Donay Mendonça, como você aprendeu Inglês? – com áudio

Donay Mendonca PerfilHi there! Recentemente eu gravei um podcast com o prof. Donay Mendonça. Depois de ouvir o programa algumas pessoas pediram mais informações sobre como ele aprendeu inglês.

Então, atendendo aos pedidos, eu o convidei para participar da série “como você aprendeu inglês”, nessa série eu convido colaboradores do site para responder à pergunta “How did you learn English?“. Como sempre o prof. Donay atendeu prontamente. Está imperdível, check it out!

Tire suas dúvidas sobre os tempos verbais, baixe um guia grátis da Englishtown: Guia de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola. Clique aqui e saiba como baixar!

Ouça o áudio completo:

Download do áudio

Transcrição do Áudio

How I learned English… I started studying English when I was eleven years old. English was among the subjects I had to study at my regular school back then. Besides having to learn Math, Geography, History, Portuguese and Sciences, I also had – at the time – my worst nightmare: the English language.

I must say I really didn’t enjoy my English classes. To me, they were very boring and strange. That was my first impression of the English language when I was first exposed to it.

A few months later, I started getting bad grades in English, and my mother decided that I needed private tutoring (private lessons) as I would be held back if my grades didn’t improve.

Fortunately, those private lessons helped a lot and I wasn’t held back. But then my mother didn’t like the idea of having to pay for private lessons every time I got bad grades and decided to enroll me in an English school. On the first months everything seemed boring and difficult. But as time went by, things became easier and I started getting good grades at my regular school and English, as if by magic, became a passion. I even helped my classmates with their homework. But for financial reasons I had to quit my English course one and a half years later. Unfortunately.

Back in 1995, I decided to study English by myself and after a while I noticed that I would have to go to a library to continue with my studies as I couldn’t afford to buy all the books I needed. I used to go to a library every single day to study, and there I learned grammar, vocabulary and even pronunciation from books and dictionaries.

In spite of having an extensive knowledge of the language, I still couldn’t speak English fluently and that was when I met two friends who had lived in the USA for many years. They said: ‘’you need to practice your English and we need speak English every day or we’ll soon forget it. How about speaking English instead of Portuguese every time we meet?’’ I agreed and that was a great opportunity for me to improve my English speaking skills. There were times when we would spend the whole day speaking English. That was fantastic. My English improved a lot.

In 2000, I was invited to work as a teacher at a school, but I didn’t really want it as I hadn’t planned to be a teacher. I decided to accept the offer because the pay was good and I had to work anyway. On the first 3 days as a teacher I was very nervous and didn’t really know if the students liked me. On the fourth day, my employer came to me and said: ‘’you can consider yourself an English teacher. Your students said you are doing a great job. You are excellent.’’

I’ve never stopped studying English. I’ve been a teacher for 16 years. I’ve been studying English for more than twenty years and I still want to learn more. I am crazy about the English language.
Today I have an English school and I also collaborate on English Experts.

That’s it!

Donay, muito obrigado pela colaboração e apoio de sempre.

E você, gostou? Confira mais posts da série “como você aprendeu inglês“.

Aguardo comentários. See you!

Aplicativo para Ampliar o Vocabulário

Você tem dificuldade para se lembrar das palavras, phrasal verbs e expressões em inglês? Conheça o "Meu Vocabulário: Um aplicativo para ampliar o seu vocabulário em inglês" e veja como nossa equipe resolveu esse problema definitivamente.

Receba mais dicas de inglês como esta por E-mail, Twitter, RSS feed ou Facebook.

34.jpg

Alessandro Brandão

Alessandro Brandão é coordenador do English Experts e do Fórum de idiomas. Trabalha também em projetos na área de Comércio Eletrônico e Ensino a Distância (EaD).

8 comentários

  • 19/05/16  
    zumstein diz: 1

    Prof Donay
    Você é professor e dono de escola.

    Quando é aberto um tópico que contenha um palavrão o pessoal fica até constrangido de participar do mesmo, já notei isso.
    O EE até usa um asterisco (*) numa letra do palavrão.

    Eu não uso palavrões, aprendi em casa a não falar nome feio, mas na internet, nos filmes, etc, só tem palavrões.

    Eu gosto de saber o significado de palavrões em inglês. Quando eu estava na escola eu tinha uma listinha com muitos palavrões inglês/português e todo mundo queria tirar uma cópia, hoje em dia já não faria muito sucesso.

    O que o Sr. como educador acha do estudo do palavrão? Não é melhor aprender na escola do que na rua?

    Bye, mestre.

  • 23/05/16  
    Donay Mendonça diz: 2

    Zumstein,

    A sua pergunta é muito interessante e esta é uma pergunta que eu mesmo já me fiz algumas dezenas de vezes, nestes anos em que tenho trabalhado como professor e, mais recentemente, como dono de uma escola.

    Depois de pensar e analisar, minha conclusão, de forma resumida (na condição de professor) é: não se deve ensinar palavrões a alunos em sala. E isso é com certeza o que 99,9% dos pais de alunos me diriam (para me repreender) se encontrassem nos cadernos de seus filhos a última aula do professor Donay: como dizer palavrões em inglês. Eu tenho que dar esse feedback aos meus alunos (à maioria) e pais de alunos.

    No entanto, por esse tipo de vocabulário estar presente nas vidas de muitas as pessoas, fica a pergunta: como e onde aprender palavrões em uma segunda língua?

    A minha sugestão é a de que seja, por exemplo, em casa, por conta própria, sem que o professor ou curso tome a iniciativa primeiro. No caso de um adulto, este pode pedir sugestões de sites e até livros (em off) a quem conheça. No caso de um jovem, os pais é quem decidem o que ele deve fazer. É papel do professor esclarecer que esse tipo de linguagem é comum, mas é melhor – por precaução – que o aluno tome a iniciativa. Depois disso, você, com o bom senso, decide como orientá-lo.

    Os palavrões são – na sua grande maioria – um incentivo extra a um comportamento inadequado, ao exagero, ao desequilíbrio, à banalização de conceitos e princípios. E isso acaba ocorrendo de maneira subliminar, a meu ver.

    Não podemos negar que eles existem e conhecê-los acaba sendo uma necessidade para uma compreensão mais ampla do idioma. No entanto, eu não daria uma aula de palavrões em uma escola a não ser que todos alunos adultos chegassem a um consenso do que terão pela frente. É constrangedor explicar origens, atos, sentidos, etc – sem aviso prévio.

    É melhor que se aprenda, de forma consciente e direcionada, em um ambiente previamente preparado para isso.

    Obrigado pela participação no post.

  • 24/05/16  
    GuilhermeJoker diz: 3

    Obrigado pela experiência que nos contou

    • 02/06/16  
      Donay Mendonça diz:

      You’re welcome, GuilhermeJoker

  • 30/05/16  
    Diogo Henrique Neto diz: 4

    Congratulations teacher Donay Mendonça, I loved this Podcast, I learn very much every days with you.

    • 02/06/16  
      Donay Mendonça diz:

      Thank you for the comment, Diogo.

      Keep posting.

  • 11/06/16  
    ayanda diz: 5

    Amo o English Experts, acompanho com certa frequência há alguns anos. Na minha busca por aprender mais a língua inglesa, eu encontrei também o site espressoenglish.net da teacher Shayna, americana que reside no Brasil e excelente professora. Que tal entrevistá-la? Amo o jeito como ela fala, porque é muito claro, limpo, fácil de entender.

    • 13/06/16  
      Alessandro Brandão diz:

      Oi Ayanda,

      Obrigado pela indicação.

      Abs,