English Podcast 28: A tradução no ensino de idiomas – Parte 1

Olá, amigos do English Experts! Alguns educadores defendem aulas presenciais 100% em inglês e temos também aqueles professores que defendem o uso pontual do português (no caso do Brasil) nas explicações. O professor, tradutor e intérprete Daniel Bonatti ( criador da imersão LivEnglish ) faz parte dessa segunda corrente, ele ensina em suas palestras que as explicações em momentos específicos da aula pode poupar tempo do aluno. Confira no episódio de hoje a primeira parte de um bate-papo muito interessante que tive com ele.

English Podcast 28 banner

É muito importante entender que, em se tratando de metodologia, não há certo ou errado. Todas têm seus prós e contras. Aqui no English Experts valorizamos o debate de forma madura e acreditamos que todos só têm a ganhar com isso.

Prepare o seu headset, aperte play e divirta-se.

Ouvir o English Podcast

Links discutidos no podcast

Trechos em inglês

Tempo – 06:16

So what we’ve been working on for the last year and a half is a new website — it’s called Duolingo — where the basic idea is people learn a new language for free while simultaneously translating the Web. And so basically they’re learning by doing.

So the way this works is whenever you’re a just a beginner, we give you very, very simple sentences. There’s, of course, a lot of very simple sentences on the Web. We give you very, very simple sentences along with what each word means. And as you translate them, and as you see how other people translate them, you start learning the language. And as you get more and more advanced, we give you more and more complex sentences to translate. But at all times, you’re learning by doing.

Now the crazy thing about this method is that it actually really works. First of all, people are really, really learning a language. We’re mostly done building it, and now we’re testing it. People really can learn a language with it. And they learn it about as well as the leading language learning software. So people really do learn a language. And not only do they learn it as well, but actually it’s way more interesting. Because you see with Duolingo, people are actually learning with real content. As opposed to learning with made-up sentences, people are learning with real content, which is inherently interesting. So people really do learn a language.

But perhaps more surprisingly, the translations that we get from people using the site, even though they’re just beginners, the translations that we get are as accurate as those of professional language translators…

Programas Anteriores

Arquivo do English Podcast

Assine e Avalie no iTunes

English Podcast no iTunes

Sugestões, críticas e elogios

Envie sugestões, críticas e elogios nos comentários. A sua participação é muito importante.

Receba mais dicas de inglês como esta por E-mail, Twitter, RSS feed ou Facebook.

34.jpg

Alessandro Brandão

Alessandro Brandão é coordenador do English Experts e do Fórum de idiomas. Trabalha também em projetos na área de Comércio Eletrônico e Ensino a Distância (EaD).

46 comentários

  • 31/07/13  
    jhony diz: 1

    Thanks for heads up!!! Amazing podcast I’d like to congratulate you both.

  • 31/07/13  
    Maísa diz: 2

    Muito bom, Daniel. Penso da mesma maneira. Não temos um “switch” no cérebro para poder mudar de idioma de forma automática, não somos robôs. A língua materna, na minha opinião, até ajuda no aprendizado da língua estrangeira. Os paralelos tornam mais claras as estruturas do outro idioma. Super abraço.

    • 31/07/13  
      Daniel diz:

      Obrigado pelo comentário, Maísa! Abraços!

  • 31/07/13  
    Bruno diz: 3

    Could you guys put the casts in SoundCloud? O:

    • 31/07/13  
      Alessandro Brandão diz:

      Hi Bruno,

      It’s on my plans.

      Take care,

    • 31/07/13  
      Daniel diz:

      I also think it’s a great idea! ;-)

  • 31/07/13  
    Ronaldo Junior diz: 4

    Olá Alessandro e Daniel,

    Vocês estão de parabéns. Achei a discussão super interessante e pertinente. Sou professor de inglês em uma escola de idiomas há pouco mais de dois anos e, nessa entrevista, pude confirmar tudo aquilo que pensava e sentia quanto ao ensino da língua inglesa no Brasil.

    Na pouca experiencia que tenho pude notar o quanto a tradução traz confiança aos alunos, principalmente para os mais iniciantes. Entretanto, como o Daniel mesmo disse, a comunicação em inglês dentro de sala é extremamente necessária e não poderia nunca ser descartada.

    Acredito que o melhor seria achar um equilíbrio entre as duas teorias de ensino. Como professores, devemos nos adaptar a realidade do aluno no Brasil, por isso concordo com a tradução.

    Um abraço.

    Ronaldo

    • 31/07/13  
      Daniel diz:

      É isso mesmo que defendo, Ronaldo! Devemos usar o inglês como língua de comunicação oficial, e usar o português de forma pontual, para alguma explicação que irá economizar tempo e deixar o significado mais claro para o aluno.

      Grande abraço!

  • 31/07/13  
    Adriano Boff Matias diz: 5

    Congratulations for more this podcast!
    I’ve started to learn English like a self-taught student five months ago and now I am using Duolingo and English Experts websites for my studies, besides the teachings from Adir, Ana Luiza e Denilso’s websites. I just miss a more clear opinion about the Duolingo, specially about translations at that website. Who knows, could you do a interview with them? (I hope you understand me)

  • 31/07/13  
    Osmair Coelho diz: 6

    Legal esse podcast, eu utilizo o duolingo e é muito bom mesmo, parabéns pelo site e pelo pod cast

  • 31/07/13  
    Wellington Lorindo diz: 7

    Ufa, que alívio! Faz muito sentido a teoria do Daniel. Estudo atualmente em uma escola que defende essa teoria de não usar o português e que você deve aprender a pensar em inglês, mas eu nunca consegui fazer isso. Pra falar a verdade sempre traduzo algumas expressões que fico em dúvida e cheguei a conclusão que aprendo muito com isso, principalmente os tempos verbais.
    Excelente podcast! =)

    • 31/07/13  
      Daniel diz:

      Valeu, Wellington!
      É muito legal ler opiniões que validam minha teoria.
      Abraços, e bons estudos!

  • 31/07/13  
    Diego diz: 8

    Mais um excelente podcast. O tema abordado é muito interessante. Obrigado, Daniel por compartilhar seu ponto de vista.

    Quanto a ferramenta de aprendizagem Duolingo. Eu fiz o teste. É possível aprender. Já até indiquei para um amigo. O site é amigável e o conteúdo é bem estruturado. Qualquer pessoa consegue ir em frente sem grandes dificuldades. O ponto fraco da ferramenta, se é que posso dizer assim, são alguns exemplos – não parecem ser muito reais. De qualquer forma, é bem empolgante usar, lembra bastante o Babbel. Vicia rápido também. Há diversos conceitos empregados…

    Duolingo é nota 8.

    Obrigado pela dica, Alessandro.

  • 01/08/13  
    Dionatan diz: 9

    Otimo podcast galera,

    Utilizo o duolingo a um mes ou dois, o site é muito bom, um dos melhores gratuitos disponiveis em minha opinião.
    Sobre o seu comentario daniel em relação a pensar em ingles, concordo 100% com você, isso de pensar em ingles é muito empregado nas escolas, o que para mim nao faz sentido.
    Uma outra coisa daniel, suas palestras de ingles sao sempre voltadas a professores ou tambem ha alunos? voce as realiza somente em SP?

    grande abraço!!

  • 01/08/13  
    Crisaidi Bento Sodré diz: 10

    Great Experts! Hello!

    Eu costumo usar o português para as explicações de regras – é ‘muito’ mais eficaz – a memorização é melhor e não deixa dúvidas.

  • 01/08/13  
    Crisaidi Bento Sodré diz: 11

    Olá!

    Sobre o professor ser nativo ou não, a British Council fez uma pesquisa!

    Vejam artigo a respeito:

    ‘Melhores professores de inglês não são britânicos nem americanos’, diz linguista

    • 01/08/13  
      Alessandro Brandão diz:

      Oi Crisaidi,

      Eu já conhecia a reportagem, realmente muito interessante.

      Obrigado por relembrar aqui.

      Abs,

    • 03/08/13  
      johnny lobo diz:

      a página não foi encontrada.

  • 01/08/13  
    Loi diz: 12

    Muito bom como sempre Alessandro,
    Gostei muito do Daniel, ele nos conforta, desmistificando o ensino de inglês
    abraços

  • 01/08/13  
    Luciana diz: 13

    Olá!

    Não sei se alguém já falou sobre isso, mas a tendência de se dizer algo usando intonação de pergunta chama-se “uptalk” e ocorre também na Inglaterra e na Austrália.

    Para que quiser saber mais é só consultar os links que seguem:

    http://www.thefreedictionary.com/uptalk
    http://encyclopedia.thefreedictionary.com/uptalk

    • 02/08/13  
      Alessandro Brandão diz:

      Oi Luciana,

      Interessantíssimo, obrigado pelos links. Agora sabemos o termo correto para o fenômeno.

      Tks!

  • 02/08/13  
    Kleber Campos diz: 14

    Bom dia Alessandro.
    Interessante o podcast com o Daniel.
    Apesar de discordar de certas coisas ditas por ele, é sempre bom olhar a questão do ensino de línguas por um outro prisma para que não corramos o risco de pararmos no tempo e fircarmos presos a dogmas. Muito boa sua iniciativa pois na semana passada eu estava justamente conversando com a coordenadora da escola de idiomas onde trabalho, já que ela me questionou sobre a possibilidade de permitir que os alunos conversem em português em sala. Você já deve ter percebido que não sou favorável, mas após ter ouvido o podcast, achei interessante quando o Daniel diz que não defende a comunicação na língua materna em sala de aula, mas o uso pontual nas explicações. Talvez isso possa funcionar, mas ainda continuo a achar que não se pode dar muita liberdade ao aluno sob pena de ele recorrer constantemente à língua materna para se fazer entender.
    Um grande abraço e parabéns pelo seu trabalho.

    • 02/08/13  
      Alessandro Brandão diz:

      Oi Kleber,

      É exatamente esse o nosso objetivo, colocar o assunto em pauta. Como você disse “é sempre bom olhar a questão do ensino de línguas por um outro prisma”, isso mostra que você tem a mente aberta para ideias diferentes. Tenho certeza que seus alunos ganham com isso.

      Obrigado pelo comentário e pelos elogios!

  • 02/08/13  
    Kleber Campos diz: 15

    Oi Alessandro.
    Há previsão de postagem do podcast sobre preposições?
    Um grande abraço.

    • 02/08/13  
      Alessandro Brandão diz:

      Kleber,

      A parte 2 do podcast de preposições está em nossa lista, mas ainda não temos previsão de postagem.

      Obrigado pelo interesse e comentário.

  • 02/08/13  
    Gabriel Dantas diz: 16

    Olá gostaria de saber como baixar o podcast, pois estou apertando esse botão com DOWNLOAD podcast mas esta me direcionando para outra pagina e invés de baixar ele reproduz o podcast. Desde já, grato.

    • 02/08/13  
      Alessandro Brandão diz:

      Oi Gabriel,

      Clique com o botão direito no link de download e depois em “salvar link como…”, assim você consegue baixar o áudio para a sua máquina.

      Bons estudos!

  • 02/08/13  
    Alan Santos diz: 17

    Galera realmente é tudo o que eu penso como professor de inglês particular. Muitos dos meus alunos vem a mim por causa que não conseguem acompanhar essa metodologia rígida das escolas de idioma o certo é alternar com o português principalmente quando o aluno está iniciando.

  • 04/08/13  
    Gilberto Lúcio diz: 18

    Mais uma vez, um excelente trabalho. O professor Daniel Bonatti é um show a parte. Ele “deveria” participar mais vezes dos pods do EE. Eu iria perguntar sobre a parte dois do podcast de preposições, mas vi que o Alessandro já respondeu. Vamos aguardar então. Mais uma vez, obrigado e parabéns pelo belo trabalho!

  • 04/08/13  
    Thales diz: 19

    Such an astonishing site! ! !
    I feel bound to say that you guys (Ana, Alessandro, Adir among others) are amazing, just raised the bar…

    Brandão, would you mind explaining to me something a little bit boring/weird?

    I was wondering… just like “to want” the verb “to hope” is followed by the proposition “to”, right? Concerning about this rule, why do we say (so far as I know) “I hope you come soon” or just “Hope you come soon” (with no subject!) instead of “I hope you (to) come soon” just like in: “I want you to come soon”

    Hope you guys could get this for me…
    Best regards,

    Thales.

  • 05/08/13  
    Daniele diz: 20

    Eu acho que realmente o uso da língua materna pode ajudar no aprendizado, mas a tradução literal das palavras nunca irá. Eu não sou professora de inglês, mas é isso que eu sinto observando outros brasileiros falando inglês. Muitos pensam em português, usam expressões em português traduzidas literalmente para o inglês, que em inglês não fazem o menor sentido por exemplo. Eu, como brasileira, reparo o erro que estão cometendo e entendo o que estavam pensando em português para sair aquela frase em inglês. Mesmo se não estão usando uma expressão, às vezes usam uma palavra que a tradução literal seria aquela mas naquela frase em inglês não pode ser usada daquele jeito. Então, eu concordo que sim, a língua materna pode sim ajudar a ensinar a língua, mas acho que é importante você saber o que aquelas palavras querem dizer, em inglês ou português, mas não qual a tradução delas. Existe uma diferença grande que deve ser frisada ao discutir esse tópico, e também ao ensinar inglês. Mas eu entendi tudo que ele disse, eu acho que ele tem razão em quase tudo que falou, mas me incomoda usar a palavra “tradução” para ensinar – usar a língua materna não quer necessariamente dizer que a pessoa está usando tradução, como ele disse, só há uma associação.

  • 07/08/13  
    Valéria diz: 21

    Boa noite, Alessandro e Daniel!
    Adorei o podcast. Já é comprovado através de estudos científicos que a inteligência de uma pessoa se desenvolve na infância. Após essa fase, a pessoa descobre maneiras de como usar seu potencial de inteligência de forma eficaz. Por isso, Alessandro, vc fica admirado com o desenvolvimento intelectual do seu filho. Muitos pais chegam a pensar que o filho é superdotado, mas com o passar do tempo percebe que não é bem assim.
    Abraços!

    • 08/08/13  
      Alessandro Brandão diz:

      Oi Valéria,

      Você tem razão. Acho que todo mundo fica meio bobo com o primeiro filho.

      Obrigado pelo comentário!

  • 08/08/13  
    Stan diz: 22

    lembrando sempre que as famosas provas do Governo, como exemplo ENEM, provas de vestibulares, etc… mostram que a elaboração da prova de Língua Inglesa normalmente, além da necessidade da tradução de enormes textos(trechos) por parte dos estudantes. Observa-se ainda, grande utilização da língua Portuguesa, tanto para a formulação de questões como para a formulação das alternativas oferecidas, caso contrário o estudante poderá não obter bons resultados nas notas.

    um abraço!!!

  • 09/08/13  
    Samuel diz: 23

    Pessoal, parabéns pelo podcast. Muito bom.

    Uma coisa que percebo quando eu tento ler algum artigo “diretamente do inglês” ,sem traduzir, é que o conteúdo do artigo não fica fixado e logo me esqueço mais rapidamente do que li.

    • 09/08/13  
      Alessandro Brandão diz:

      Oi Samuel,

      A repetição é o “segredo”. Leia várias vezes e tente usar as estruturas e o vocabulário novo.

      Sucesso nos estudos!

  • 12/08/13  
    Edney Fernandes diz: 24

    Pessoal,

    Parabéns pelo podcast. Já acompanho por alguns meses e cada dia que passa eu aprendo um pouquinho mais. Obrigado pela iniciativa do EnglishExperts.

    Agora eu acredito que o fator muito importante para o aprendizado de um novo idioma é o fator Aluno, pois o aluno motivado ele aprende de qualquer forma.

    Abraços!

  • 12/08/13  
    urias diz: 25

    Olá, Alessandro!

    Meu sobrinho de 09 anos desistiu de aprender inglês, porque não entendia nada que professor falava em sala de aula.

  • 12/08/13  
    Stan diz: 26

    as opiniões foram bastante variadas…muito interessante esse fato…o que nos leva a refletir firmemente sobre esse assunto…bacana!!!
    bela iniciativa!
    tks Alessandro/E.E.team

  • 14/08/13  
    Richard Melchiades diz: 27

    Olá pessoal!
    Primeiramente gostaria de parabenizá-los pelo ótimo trabalho feito com os podcasts. Eles têm me auxiliado muito mesmo, e eu só tenho a agradecer.

    Ao terminar de ouvir esse episódio, eu me peguei rindo pq aquele sentimento de culpa, por não conseguir pensar em inglês e por isso não conseguir avançar com os estudos do idioma, realmente existe.
    Essa visão proposta pelo Daniel Bonatti, de que podemos sim usar a língua materna como um complemento nos estudos me tranquilizou um pouco.
    Parabéns e novamente obrigado, Alessandro!

  • 24/08/13  
    Gabriela diz: 28

    I’m a beginning teacher, and my first impression about this subject is that it’s way impossible to get rid of the use of Portuguese during the English learning process. It’s a “teacher’s feeling”… as soon as you get to know all the learning process, you realize how ridiculous is to make the students act like “babies” once they’re all grown-ups. haha By the way, great podcast :D Thanks!!

  • 31/08/13  
    Livonor diz: 29

    Esse negócio de não usar traduções é bom em teoria mais na prática é difícil, principalmente para um iniciante, é muito psicologicamente desgastante e estressante, creio que ir de pouco a pouco (taking baby steps) é uma abordagem bem mais efetiva e realista pois leve isso em consideração