gentis palavras. Como me disse o Christopher alguns dias atrás, o professor tem que ser competente, ainda antes de ensinar, de saber inglês e não ficar estagnado em “ah isso eu não vou aprender porque não vou usar”. Isso é fala de aluno preguiçoso. Vou dar um exemplo, uma certa vez (muuuuuitos anos atrás rs) me deparei com um picture dictionary e lá tinha uma página dedicada à ferramentas. Meu primeiro impulso foi pular essa página e ir para outra página mais “prática”, mas fui me obrigando a aprender coisas que me pareciam muitas vezes insólitas e sem uso nenhum, mas acredite, você acaba usando ativa ou passivamente, e pra fechar, deixo as palavras sábias da minha mãe, a dona Rita : “Conhecimento não ocupa lugar.” Um abraço a todos!

    Prof. Adir
    http://www.adirferreira.com

  • 09/11/07  
    Roberto Rocha diz: 11

    Tenho o prazer de dizer que tive excelentes professores brasileiros de inglês durante a minha trajetória de estudos. Foram 13 períodos do básico ao avançado, mais 2 períodos de treinamento para lecionar inglês no qual aprimorei meus conhecimentos em didática, gramática e literaturas britânica e americana.
    Tudo isso foi conquistado com muito sacrifício, fé, perseverança e sobretudo com muito amor.
    Professor brasileiro se quiser ser bom, tem que ser um apaixonado pelo idioma, se atualizar incansavelmente e é claro, precisa gostar de transmitir seus conhecimentos, ter vocação para ensinar, ajudar o próximo.
    Me incluo nas características acima, nunca pisei os meus pés no exterior e nem por isso acho que fico devendo alguma coisa para os professores nativos quando o assunto é ensinar inglês.

    Um abraço a todos!

    Teacher Roberto

    P.S – Conheçam meu perfil e se quiserem estudar inglês online comigo usando o skype visitem:

    http://www.verbalplanet.com/index.asp

  • 03/01/08  
    Marcelo Fernandes diz: 12

    Hello folks!
    I`m Marcelo from Brasil, and I`ve been living in Dublin-Ireland for over a year now. Nice issue, as far as i can see.
    I agree that somebody who has never lived in a foreign country can speak perfect English, though I do believe that someone who goes to live abroad can learn and speak quicker than who do English course in your native country.
    In my case, I did english course for over 3 years in Brasil, which helped quite a lot in vacabulary and grammar. But listen and speak, is a job that you have to do every day, to get in a high place quicker.
    But is up to anyone…the important is do what you like! Valeu galera…abraco a todos

  • 10/01/08  
    Simara Terra diz: 13

    Luana Guedes,

    Estou a procura de um professor particular de Ingles ou algum curso onde eu possa estudar Ingles e conseguir a fluencia. Fazia Brasas, mas não estou podendo bancar nesse momento você pode me orientar nesse sentido.

    Obrigada, Simara.

  • 11/01/08  
    Luana Guedes diz: 14

    Olá Simara

    Sou de Ribeirão Preto – SP e conheço professores apenas aqui na cidade e na região, então não sei se posso te ajudar…
    De qualquer forma, enquanto você não tem o acompanhamento de um professor você pode treinar seu inglês de outras formas, como tem sido sugerido aqui no blog.
    – Assista filmes, primeiramente com legendas em inglês, em um segundo estágio sem legendas em algumas partes e por fim sem legendas.
    – Aprenda letras de músicas das suas bandas/artistas internacionais favoritos e cante até cansar!
    – Leia livros originais em inglês ou simplesmente artigos de assuntos que te interessem na net.
    – Arrisque conhecer pessoas nativas em salas de bate papo ou msn e praticar um pouco o inglês. Por mais chato que sites de bate-papo tenham se tornado, tente e você verá que será uma experiência diferente.
    – Tente falar inglês com pessoas com quem você convive para praticar, seja em casa, na escola ou no trabalho. Além de ser muito divertido por não haver nenhum tipo de cobrança ou insegurança, você sempre aprenderá algo novo compartihando seus conhecimentos.

    As dicas e ferramentas são várias, mas todas dependem quase que exclusivamente de você, então espero que você tente encontrar os caminhos que te agradam mais para treinar o idioma e persista!
    O esforço com certeza será compensado…

    Abraços,

    Luana

  • 13/01/08  
    Alessandro diz: 15

    Luana,

    Obrigado pela participação. Suas dicas são preciosas.

    Abração.

  • 18/01/08  
    ines osheko diz: 16

    Boa tarde,amigos!
    Eu acho que nao importa a nacionalidade do professor,importante é aprender o engles e para isso serve qualquer maneira,se foi bem dada.

    Best regards,kess

  • 24/01/08  
    rosi diz: 17

    Pois é… está cheio d escolas que “batem no peito”, e dizem que ‘nossos professores são altamente qualificados, têm vivência em outros países e blá, blá, blá…’, e, na verdade, contratam professores que nunca viajaram. Isso realmente não quer dizer que sejam incompetentes. Tive professores com muita experiencia em outro país, e alguns que nunca viajaram. Sinceramente, não vi diferença no aprendizado. O que vale, realmente, é a dedicação e a seriedade.
    Estou de pleno acordo contigo, Luana.

  • 18/02/08  
    Samuel diz: 18

    O comentário do nosso companheiro foi super infeliz.Fiz 3 anos de curso de inglês e todos professores que tive foram brasileiros.Todos foram capazes de transmitir o conhecimento sem dever nada a qualquer nativo da língua inglesa.Hoje ensino inglês num importante curso e, acho que não devo nada a nenhum nativo em termos de didática.Acredite amigos aprendizado de um idioma requer força de vontade e seriedade com um leve toque de ajuda de um professor, seja ele nativo ou não.

  • 21/02/08  
    báh diz: 19

    A fluéncia do inglÊs só é alcançado quando ele é usado frequentemente. Mesmo tendo professores ótimos, cursos caros, ou até morando em outro pais e não pratica-lo diariamente não aprenderá fluentemente!!!! Okay????

  • 05/03/08  
    Henrique Guimarães diz: 20

    Eu sou um autodidata nato, nunca fiz curso de inglês e dificilmente falo com nativos ou outras pessoas, porém tenho amigos que falam fluentimente e que moram nos EU. Confesso que sou bastante inseguro na hora de usar o que eu aprendi, porém quando uso, sempre recebo bons elogios, mesmo não sendo um expert no assunto. Quando alguém me pergunta se eu sei falar inglês, respondo que não muito, porque estou ciente que tenho de aprender muito ainda. Fico orgulhosos quando alguem me pede ajuda ou me elogia (inglês). Portanto devo tudo isso a mim mesmo, pela minha vontade de aprender e perseverança.

    Também acredito que há muito professores que são realmente bons, mesmo nem ter se quer saido do país. Lógico que devemos “to set apart” os bons dos maus.

    Tenho uma conhecida que fez um curso de inglês em uma escola conhecida. Ela não aprendeu muita coisa, a não ser a estrutura do idioma. Acredito que o meu nível de inglês é superior ao dela.

  • 12/07/08  
    Renatta diz: 21

    Eu acredito que o (bom) aprendizado de um aluno não depende da nacionalidade e/ou competencia de um professor. Tenho um amigo que faz curso em uma dessas escolas que dizem que todos os professores são nativos e coisa e tal, a mais ou menos 2 meses (pouco tempo). Eu comecei o curso a uma semana, numa escola não muito conhecida e com um professor brasileiro, no entanto na hora de conversarmos em ingles a diferença é gritante, ele quase não consegui me acompanhar. Mas isso por que eu sempre gostei do idioma e (mesmo sem o curso) estudava sozinha. Ele nunca negou que não gosta de ingles e que só faz por causa do seu curriculum.
    Resumindo, para aprender tem que gostar.
    Quanto ao comentario do nosso amigo Hélio, acredito q quase todo mundo aqui pensa igual: nacionalidade do teacher não importa. Porém não devemos jogar pedras nos conselhos dele, afinal cada um tem seu jeito de aprender , certo? Talvez ele tenha se indentificado mais com o professor nativo.

    Kiss…

  • 24/09/08  
    Val-RJ diz: 22

    Olá pessoal,

    Bem, só posso expressar minha opinião no tocante ao seguinte. Morei por 4 meses em Londres e fiz dois cursos diferentes pra iniciantes. Eu nunca tinha feito curso de inglês no Brasil. O que mais me chateia, é que no Brasil, a maioria desses cursos visam realmente o lucro. Então, vc fica, dependendo da carga horária ou quantidade de dias, fazendo os referidos cursos por no mínimo 1 ano ou mais pra ganhar a tão esperada fluência. Isso porque tenho amigos que fazem curso de inglês há mais de um ano e nem sabem falar inglês. Fiquei apenas 3 meses fazendo curso (imersão), foi dureza, mas consegui chegar a um nível e poder manter um diálogo em inglês. Mas isso porque eu não estudei o suficiente como deveria. Então agora, morando na Alemanha, resolvi fazer um self study em inglês, por conta dos estudos da lingua alemã. Todos os dias, pelo menos uma horinha, pego as dicas daqui do fórum, leio alguns artigos em inglês e pego um dicionário.
    A internet ta recheada de dicas, blogs, cursos interativos, um vasto material pra que vc possa fazer um self study sem gastar nada. E quanto ao fato de ter professores brasileiros maravilhosos ou não, isso é relativo. Porque, infelizmente, a maioria dos cursos de inglês no Brasil tem programas de 2 anos ou mais e deixam a desejar, conforme relatos de amigos que assim o fizeram. Mas é aquilo. Não adianta, estudar no Brasil ou aqui fora e conseguir bons resultados, sem dedicação, esforço e deixar a preguiça de lado.

    Beijosss

  • 01/02/09  
    GIULIANO diz: 23

    Gostaria de saber de algum curso de 1 mês em um hotel fazenda no Brasil, ao invés de viajar para fora.
    Grato.
    Giuliano

  • 10/03/09  
    Eduardo diz: 24

    look-me

    to read :
    90%
    to understand movies:
    62%
    natives
    95%
    Brazilians
    80%
    to write:
    93%
    to speak:
    98% ( I just need learn more some words)

    I´m Eduardo of Brazil and I never did a curse
    and I´m 11 years

  • 02/04/09  
    Carlo diz: 25

    It’s quite unfortunate to see such things around, and to know that other people, who lack knowledge on the subject, might take it as the truth about learning a foreign language. Anyway, I’ll give my opinion about the subject too! Firstly, Natives x Non Natives: How could a person who hasn’t ever learnt another language, who basically have no idea about the contrasts of his languages compared to others, who have never gone through the process of learning another language, be better than a person who learnt it the same way you are trying to learn.. it really piss me off that we don’t get the same teaching opportunities abroad, just because we’re not natives. I couldn’t possibly teach portuguese to someone , but on the other hand i do teach english and quite well btw.
    Secondly: a person who hasn’t lived in an English speaking country certainly has less fluency than someone who did. If you think u can understand natives, that’s because they’re either speaking very slowly and in a simpler way, honestly don’t think you’ll get to London and understand a word of what people talk about. Or maybe u could try it in ireland, in australia, in nz or in scotland! and you will see how hard it actually is. much harder than watching sitcoms.. where u don’t actually have to interact with people… so if u dont follow a sitcom .. mate..
    my point was.. don’t go about saying that local english teachers aren’t good enough to teach you if you haven’t even got enough knowledge of the target language to judge such things by yourself. And remenber, how well you learn it depends much more on you than on your teacher.

  • 19/04/09  
    josy diz: 26

    Oi
    Estou pensando em ir para dallas estudar ingles, vou para essa cidade, pq vou ficar na casa de uma pessoa que mora lá,vou ficar de 1 a 2 meses, fiz 2 anos de curso aqui no Brasil, mas tenho muitas dificuldades, meu ingles é muito fraco, principalmente para falar e ouvir, acham que esse tempo é suficiente? o que eu deveria praticar mais aqui antes de ir, para não ficar muito perdida lá?

  • 03/05/09  
    JOKER diz: 27

    Alessandro,

    Estou ingressado num curso em torno de 04 meses. Porém acho que para esse tempo, meu inglês esteja bom. Mas…percebo que ao tentar ouvir alguma música ou filme sem a legenda (inglês), não consigo entender muita coisa. Isso é normal? O que é preciso para melhorar essa “parte” ?

    Forte Abraço!!!

  • 05/05/09  
    JOKER diz: 28

    Alessandro,

    Muito obrigado, já estou baixando os podcasts. Uma outra dúvida que tenho é em relação a “tradução”. Como lhe disse, estou num curso a 4 meses, porém até o momento está sendo fácil, pois sempre tive facilidade com inglês, devido sempre ter optado por filmes legendados, ficar em chats como Sharedtalk, etc. Mas vejo que estou pecando num erro, que é onde tudo que leio, procuro “traduzir” para depois entender. Gostaria de mais uma ajuda sua neste quesito. O restante é aumento de vocabulário, procurar sempre falar as coisas inglês, estudar, melhorar o listening (já peguei sua dica ). Acho que com essa eu fecho minhas dúvidas, hehe.

    Obrigado e Parabéns pelo site!!!

  • 20/07/09  
    Jordana diz: 29

    Esse negocio de arrumar profsor nativo é muito dificio pelo menos perto de mim!!!!!Mas achei uma otima ideia,gostei mesmo!!!!

  • 08/11/09  
    VIVI diz: 30

    Olá Alessandro, parabéns pelo blog, já virei fã e passo por aqui todas as semanas para conferir as novidades, faço curso de inlês há mais ou menos 3 anos, e realmente quando nos dedicamos a reconpensa vem…. hehe. A minha professora não morou no exterior, no entanto, tem um inglês ‘perfeito’, ela se expressa muito bem, conhece muita gramática e expressões que são usadas pelos nativos (muitas das quais eu aprendi aqui no EE), resumindo, ela é excelente e eu consigo aprender muito, inclusive manter uma boa conversação com ela, mesmo ainda estando no nivel intermediário. Acho que o que realmente importa é a motivação, a partir do momento em que eu resolvi me dedicar ao estudo dessa lingua, eu melhorei muito, e eu tenho que agradecer muito a equipe do EE, pois as dicas são muito valiosas, obrigada pelos livros sugeridos também, eles são excelentes! A respeito da conversação, uma boa dica também são os audios que consegui baixar no site BBC LEARNING ENGLISH, são ótimos e para a minha surpresa eu consigo compreender quase tudo o que eles falam em inglês! O legal é que tem novidades todas as semanas, o que ajuda muitoo. Sucesso sempre e parabéns mais uma vez pelo blog!

    • 09/11/09  
      Alessandro diz:

      Vivi,

      Obrigado pelo comentário. Eu também gosto muito do BBC Learning English, sempre passo lá para conferir as novidades.

      Bons estudos!

  • 08/11/09  
    Sandra diz: 31

    Na verdade , as dicas são muitas… Poderíamos passar o dia inteiro lendo tais dicas, que diga-se de passagem são úteis demais… Mas nenhuma escola, dica ou professor vai te fazer fluente no inglês se vc não se dedicar muito… mas é muuuuuuuuuito mesmo… Um idioma não se aprende da noite pro dia e nunca falaremos fluentemente se não ouvirmos muito… Imagine…Como aprendemos a falar português? Com nossa primeira professora? Com certeza não foi… Já chegamos lá falando.. e muito… Então o negócio é praticar… Se utilize de todos os recursos que vc possa encontrar, use todas essas dicas que os professores e blogueiros não se cansam de nos dar… E antes de mais nada…Encare o aprendizado como algo prazeroso e vc verá que não é nenhum bicho de sete cabeças… Afinal… Qdo aprendemos a falar português , a gente nem sabia ler ainda… Temos que dar um passo de cada vez e com certeza chegaremos lá… Mas uma coisa é certa… Nunca sabemos o bastante e estamos sempre aprendendo…

  • 17/12/09  
    Robson Gomes diz: 32

    Olá,
    Esta questão de professor nativo ou não é díficil de se concluir. eu particularmente nunca estudei com professores particulares ou consegui terminar um curso de inglês, mas contudo, por gostar do idioma desde muito jovem, me esforcei e com livros, revistas, filmes e tudo o mais que caía nas minhas mãos em inglês, aprendi. Como foi dito pelo Henrique, no início eu dizia que falava “um pouco” mas com o tempo fui perdendo a timidez e isto até me ajudou a aprender.

    good luck folks!!!

  • 07/02/10  
    Amanda diz: 33

    Olá Alessandro.

    Post interessante e ao mesmo tempo polêmico esse. Eu concordo e discordo disso. Eu estudo inglês a pouco mais de um ano e posso dizer uma coisa com toda certeza: minha professora nunca viajou p/ o exterior e muito menos morou fora do país, mas quando ouço ela falando apenas eu inglês, eu noto que a pronúncia se assemelha muito com a de um nativo. Mas eu também acredito que, tentar dialogar com um nativo da língua que se estuda, seja por voz ou texto, ajuda muito no aprendizado. Eu digo isso porque, além do inglês, eu também me interesso pelo espanhol. A um tempo atrás, eu tentava ler artigos em espanhol, eu não entendia praticamente nada. Mas, depois que eu comecei a conversar pelo msn com um nativo da Espanha, eu passei a compreender bem mais a escrita. Na minha opinião, uma das melhores formas de se aperfeiçoar um idioma é ouvir, ler e tentar fala-lo todos os dias, seja c/ um nativo ou um amigo.

  • 10/02/10  
    fonsell diz: 34

    Gente todos podem aprender ingles fluentemente sem sair do país. Isso só não acontece devido a máquina administrativa dos cursinhos de ingles que só querem faturar. Quem disse que eles querem que voce fale ingles fluente e rápido. Eles querem e que voce fique 8 anos estudando uma aula vagabunda por semana e quando chegar no final do curso voce ainda não vai estar falando. Voce quer ver? é só voce chegar e perguntar para a recepcionista do curso se ela fala ingles? Quantos amigos voce conhece que falam ingles fluente? Voces sabem em quanto tempo voce se fala uma lingua extrangeira na európa? no máximo 1 ano. O papa fala 14 idiomas se cada um deles durassem 8 anos, coitado ele nem chegaria a ser papa ficaria estudando linguas desde que nasceu. Gente toda e qualquer lingue voce pode falar fluentemente em menos de um ano. ISSO SÓ ACONTECE NO BRASIL. Parem de estudar gramática e voces vão falar ingles fluente. Voces não sabem nem a gramática de nossa lingua que dirá a de uma extrangeira. Pra que voce quer saber se o verbo está no futuro do pretérito ou do presente? basta voce saber que tem que falar daquela forma e pronto, caso encerrado. Se alguem te ensinou que o certo é “NÓS FOMOS” e não “NÓS VAI” pra que discutir. Voce vai ensinar um americano…”olha gringo voce tem que falar Nós vamos porque o verbo tem que estar na 1º pessoa do plural do presente do indicativo”…blá,blá,blá ele não vai querer saber ele vai falar “nós vamos” e o resto que se dane. Se voce tirar a gramática de sua vida voce vai aprender ingles em tempo recorde. Aprenda 1º a ouvir, depois falar, depois escrever, por último pensar em ingles. aprenda como uma criança. É isso aí pessoal valeu!!

  • 24/02/10  
    Gilberto diz: 35

    Bom eu não sou fluente em inglês mas digo que aprendi a falar um pouco através de musicas, filmes, mais precisamente através de jogos online, onde converso através de chat ( escrito ) uso um programa de conversação chamado ventrilo que permite eu me comunicar com outras pessoas como se fosse um telefone, quando fico sem noção nenhuma corro pro google traslate apesar que nem sempre é a tradução que procuro, mais aos poucos tenho certeza que um dia vou falar inglês fluente.

    Gilberto Wrignt 19 anos São Luis-Ma

  • 28/04/10  
    Priscila diz: 36

    Nossa!! Este post está rolando desde 2007… que bacana. Eu tenho uma dica… http://www.livemocha.com é muiito bacana!! Vc fala com gente do mundo todo e de graça!! E também aprende quanats linguas quiser ao mesmo tempo.

    Confesso que tenho dificuldade sobretudo em falar, eu sempre procuro alguam forma de aprender , mas não sei oq eu aontece, talvez não esteja sendo disciplinada e nsegura o que é pior. Eu quero tanto falar a fluente o inlês e quando vejo que teve gente que aprende sem professor , sem curso… No outro dia vi uma reportagem no caldeiraõ do Huck, jovens até do cantão do mundo, sem muitos recursos que aprenderam a lingua sozinhos e euu caracaa, não sei o que me dá!

    Bom espero um dia saber escrever um texto numa boa e falar fluente, é claro