Gap Year: Por Que Tirar o Ano Sabático?

Hey ya, how’s it going?

Você provavelmente já ouviu falar, ou já leu em algum lugar sobre aquele jovem que largou tudo e ficou um ano rodando o mundo. Além de dar aquela pontinha de inveja, você pode ter também pensado que aquilo não era feito para nós, meros mortais.

Tire suas dúvidas sobre os tempos verbais, baixe um guia grátis da Englishtown: Guia de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola. Clique aqui e saiba como baixar!

Afinal, com a economia brasileira que não anda muito bem das pernas, fazer uma aventura dessas, poderá comprometer todo o seu futuro.

E se eu te falar que não é tão impossível assim? Esse um ano de “folga” tem até nome: o Ano Sabático, ou Gap Year em inglês, é muito mais comum do que se possa imaginar! Então arruma as malas e vem comigo!

O que é o Gap Year?

O Gap Year, ou Ano Sabático, é um ano tirado para se dar “folga” da rotina. Normalmente ocorre antes de grandes mudanças na vida, como o período entre o fim do ensino médio e ingresso na universidade – como uma força de ganhar tempo e amadurecer sobre qual curso superior fazer – ou antes de um adulto ingressar no mercado de trabalho. Também é muito comum entre aqueles que querem dar uma “reviravolta” na vida e buscam um maior autoconhecimento. Também pode ocorrer após um grande trauma ou decepção, como no caso do filme Comer, Rezar Amar. As razões param se tirar um Ano Sabático são infinitas!

Como surgiu o Gap Year?

O Gap Year, como o próprio nome “sabático” em português já sugere, vem de tradições judaicas antigas. Se você não sabe, o shabat é considerado o último dia da semana, que, é o dia de descanso dos judeus. A palavra “sábado” é originada do shabat. Logo, um Ano Sabático é um ano todo de descanso!

Segundo as antigas tradições judaicas, além do sábado, a cada sete anos deveria ser tirado um ano todo de descanso. Assim, ninguém poderia trabalhar, as pessoas eram isentas de suas responsabilidades e todas as dívidas eram perdoadas. A terra poderia ser renovada após anos de cultivo e colheitas ininterruptas. Dessa forma, tinha-se a ideia de que, assim como a terra, as pessoas voltariam mais fortes, produtivas e renovadas.

Com o passar do tempo, a sociedade (judaica ou não) passou a incorporar o hábito como uma forma de renovação. E, atualmente, algumas empresas e universidades incentivam seus funcionários a tirarem um Ano Sabático para voltarem mais criativos e com as energias renovadas, com novas ideias e novo olhar sobre um mesmo assunto.

O Gap Year não é um capricho de gente rica?

O Gap Year ainda é visto como um capricho de gente rica, ou, como já li (pejorativamente) em um site: uma vagabundagem meditativa. Enquanto o Gap Year é extremamente incentivado em países europeus e na Austrália, encarado como uma forma de engrandecimento pessoal e amadurecimento, o Ano Sabático ainda enfrenta preconceito nas Américas.

É muito fácil de entender a raiz do problema: os países europeus e Austrália são países com boa infraestrutura, baixa taxa de desemprego, moeda valorizada e grande assistência do Estado. Dessa maneira, abandonar tudo e tirar um ano para si viajando pelo mundo soa muito atraente, uma vez que se tem a certeza de voltar e achar bons empregos e boa qualidade de vida.

gap year

Por outro lado, nas Américas, a realidade é um pouco diferente: o mercado de trabalho competitivo, altas taxas de desemprego e um diploma de curso superior como uma das únicas garantias de um futuro bem sucedido desencorajam jovens e adultos a se aventurarem pelo mundo, pois sabem que, ao voltarem para a realidade, nem tudo será um mar de rosas. Logo, pensa-se que tem é preciso ser muito rico para largar tudo em nome do Ano Sabático, ou que um ano de folga para renovação é capricho. Contudo, não é bem, assim…

O que fazer durante um Gap Year?

Você tem um ano de folga apenas para você mesmo! Use esse tempo para o que achar melhor: aprender um novo idioma, desenvolver uma nova habilidade – dança, yoga, surf.

Normalmente o Ano Sabático é utilizado para viajar (juntamente com o aprendizado do novo idioma e o desenvolvimento de uma nova habilidade). Você pode optar por ficar um ano viajando pelo Brasil. Ou um ano viajando pela América do Sul… Ou um ano viajando pelo mundo. Tudo é possível!

Quem já se sentiu 100% satisfeito com o trabalho ou a escola a ponto de não querer mudar um pouco a rotina? Então o lema é: sair da rotina. Se for pra ficar um ano de folga fazendo as mesmas coisas que normalmente faz, perde-se o sentido de Gap Year.

Pode parecer loucura, afinal, quem tem tanto dinheiro para ficar um ano viajando pelo mundo? Quase ninguém! E as pessoas deixam de tirar o ano sabático por causa disso? Não!

gapyear2

Então, normalmente você economiza o suficiente para se manter por um mês, compra todas as passagens possíveis com antecedência e o resto é (quase) no estilo “deixa a vida me levar”… Porém é necessário muito planejamento prévio: conferir lugares onde é preciso de visto ou não, o valor médio de gasto em cada lugar.

Além disso, a maioria das pessoas que optam pelo Ano Sabático acaba trabalhando nos albergues que ficam para ganharem uns trocados e ir pagando os gastos da viagem, ou trabalham de garçons pelas cidades que passam, tocam em bares ou trabalham em fazendas orgânicas (muito comum na Austrália, as fazendas recebem jovens por pequenas temporadas, 4 a 6 semanas, em troca de uma boa quantia de dinheiro que dá pra se manter pelos próximos três meses!).

Por fim, você pode ser voluntário em vários países, ensinando português para crianças na África, ajudando pessoas no Nepal, socorrendo crianças carentes na Índia, dando aulas de educação física para instituições de caridade na Bolívia e no Brasil.

Por que tirar um Gap Year?

Como já expliquei antes, o Ano Sabático é uma jornada de autoconhecimento. As possibilidades de atividades durante um ano sabático são infinitas.  Ou simplesmente você pode fazer nada e só viajar! Não é fascinante?

Um Gap Year traz engrandecimento pessoal e ajuda a desenvolver habilidades que, muitas vezes, a realidade não permite que elas sejam exploradas e que serão de grande utilidade para sua futura carreira e nas relações interpessoais:

1. Você aprenderá a ser independente. Imagina estar sozinho pelo mundo, sem família nem amigos por perto? O jeito é se virar! Estar longe de casa faz com que sejamos mais independentes em relação a nossas atitudes. É você quem deverá arrumar uma maneira de gerenciar seu dinheiro e se acabar, é você quem deverá arrumar uma maneira para trabalhar e conseguir mais para se manter ao longo da viagem.

2. Você será responsável por suas escolhas. Não tem pai, mãe e colegas perto para te falar se o que está fazendo é certo ou errado e as escolhas são unicamente suas. Não há como culpar ninguém pelo seu sucesso ou fracasso a não ser você mesmo.

3. Você sairá da zona de conforto. É muito fácil estar em uma cidade onde todos falam o mesmo idioma que o seu. Ir para o mesmo trabalho todos os dias ou frequentar a mesma escola / faculdade. Todos se conhecem e há uma enorme rede de contatos. Viajar sozinho por um longo período de tempo significa passar perrengues, dos mais difíceis. Você será obrigado a aprender um pouco do idioma local, adaptar a uma nova cultura e alimentação, a costumes e pessoas e isso nem sempre é fácil.

4. Você aprenderá mais sobre o mundo e perceberá o quanto ainda há para se explorar e se aprender! O sentimento de consciência global faz com que sejamos mais solidários com o próximo e que não somos os únicos a enfrentar problemas. Em todo lugar há alguém passando necessidade, precisando de ajuda e talvez seja você a pessoa que poderá ser útil!

5. Você enfrentará desafios. Tenho uma amiga que durante um ano sabático tomou água contaminada na Turquia e ficou semanas internada no hospital; outro amigo que fez o ano sabático com seu best friend que tinha acabado de se curar de um câncer, mas que após três meses de viagem faleceu e esse meu amigo seguiu viagem mesmo assim. Cada lugar que você vai, imprevistos podem acontecer e cabe a você saber enfrentar esses desafios. Uma vez preparado para desafios como esses, estará pronto para enfrentar qualquer coisa em um mercado de trabalho competitivo!gapyear1

6. Você aprenderá a ser organizado. É impossível tirar um ano sabático sem ser organizado! É necessário de um a dois anos para planejar e juntar dinheiro e, ao longo da viagem, enorme organização com o dinheiro que tem – de quanto precisa gastar, se precisará trabalhar nos lugares que visita para se manter e se o dinheiro vai dar até o fim da viagem – e com seus pertences também! Ninguém quer ir perdendo coisas por cada lugar que passa, não é?

7. Você aprenderá a se conhecer melhor. Não há melhor maneira de se conhecer melhor que convivendo com você mesmo. Viajar sozinho irá te proporcionar uma enorme experiência e autoconhecimento. Você saberá, com o tempo, dizer exatamente aquilo que gosta e não gosta, atitudes que te agradam e desagradam e, acima de tudo, a hora certa de dizer sim ou não para as pessoas.

8. Você aprenderá um novo idioma ou novos idiomas! A não ser que seu Gap Year seja todo dentro do Brasil, viajar um ano pelo mundo irá te proporcionar a experiência de comunicar com várias pessoas de vários lugares do mundo, e garanto que Português não será a única língua que irá falar! Assim, o inglês ajudará como uma língua universal, que abrirá portas (e sorrisos) para os lugares que visitar e, se ainda sobrar tempo e disposição, aprender um pouco do idioma local também conta como parte da experiência e aquisição de novas habilidades.

9. Você voltará mais preparado para ingressar na universidade / mercado de trabalho. Mesmo que algumas pessoas ainda vejam o Ano Sabático como capricho, grandes empresas buscam por profissionais com diferenciais e um Gap Year é perfeito para ser colocado em seu currículo! Grandes empresas procuram profissionais criativos, que pensam fora do lugar comum e que não tem medo de arriscar. Quem melhor que uma pessoa que tirou um Ano Sabático para preencher esses requisitos? As empresas veem com bons olhos as pessoas que tiraram um Gap Year, pois sabem que são pessoas antenadas, que pensam de maneira diferente e que não veem problemas em enfrentar desafios. Afinal, quem encarou perrengues numa viagem vai se amedrontar com um probleminha no trabalho? Já na universidade, o jovem ingressa mais maduro e há menos possibilidade de ser influenciado negativamente por outros colegas, uma vez que o jovem se conhece o suficiente para saber o que quer e o que não quer e não hesitará em dizer não. A postura do estudante é confiante e contará muitos pontos com os professores.

10. Você mudará a perspectiva que vê as coisas. O olhar de quem já viajou o mundo, conheceu novas pessoas, novas culturas, que enfrentou desafios e passou alguns maus bocados é bem diferente de quem esteve sempre em sua zona de conforto. O olhar em relação ao mundo modifica. Você será capaz de resolver um problema que muitas pessoas não acham solução, sua criatividade estará mais aguçada, assim como seu senso de liderança.

11. Você se tornará uma pessoa proativa. Você quem terá o controle sobre sua viagem. Coisas legais acontecerão ou não se você permitir e se organizar para isso. Tomar iniciativa para ir atrás de um emprego temporário, para dar o primeiro passo e puxar papo com pessoas desconhecidas ou inovar na solução de um problema serão tarefas que caberão a você fazer ou não. A execução dessas tarefas definirá como será sua viagem. Você pretende voltar com boas ou más lembranças?

gapyear4

O Gap Year, ou Ano Sabático, é uma ideia tentadora aos olhos de muitos. Às vezes soa como uma fantasia muito distante da nossa realidade e podemos achar que seja impossível de acontecer, mas não é! Organização, determinação e programação prévia são as chaves para tornar esse sonho real!

E você, já tirou o seu ano de folga da vida? Pretende fazer? Conte aqui nos comentários e vamos compartilhar experiências e desejos!

Espero que tenha gostado e até a próxima!

Aplicativo para Ampliar o Vocabulário

Você tem dificuldade para se lembrar das palavras, phrasal verbs e expressões em inglês? Conheça o "Meu Vocabulário: Um aplicativo para ampliar o seu vocabulário em inglês" e veja como nossa equipe resolveu esse problema definitivamente.

Receba mais dicas de inglês como esta por E-mail, Twitter, RSS feed ou Facebook.

37.jpg

Camila Oliveira

Camila gosta de viajar, conhecer lugares, pessoas e culturas, ouvir música, sentir aromas, degustar sabores, saborear a vida, aprender novos idiomas. Não quer criar raízes, pois sabe onde é o seu lugar: o mundo.

7 comentários

  • 20/11/15  
    vitor boldrin diz: 1

    hahaha os anos sabáticos que tirei foi devido a minha depressão q me fez e faz ficar em casa por 4 anos.
    vc já fez isso?
    parece que vai muito dinheiro em fazer isso?
    como dizer fazer /tirar gap year em inglês?

  • 23/11/15  
    Nancy diz: 2

    Happy person who gets take a Year Gap. Unfortunately, It´s impossible for me to take a Year Gap, but if I win the lottery I´ll take a Year Gap immediately.
    Have a nice day!

  • 26/11/15  
    Roberson diz: 3

    I totally agree with Nancy said.. “If I win in the lottery I’II take a Gap Year”

  • 26/11/15  
    Fabíola diz: 4

    O assunto tinha tudo para ser interessante se não tivesse um foco tão juvenil. Quem preciso de um ano sabático aos vinte e poucos anos, deve mesmo rever conceitos. Anos sabáticos são para quem já possui uma bagagem e precisa exatamente “esvaziar-se” dela. No sentido de novo preenchimento. Estou nessa. Preciso de um ano assim para aprender inglês, algo difícil no meu dia a dia. Mas na minha conta, tem casamento, filhos, divórcio, moradia em vários Estados brasileiros e por ai vai. Ser desencanado e tirar um ano sabático por isso é perca de tempo.

    • 26/11/15  
      Camila Oliveira diz:

      Hey Fabíola! How are you?
      Muito bom o seu ponto de vista.
      O Ano Sabático é muito comum entre os jovens, contudo o motivo pelo qual eles fazem isso não é pelo “excesso de bagagem”, mas justamente pela falta dele! Muito jovens saem do ensino médio muito presos à família, sem saber se virar e não tem qualquer independência, portanto, o Ano Sabático para esse público acaba sendo uma forma de amadurecimento, uma vez que são obrigados a se tornarem responsáveis e donos de suas próprias decisões.

      Quem tem mais de 20 e poucos anos encontra-se em uma fase relativamente estável, porém o peso que o cotidiano traz, faz com que queiram mudar de vida e rotina, mais ou menos como você disse! Tirar um Ano Sabático quando se tem todo uma estrutura em casa (cônjuge, filhos e emprego) é bem mais difícil… Já o Ano Sabático entre pessoas aposentadas está se tornando muito comum, uma vez que aposentados tem mais tempo livre e é uma forma de rejuvenescer e aproveitar melhor essa fase!
      Espero que você consiga aprender inglês viajando, será maravilhoso!
      See ya! =)

  • 27/11/15  
    Edneia diz: 5

    Hello! How are Camila?
    Eu adorei o tema! Eu gostaria de tirar um Gap Year, mas eu sou um pouco medrosa e além disso eu tenho um pequeno de 3 anos e um esposo. Sendo assim fica um pouco mais difícil de se “aventurar”. Todavia, acredito que não seja algo impossível de se fazer. É uma ótima ideia, principalmente pra quem busca uma experiência diferente. Parabéns pelo artigo! Um grande abraço. See you.

  • 14/12/15  
    Katrin diz: 6

    Muito legal essa postagem e é o que realmente estava precisando…dicas de um ano sabático. Vou fazer um intercâmbio na Inglaterra e vou aproveitar a minha estadia para tomar um curso de inglês em Londres. Eu sempre tive o sonho de ir a Londres e tb sei que fazer um curso de inglês na Inglaterra é a melhor maneira para eu conseguir a fluência no idioma. Vou estudar numa escola no centro da cidade, Sprachcaffe, onde vou estudar 1 ano. Deixo aqui a dica da escola http://www.sprachcaffe.com/portuguese/study_abroad/language_schools/london_city/main.htm . Estou ainda planejando o meu intercâmbio em Londres e tb quero conhecer outras cidades como Paris, Roma e Berlim. Suas dicas são perfeitas