Dicas para aprender e falar bem o Inglês

Olá, amigos do English Experts! Ao estudar uma segunda língua, você acaba passando por uma série de etapas e dificuldades até conseguir descobrir a melhor maneira de estudar – alguns infelizmente acabam não sabendo de um detalhe muito importante para o aprendizado de idiomas.

Trata-se de algo que pode proporcionar ganho de tempo, qualidade e até mesmo motivação, e não é só para quem está começando ou ainda tem um conhecimento básico – pode servir até para quem já dá aulas.

Tire suas dúvidas sobre os tempos verbais, baixe um guia grátis da Englishtown: Guia de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola. Clique aqui e saiba como baixar!

Todos sabem que para ter um bom desempenho, você vai precisar obviamente de um bom material, de tempo disponível, pôr em prática as quatro habilidades: ouvir, falar, ler e escrever e ter alguém que possa te auxiliar – mesmo que uma vez ou outra.

O assunto em questão hoje (e que pode fazer toda a diferença) é o de entender que as estruturas do português são, muitas vezes, bastante diferentes das estruturas do inglês. Há uma tendência natural de querermos falar o outro idioma com base no que sabemos da gramática e do vocabulário do português. É possível acertar? Sim, é possível. Porém, é fácil também criarmos algo que simplesmente não existe no inglês. Vejam a explicação a seguir.

Você decide dizer algumas frases, então pega um dicionário e as “monta”, ou, simplesmente, faz de cabeça.

  • Eu estou a fim de viajar.

Palavra por palavra: Eu = I; estou = am; a = the ; fim = end ; de = of ; viajar = travel.
Montando: I am the end of travel. (Incorreto – não usado por nativos – frase baseada numa tradução ao pé da letra.)
Forma usada por falantes nativos: I feel like traveling.

  • Ela está com febre.

Palavra por palavra: Ela = she; está = is; com = with ; febre= fever.
Montando: She is with fever. (Incorreto – não usado por nativos – frase baseada numa tradução ao pé da letra.)
Forma usada por falantes nativos: She has a fever.

  • Tenho vergonha de falar.

Palavra por palavra: Tenho = I have ; vergonha = shyness ; de = of ; falar = speak.
Montando: I have shyness of speak. (Incorreto – não usado por nativos – frase baseada numa tradução ao pé da letra.)
Forma usada por nativos: I’m too shy to speak.

  • Eu não faço a menor ideia.

Palavra por palavra: Eu: I ; não = don’t; fazer = make; a menor = the smaller; ideia = idea
Montando: I don’t make the smaller idea. (Incorreto – não usado por nativos – frase baseada numa tradução ao pé da letra.)
Forma usada por nativos: I have no idea.

O curioso é que em muitos casos, a preposição, frequentemente deixada de lado, acaba complicando as coisas. Vejam:

  • Eu estou preocupado com você. [ I’m worried about you. -> Não diga “with you”. ]
  • Pagar com cheque. [ Pay by check. -> Não diga “with check”. ]
  • Não minta para mim! [ Don’t lie to me! > Não use “for”. ]

Então, muito cuidado nessas horas!

É claro, como foi mencionado anteriormente, isso não acontece em 100% dos casos. Há exceções – o inglês é cheio delas. Existem diversas situações onde você pode formar frases traduzindo palavra por palavra. Vejam alguns exemplos:

  • Ele é casado: He is married.
  • Eu estou morando com meus pais: I’m living with my parents.
  • Leve as crianças para a escola: Take the children to the school.
  • Venha para a loja: Come to the store.
  • Eu faço o que eu posso: I do what I can.
  • Onde há fumaça, há fogo: Where there is smoke, there is fire.

A dica é: você não deve correr o risco, o melhor mesmo é estar SEMPRE atento e se PERGUNTAR: posso dizer isto ao pé da letra ou a forma é totalmente diferente do que estou imaginando?

IMPORTANTE: não há uma regra para se saber quando algo é ao pé da letra e quando não é. Apenas o convívio e o estudo frequente podem dar as respostas, dia após dia.

Bom, em resumo é isso: além de ter um bom material, tempo disponível e força de vontade, você precisa estar atento ao fato de que uma ideia em português pode ser de forma completamente diferente e imprevisível no inglês. Levando isso em conta, você vai aprender muito mais e fazer bonito na hora de se comunicar.

Bons estudos!

Aplicativo para Ampliar o Vocabulário

Você tem dificuldade para se lembrar das palavras, phrasal verbs e expressões em inglês? Conheça o "Meu Vocabulário: Um aplicativo para ampliar o seu vocabulário em inglês" e veja como nossa equipe resolveu esse problema definitivamente.

Receba mais dicas de inglês como esta por E-mail, Twitter, RSS feed ou Facebook.

12.jpg

Donay Mendonça

Donay Mendonça é professor de inglês com anos de experiência no ensino de idiomas para jovens. Além de colaborar com artigos ele ainda é moderador do Fórum do English Experts.

23 comentários

  • 17/01/12  
    José Maria Mendonça diz: 1

    Estou estudando Administração e Gestão em Cabo Verde, pois preciso aprender ingles de negocio. Ajudem me por favor
    Obrigado

  • 17/01/12  
    Gabi diz: 2

    Curti e repassei Donay! =)

  • 17/01/12  
    isaias diz: 3

    muito obrigado!!!thankyou the teach!!!

  • 17/01/12  
    José diz: 4

    This was good Donay, very good

  • 17/01/12  
    Flávia Magalhães diz: 5

    Sobre o “speak your mind” que aparece na figura lá no topo do artigo:

    http://www.englishexperts.com.br/forum/traducao-de-they-always-speak-their-mind-t7009.html

  • 17/01/12  
    simone tavares diz: 6

    quero parabenizar pelo blog. muito bom, ja me ajudou muito.

  • 17/01/12  
    Sergio diz: 7

    Hi,

    Isso é bem util para qualquer um…Ajuda a todos!
    : D

    Take care

  • 17/01/12  
    Claudio diz: 8

    Olà Donay!
    Desculpe, mas talvez nao tenha entendido bem o artigo. Faz muito sentido o que escreveu, è mesmo isso que fazemos, um grande erro, mas me parece uma grande dica do que nao fazer quando se està aprendendo uma nova lingua. Como voce disse acima, o inicio è terrivel, dificil chegar à melhor maneira de estudar, existem milhoes de informaçoes na internet, que nos fazem perder tempo atè encontrar a melhor maneira de estudar, como voce mesmo disse. Sei que somos diferentes, mas nao existe uma maneira de “proporcionar ganho de tempo, qualidade e até mesmo motivação, como voce tambèm escreveu acima? De qualquer forma agradeço a dica.

    • 18/01/12  
      Donay Mendonça diz:

      Cláudio,

      Olha, uma outra dica para se ganhar tempo, ter qualidade e motivação, é estudar com frequência e sempre estar atento a detalhes do idioma. Ficar muito tempo sem contato pode fazer você ter que recomeçar tudo. Observar pequenos detalhes pode fazer a diferença na qualidade do seu aprendizado.

      Abs,

  • 17/01/12  
    Walmir do Nascimento Silva diz: 9

    Very good clues.
    Very important and useful information.
    I want to keep up receiving them.
    Thank you.

  • 17/01/12  
    Nancy diz: 10

    I liked these tips, it is very useful for us. Thank you very much.

  • 17/01/12  
    Natã Oliveira da Costa diz: 11

    Everytime i get the opportunity of giving an advice about the english learning proccess, i talk about those Collocations.

    There are lots of books that try to teach that, but i don’t know anyone that make it.

    The only way, as you said, is becoming familiar with. Listening a lot!

  • 17/01/12  
    Pedro Alexandre diz: 12

    Great tips.
    Achei muito interessante e bem escrito e concordo de coração. Só uma coisa: nos exemplos de sentenças iguais ao inglês, creio que cabe a seguinte correção:
    Em vez de,
    Take the children to the school,
    O certo não seria,
    Take the children to school
    Pelo menos é o que a regra diz:
    ‘We use these nouns (school, university, college, hospital, church, prison, bed) without an article when we think about the main purpose of the place.’ (The Heinemann English Grammar)
    Cheers

    • 18/01/12  
      Donay Mendonça diz:

      Pedro,

      Primeiramente, obrigado pela participação.

      Bom, o artigo “the” é possível em casos assim quando se fala de uma escola em específico.

      Por exemplo: Leve as crianças para a escola em Los Angeles. [Take the children to the school in Los Angeles.]

      Abs,

  • 18/01/12  
    Maria diz: 13

    Espectacular, adorei realmente escrevendo em portugues e em Inglês, e pensando no que se está a escrever, dá um raciocínio melhor, são sempre excelentes as dicas do E.E.
    Muito Obrigado a todos os que colaboram.

  • 18/01/12  
    Thifani diz: 14

    eu gostaria de saber se essas dicas sao diaarias
    pq as vezes nao temos tempo de ficar entrando em aplicativos ke demoram pra carregar e nao ter dicas novas então eu quero saber pra nao perder tempo carregando algo ke nao precisa.

    Mto obg.

    • 18/01/12  
      Alessandro diz:

      Nós tentamos, mas nem sempre é possível.

  • 19/01/12  
    CATALINE diz: 15

    I think. Listening and speaking is very important, to practice a lot, thanks.

  • 20/01/12  
    Caroline diz: 16

    Concordo. Aprender é tentativa e erro. Apos um ano de Australia me peguei falando pela segunda vez (!) “my computer is too heavy…” pra dizer que estava “pesado”. Fico meio down mas o importante é que posso usar isso pra aprender neh?

  • 20/01/12  
    Franco Mendes diz: 17

    I would say: Take the kids to school – instead of: to the school.

  • 20/01/12  
    David - Angolano/Africa diz: 18

    Obrigado ai meu, gostei, sou Angolano e quero dicas como estas no meu correio, please

  • 20/01/12  
    Uilian - Brasilia/Brasil diz: 19

    Eu acho o seguinte,
    para ajudar, primeiramente deve-se corrigir a estrutura da frase, ou seja, retirando os vícios de linguagem. aí sim tentar traduzir.

  • 31/01/12  
    Rodrigues diz: 20

    Realmente, muito interessante!