Mico cometido por um gringo de férias no Brasil

BonesSe você acha que apenas nós brasileiros damos mancadas diante do inglês, confira abaixo a história de um mico cometido um gringo de férias no Brasil. O texto abaixo foi enviado pelo leitor José Luiz em um comentário.

Na saída de Poconé, portal do Pantanal e início da rodovia Transpantaneira, tem um cemitério, e ao lado uma loja de artesanato e souvenirs do Luís ou Carlos, que vende “BONES” com frases do Pantanal. Ele mesmo me disse que certa feita, um estrangeiro (foreigner) chegou curioso a ele perguntando se realmente vendia ossos humanos, haja vista o cemitério ao lado. Rs! Não sabia o turista estrangeiro o que era “bonés” em Português, sabemos que a mesma palavra em inglês significa “ossos”. SUGESTÃO aos turistas: Aprender um pouco de Português também evita micos!

Tire suas dúvidas sobre os tempos verbais, baixe um guia grátis da Englishtown: Guia de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola. Clique aqui e saiba como baixar!

José Luiz, obrigado pela colaboração.

Se você souber uma história de algum mico parecido, envie nos comentários. Quem sabe sua contribuição não vira um post.

Thank you in advance!

Aplicativo para Ampliar o Vocabulário

Você tem dificuldade para se lembrar das palavras, phrasal verbs e expressões em inglês? Conheça o "Meu Vocabulário: Um aplicativo para ampliar o seu vocabulário em inglês" e veja como nossa equipe resolveu esse problema definitivamente.

Receba mais dicas de inglês como esta por E-mail, Twitter, RSS feed ou Facebook.

34.jpg

Alessandro Brandão

Alessandro Brandão é coordenador do English Experts e do Fórum de idiomas. Trabalha também em projetos na área de Comércio Eletrônico e Ensino a Distância (EaD).

18 comentários

  • 04/04/08  
    J. Colin diz: 1

    Bem, mas se o vendedor soubesse um pouco de Português, ele teria escrito BONÉS, com acento. Talvez assim, o turista perceberia que não se tratava de uma palavra em inglês. Ou vai ver, o turisto estava zoando o vendedor por escrever português errado.
    hehe :)

    Abraços!

  • 04/04/08  
    J. Colin diz: 2

    Todos os brasileiros “deslizam” no idioma Português. Assim como vários americanos desconhecem muitas regras gramaticais de inglês.

  • 04/04/08  
    Alessandro diz: 3

    Você está certo Colin. Agora só mesmo o José Luiz para esclarecer se a palavra estava escrita com ou sem acento. Vamos aguardar!

    Obrigado pelo comentário.

    Abraço,

  • 05/04/08  
    kyhetha* diz: 4

    HUAHUAH

    olha, o mico desse ai foi aqui pertinho de casa! hahaha

    moro em cuiabá… pertinho de poconé \o/

  • 06/04/08  
    Cecília maria de Melo Stuart do Carmo diz: 5

    Lendo a história do José Luiz, também me lembrei de uma muito engraçada. Sou professora no Brasil e nos EUA. E quando um dos meus estudantes de português que vive nos EUA veio a Minas participar de um curso na Universidade Federal para aperfeiçoar a língua portuguesa, ia muito bem nas classes, mas quando estava de compras era um ‘mico’ atrás do outro. Um dia, ele chegou numa loja de roupas e pediu uma camisinha para experimentar e o vendedor disse que era melhor ele procurar uma farmácia. Meu aluno insistia e custou a entender que ‘camiseta’ não é ‘camisinha’ e que esta seria em inglês um “condom”, que se compra na farmácia. No final da história foi um vexame só. Ele saiu rapidinho e até hoje da gargalhadas de como se desculpou meio sem jeito ao saber da confusão de palavras. Que mico!

  • 08/04/08  
    Alessandro diz: 6

    Qualquer hora alguém irá colocar um osso na cabeça. Hehe

  • 11/04/08  
    Dicas de Inglês :: Mico da feijoada diz: 7

    […] pessoal, o mico abaixo foi enviado pela leitora Gabriela […]

  • 11/04/08  
    José Luiz diz: 8

    Alessandro! Legal o novo post, mico todos cometemos, qq dia escreverei minha confusão (mico meu) numa aula da Cultura Inglesa tratando do assunto “Halloween”, fica pra outro dia. Mas pra tirar a dúvida, havia sim uma placa com a palavra “BONÉS” acentuada, e o valor deles. Eu quem “esqueci” de acentuar no meu texto, objetivando visualização de estudantes naquilo que queria dizer. Alongando um pouco mais, o “Luisão” ou “Carlão”, apelido do proprietário da loja, na época, disse-me que depois disso retirou a PLACA DE PAPELÃO com o valor (tipo “BONÉS – R$10,00), para evitar possiveis micos de outros estrangeiros, já que a loja era e ainda deve ser bastante procurada por turistas brasileiros ou estrangeiros…mas com ou sem acento, prum alien, até fazia sentido, pq a loja dele fica exatamente ao lado do cemitério. Hyhetha de Cuiabá deve conhecer a loja…aliás tb morei ai em Cuiabá no Rec. Pássaros/Coxipó. Voltarei de mudança ano que vem. Um abraço a todos. Essa da camisinha foi demais!!! rs!

  • 11/04/08  
    Alessandro diz: 9

    José Luiz,

    Obrigado por voltar aqui e esclarecer a dúvida. Agora ficou mais do que explicado. Volte sempre!

    Abraço,

  • 25/04/08  
    margareth diz: 10

    O título do post
    Ficou estranho… “Mico cometido um gringo de férias no Brasil”.
    Poderia ser
    “Mico cometido: um gringo..”
    “Mico cometido por um gringo..”

  • 25/04/08  
    Alessandro diz: 11

    Margareth,

    Realmente estava faltando a palavra “por” no título. Já foi corrigido. Obrigado por avisar.

    Abraço,

  • 18/05/08  
    Adilson diz: 12

    Muito interessante, o quanto é dificil aprender um idioma diferente.

  • 03/06/08  
    Ariovaldo diz: 13

    Nossa, quanto mico! Lembrei de um amigo meu que achou que só com um dicionário dava pra encarar um passeio à Florida. Em sua primeira refeição no hotel pediu um café e
    enquanto a garçonente enchia a chícara ele gritou: “arrive, arrive!! (chega) Hehehe… Isso foi um gorila e não mico!!
    Abraço gente.

  • 09/06/08  
    AltairGhizoni Koch diz: 14

    Vai essa: “Desculpem-me se a escrita estiver incorreta pois sou principiante
    O Presidente Dutra “Eurico Gaspar Dutra” visita o Presidente dos Estados Unidos, o Truma. Este o saudou falando:” How do you do Dutra!” Ao que Dutra respondeu: “Tu tu iu tu truma!”
    Hehehe

  • 17/06/08  
    Nath diz: 15

    Muito boma essa!!
    Me lembrou uma história q aconteceu comigo…

    O Mico Do Palavrão

    Certo dia minha mãe disse q na outra semana chegaria um amigo inglês do meu irmão.Até aí tudo bem.Ele chegou bem na hora q eu e meu irmão nos xigavá-mos,então eu gritei:
    – Mais q Caralh*
    E o tal gringo se apaixonou pela palavra.Tanto q fomos no Parque do Ibirapuera – SP e compramos sorvetes,o grigo agradeceu ao homem falando calmamente:
    – “Mâs qué carralhu”[sotaque inglês]
    O homem dos sorvetes ficou muito bravo foi o maior “piti”,meu irmão ficou tentando acalma-lo enquato o grigo ficava com a maior tranquilidade chupando o sorvete.

  • 09/02/09  
    luiz benedito costa diz: 16

    J.colin sou o dono do atellier e nao houve erro de portugues e sim um mico voce esta precipitando em seu depoimento , qdo vir ao pantanal visite o atellier do luizao , tem outros micos de gringo que vou lhe contar , abraço

  • 21/02/09  
    Lauro Batista diz: 17

    Geralmente, quando adolescentes do Exchange Student Programs vão para o exterior, ficam anciosos para de imediato falar o idioma daquele país. Eu trabalhava para o Consulado do Brasil nos Estados Unidos (un deles) e presenciei vários casos engraçados. Um dêles: Um garoto de 14 anos chegou no Consulado com seu “pai americano”, assim: ãom, ãam. ahhhh, ahhh, como dizzz, ãomm en portuguesss, ãomm. Então perguntamos a êle: filho quanto tempo você está aqui em Chicago? então o garoto respondeu que havia só 3 mêses assim: ãomm, ahhhahhh, como treis messsiss. O Consul lhe disse: Olhe filho, eu tenho 32 anos que moro nesse país e não falo com sotoque de gringo e conservo o meu sotaque de carioca. Você só tem 3 mêses e já esqueceu o português sem aprender ainda o inglês. Cuidado pra você não ficar mudo. Envergonhado, o garoto ficou tão quanto downcast e vermelhinho.

    Tenho outros “causos” muito engraçados.

  • 13/04/10  
    Ricardo Gsellmann diz: 18

    Eu trabalhava numa multinacional aqui no Brasil e havia um gerente americano, penando para falar português já há alguns anos.

    No final de um curso de liderança e relacionamento, a instrutora pede para que os participantes resumissem em uma só palavra o que achavam mais importante no relacionamento. Cada vez que um falava o grupo todo em silêncio escutava e passava-se a vez para próximo. Eis que qntão chega a vez desse gerente e ele fala em alto e bom som: Linguiça… na verdade ele queria dizer linguistica… foi duro aguentar para não rir…