Morar no exterior não é sinônimo de falar inglês fluente

Passar um período fora do Brasil para aprender a falar inglês é a escolha de muita gente que precisa se aperfeicoar no idioma. O mito é que basta sair do Brasil e passar alguns meses fora para voltar falando fluentemente. Infelizmente não é tão simples quanto parece.

Julio César mora em Londres há 4 meses. Antes, morou por mais de um ano em Portugal – o que explica porque ele diz “casa de banho” no lugar de banheiro. Ele trabalhava como ator dublê no Brasil e sonha em fazer o mesmo pela Europa. Enquanto isso, trabalha na cozinha de um restaurante brasileiro.

Tire suas dúvidas sobre os tempos verbais, baixe um guia grátis da Englishtown: Guia de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola. Clique aqui e saiba como baixar!

Tire suas dúvidas sobre Intercâmbio e troque experiências com quem já participou

A história de Júlio é parecida com a de muitas pessoas que saem do Brasil. Por causa do alto custo de vida em cidades como Londres ou Dublin, não é possível escolher por muito tempo o tipo de trabalho que vai fazer: faxineiro, ajudante de cozinha, garçom, pedreiro… essas são algumas das profissões mais comuns entre brasileiros no exterior, mesmo aqueles com diploma universitário. Assista no vídeo abaixo a mensagem do Júlio:

A boa notícia é que em qualquer um desses trabalhos a pessoa consegue se sustentar e ainda muitas vezes sobra dinheiro para fazer viagens pela Europa. A má é que a pessoa que só trabalha e não estuda dificilmente vai voltar para o Brasil falando inglês fluentemente, mesmo que fique alguns anos no morando fora.

Entre os fatores que dificultam o aprendizado do inglês no exterior estão:

  • Excesso de trabalho. Em muitos países da Europa o salário é pago por hora, o que incentiva as pessoas a trabalharem longas horas para juntar dinheiro, viajar, comprar eletrônicos ou ajudar os familiares no Brasil. Com tanto trabalho, sobra pouco tempo para se dedicar ao aprendizado do inglês.
  • Os colegas do ambiente de trabalho são, em grande maioria, estrangeiros que também estão tentando aprender o idioma. Por causa disso, muitas vezes aprende-se inglês gramaticalmente incorreto e vocabulário restrito.
  • Poucas escolas de inglês no exterior são sérias. A maioria não tem um bom sistema de ensino e de avaliação do aluno.

Esses três itens formam um círculo vicioso, em que a pessoa trabalha para manter o padrão de vida e não se aperfeiçoa no idioma. Para fugir desse círculo, é essencial reservar um tempo para o estudo e lembrar que inglês não se aprende por osmose.

Sobre a Autora: Paula Albocino mora em Londres e trabalhou como garçonete durante dois anos em Dublin e na Itália. Atualmente trabalha para como Relações Públicas online para os cursos de inglês Englishtown.

Aplicativo para Ampliar o Vocabulário

Você tem dificuldade para se lembrar das palavras, phrasal verbs e expressões em inglês? Conheça o "Meu Vocabulário: Um aplicativo para ampliar o seu vocabulário em inglês" e veja como nossa equipe resolveu esse problema definitivamente.

Receba mais dicas de inglês como esta por E-mail, Twitter, RSS feed ou Facebook.

25.jpg

Autor Convidado

Este artigo foi escrito por um Autor Convidado do English Experts. Confira o nome do autor no rodapé do texto acima. Seja um colaborador, clique aqui e saiba como participar.

29 comentários

  • 08/03/10  
    Flávia Magalhães diz: 1

    Não, não é sinônimo. Diria até que é um grande risco, uma vez que muitas dessas pessoas que aprendem a “se virar” no exterior voltam pra cá e… “o quê? tá difícil arranjar emprego no Brasil? os salários são muitos baixos? ah! Então vou dar aula de inglês!” (e pobrezinhos dos alunos dessa criatura).

  • 08/03/10  
    NilmaBostonRio diz: 2

    Wow! perfect!
    So quem vive no exterior sabe e vive a realidade escrita nesse artigo…

    Quando cheguei na America, a primeira coisa que procurei foi uma escola publica para me matricular e estudar, but…

    Eu ja era maior de idade, nao falava ingles, entao eu teria que pagar uma escola particular.

    Mas como eu nao tinha money, tinha que trabalhar para viver aqui, e aconteceu exatamente o que diz este artigo:
    ” a pessoa trabalha para manter o padrão de vida e não se aperfeiçoa no idioma “.

    Sem contar que, ainda que o nosso patrao seja americano, os colegas de trabalho sao estrangeiros aí ja viu ne… ingles basico ( de sobrevivencia ) e com ACCENT! rsrsrs

    Nesse caso, tive que estudar por conta propria para aperfeicoar o maximo o meu English.

    Ah! a vantagem de se viver aqui e que: nao ter dinheiro para estudar ou comprar livros NAO E DESCULPA para nao estudar o ingles, sabe porque? Explico:

    * Aulas GRATIS por voluntarios, nas igrejas e organizacoes sociais. Voce so tem que adaptar o seu tempo ( TEMPO: esse e o problema exposto neste artigo ).

    TODA cidade tem bibliotecas publicas que, ao se cadastrar, voce tem o livro que quer ( de ingles ou nao, Cds, DVDs, enfim, TUDO relacionado a cultura ).

    A MAIORIA das Bibliotecas Publicas, da aulas de ingles por intermedio de voluntarios.

    Conclusao:
    Se administrar O TEMPO, é possivel improve your English, otherwise… como diz o titulo deste topico: se vai morar no exterior sem ser fluente no idioma nativo.

    by @NilmaBostonRio

  • 09/03/10  
    jaison diz: 3

    Concordo plenamente com o artigo. Eu moro a 3 e meio na Nova Zelandia, no comeco era so trabalho e trabalho , entao depois do terceiro ano comecei a me dedicar seriamente ao estudo da lingua inglesa, ai sim comecei realmente falar ingles e nao apenas me comunicar.

  • 09/03/10  
    maryziller diz: 4

    I enjoyed your post Paula Albocino, and it realistically depicts the situation of people who come to an English speaking country without making the necessary preparations first.

    It is important to know where you are going to stay (hospedar) and enroll in a language learning opportunity (au pair position or language school).

    Skype, paltalk, study.com, youtube, and wiziq are viable free alternatives to living abroad and they are free. And of course, this excellent blog! :)

  • 09/03/10  
    Genesis diz: 5

    Gostei muito da matéria. Estou planejando morar por algum tempo fora do Brasil justamente para adquirir fluência. A princípio pensava que apenas estar fora do Brasil era suficiente, mas sei que é preciso fazer mais. A minha grande dúvida é quanto ao tipo de curso devo escolher para aperfeiçoar o meu inglês que é nível intermediário. Dicas? Abraços

  • 09/03/10  
    Marcio diz: 6

    Com certeza !

    este também foi meu caso…
    sai do Brasil “falando” o ingles da escola.
    foi bom para me comunicar no inicio, mas muito pouco para quem pretende se estabelecer.

    moro em Amsterdam a 3 anos e no meu primeiro ano aqui trabalhei com Turcos que mal falavam a lingua inglesa também.
    nos comunicavamos através ,do que costumava chamar , Ingles de indio.rsrs.
    tipo ,nao usavamos o Do,Does nas perguntas.
    o verbo sempre no infinitivo, etc…
    mas eu sempre tive acesso a internet e ao English Experts ,assim como outros meios de aprendizado online ,me ajudaram muito.

    Hoje meu ingles ainda nao é fluente ,principalmente ao falar(pensar em ingles)mas ,
    ja entendo e leio como se fosse o portugues.

    morar aqui ajuda e MUITO no aprendizado, mas o estudo é essencial.

    aproveito para agradecer a todos voces que cooperam com o site.

    Valeu!

  • 09/03/10  
    Wallace Santos diz: 7

    I couldn’t agree more with this topic, I believe that if you intend to go abroad just imagining in fortune and not thinking about studying, you’d better think twice, cause there, things are not a piece of cake if you don’t speak English.

    P.S. I’ve never been to another country, but I intend to. I’ve been studying English for 6 years here in Brazil.

  • 09/03/10  
    MARIZA ALVES diz: 8

    Ótimo artigo! Mostra a realidade para todos, inclusive eu, que pensava que ficaria alguns meses lá e voltaria quase uma americana nata.

  • 09/03/10  
    luis coelho diz: 9

    Pelo visto o amigo Julio vai ter que ralar muit mas muito mesmo para poder alcançar o objetivo dele.
    Sorte pra ele.

  • 09/03/10  
    luis coelho diz: 10

    Em 1987 eu passei quase 1 ano no exterior, trabalhando e o inglês intermediario que levei do Brasil me ajudou bastante mas nao consegui estudar la pq so trabalhava. Em 2008 passei 2 meses estudando ingles na VEC de Vancouver e melhorei bastante mas ainda nao sou fluente na lingua.Agora estou com vontade de estudar em NY um tempo maior para pegar a fluencia de vez. Estudo sempre em casa e sei que aprender a falar ingles não e facil. Eu conheço gente que mora ha 20 anos nos USA e se comunica mas nao fala corretamente mas eu quero me comunicar falando corretamente por isso estou estudando bastante e um dia eu chego la.

  • 09/03/10  
    almir alves de menezes diz: 11

    Olá eu gosto muito das dicas que recebo pois tem me ajudado muito. Observo que minha dificuldade no inglês mais do que todas as outras que eu venha ter esta na parte auditiva, tenho diculdade de entender o que escuto em inglês então se você tiver uma dica te agradeço.
    Obrigado

  • 09/03/10  
    João B. L. Ghizoni diz: 12

    Flávia, how nice that you mentioned that topic. I’m fed up with people who don’t have the necessary preparation for teaching English (especially pedagogy – not only this, of course!) and just because they’ve lived there for some time they (and some others) think they’re able to “teach English”.

    Having lived in another country doesn’t enable anyone to be a teacher. One has to have the necessary preparation for that noble job.

  • 09/03/10  
    Diego Romero diz: 13

    Olha nao tiro uma virgula do que disse a Paula. Morei por um ano na Nova Zelandia e o cenário era bem esse.

    Além disso, costuma-se criar os ciclos de amizades em torno da brasileirada ou da galera q aprende o idioma tbm! O negócio é fugir! Eu, apesar de ter ido com um amigo brasileiro, fiquei por 6 meses numa rotina regrada de estudos e trabalho….porém, logicamente, com festas e baladinhas, afinal tbm sou filho de Deus.

    O curioso é q para sair desses chamados subempregos, o diferencial é o ingles…ou seja cria-se ai um ciclo que precisa ser quebrado para realmente fazer de sua experiência internacional mais do que uma simples viagem.

  • 09/03/10  
    Márcio Silva diz: 14

    It’s really really difficult, just remains to us to study so much..

  • 09/03/10  
    EDDY diz: 15

    a minha pergunta é a seguinte,tenho o objetivo de trabalhar na copa do mundo 2014 com interprete vcs acham possivel estudando pela internet, como devo estudar ?
    obrigado:
    eddy

  • 09/03/10  
    Elvio diz: 16

    Considero isso como fator cultural de nos Brasileiros, se sair do Brasil ficarei rico, se for para os Estados Unidos aprenderei ingles, sempre o tao famoso jeitinho aparece para tentar encurtar as distancia e a dificuldade das coisas, a ordem natural de se aprender nao ‘e e nem nunca sera essa !

  • 09/03/10  
    Daniel Gady F. de Carvalho diz: 17

    As you guys have mentioned above, an international experience does not necessarily means that you´ll automatically be fluent in English, for instance.

    Firstly, due to the fact that Brazilian people can be easily found in everywhere (easier than Asian people rsrs) , then we start only coexisting with Brazilians , and finally ignoring the language which we had aimed to learn or improve…

    I’ve been living in Cracow – Poland (Cracovia – Polonia em portugues) for 1 yr and a half and even here there are many Brazilians.(ate’ na Polonia ja esta cheio de brasileiros!! rs). Fortunately I work in a multinational I.T. company and I just started a new bachelor course at the “Cracow University of Economics” (em ingles e’ claro, porque o meu polones ainda tem muito o que evoluir rs)

    Estudo ingles já faz um bom tempo, tenho que usar inglês, espanhol e polonês o tempo todo! Mas quanto mais eu aprofundo meus estudos nessas linguas, percebo que ainda tenho muito que aprender…

    Sei que meu inglês não é perfeito, mas quem precisar de alguma ajuda ou simplesmente quiser pratica-lo pode contar comigo.
    danilgady@gmail.com

    *esse site é incrível, gostaria de escrever um artigo aqui algum dia se possível.

    Cheers

  • 09/03/10  
    Tiago diz: 18

    Boa noite a todos!

    É muito bom ler as contribruiçoes das pessoas na seçao de comentarios.

    Bem, com estas informaçoes tanto de quem vive fora ou no Brasil querendo estudar e aprender a falar ingles fluentemente.
    Ajuda a entender a realidade e desfazer ilusoes que por fim nos prende e nos limita a alcançar o tao querido sonho.

    E tem uma coisa, que vou dizer pode ate ser boba: Nao esquecer que ter fluencia nao precisa tanto falar corretamente. Depende ate onde voce deseja chegar. Tenho fluencia no portugues ( brasil ), escrevo errado e falo errado. rsrsrsrsr .. Existem profissionais que tambem nao conhece o portugues tao bem assim. E no mercado compramos “mussarela” e nao “muçarela”. rsrsrsrrrsr… Acho que deixei claro o que quis dizer. A comparaçao.

    Abraços, e muito bom o post.

  • 09/03/10  
    Don Diego diz: 19

    Eu acho que vc tem que ir com um objetivo… Se é aprender a falar ingles é claro que deve reservar um tempo para estudar… Eu escolheria algo como o ‘au pair’ onde, pelo menos na maioria, voce é obrigado a estudar, fica a maior parte do tempo em casa, o que te dar possibilidade de estar sempre com material de estudo por perto… Braço!

  • 09/03/10  
    Bya diz: 20

    E exatamente isso, e muito dificil aprender a falar , voce tem que trabalhar de 10 a 12 horas por dia ,no meu caso como garconete em restaurante Italiano , e no seus dias off vc quer mais e descansar kkkk.
    E o pior e quando voce volta pro Brasil as pessoas ainda torcem o nariz, Nossa morou fora e nao fala bem, ainda usam o termo FLUENTE …
    Anyway, e isso , e uma experiencia muita boa, mas pra aprender… um pouco ilusao..
    bjs

  • 10/03/10  
    Carlos Ferri diz: 21

    E ai pessoal, tudo bem?

    Bom, eu vim morar na Australia para aprender a falar em inglês!! Eu nunca tinha falado em inglês antes de chegar aqui, isso fazem 6 meses.

    Sempre trabalhei na área comercial, mas aqui sem falar em inglês como trabalhar na minha área? Bom, resolvi dar o meu melhor!!

    Hoje sou bartender oficial nos 2 trabalhos que eu tenho!! Meu inglês obviamente não é fluente ( e nunca será), mas consigo fazer absolutamente tudo aqui!!

    Com 6 meses de estudo forte eu consegui tirar 6.2 no IELTS !! Vou começar meu curso de pós-graduação aqui e posso afirmar algo:

    Morar fora não é sinonimo de falar qualquer em qualquer língua diferente da sua, assim como terminar uma faculdade não garante emprego para ninguém.

    Para conseguir é necessário fazer um esforço extra!!! Quero terminar deixando dois pontos de reflexão: 1) quanto tempo uma criança leva para aprender a falar corretamente? No mínimo 6, certo? O Inglês é a segunda língua para muitos brasileiros, não pense que você será fluente em 1 ano!!! 2) Se a língua inglesa não é sua língua materna, esqueça!! Você dificilmente será fluente, sempre haverá o “accent”!! O que não é problema algum. Olhe o inglês do Presidente da Toyota em discurso no Senado Americano, ele é o presidente da Toyota. Então meus amigos, a dica é: se exponha ao máximo que puder a língua, estude o melhor que você puder e dê tempo ao tempo!!!! Have fun!!

  • 10/03/10  
    camilo lopes diz: 22

    realmente faz sentido. Quantos estrangeiros vem para o brasil, ficam morando aqui e nao sao fluentes? Conheci um britanico que ja está 8 anos aqui no Brasil e rodou muito, RJ, SP, BA etc. Porem nao tem um bom portugues. Imagine ai 8 anos, nao sao 8 dias nem 8 meses e ele ainda nao fala tao bem quanto deveria se for analisar o tempo que está em contato com o portugues, o mesmo acontece com os outros idiomas. A dica que tenho recebido eh aprenda ingles no seu pais, porem procure por bons, excelentes profissionais e esteja disposto a investir, pq esses bons profissionais sao caros em relacao ao valor da massa que promete fluencia em ingles por curto prazo. Depois que estiver legal, vc vai para fora do Brasil. O aluno ele consegue saber se ja está preparado e hoje com a internet, o valor mais acessivel de canais fechados, ele consegue ter uma ideia, o resto aprende lá no dia-dia.
    bom post ! :D

  • 11/03/10  
    Tatiana Castro diz: 23

    Principalmente nos USA, as pessoas trabalham muito, inclusive finais de semana. Nao reservam sequer 30 minutos diarios para o aperfeicoamento do ingles.
    Sou professora de ingles aqui porque a regiao que moro, Deerfield Beach, Fl, ha muitos brasileiros.
    Meus alunos, so comecaram a estudar ingles apos anos morando e trabalhando aqui.
    A maioria deles se relaciona 90% com brasileiros e frequenta lugares onde o portugues e mais falado.
    Sempre sugiro que eles facam aulas 3x por semana com carga horaria de 1hora e meia cada e nos outros dias facam os exercicios ou leiam o texto trabalhado na ultima aula por apenas 30 minutos.
    Alem disso organizo encontros quinzenais, “ENGLISH LEARNERS” para que eles falem ingles fora da sala de aula. (special lunch, pic nic, ice skating, bowling, etc)
    O aprendizado acontecera de acordo com a forca de vontade e a rotina.
    Antigamente voltava-se ao Brasil com muito dinheiro no bolso, mas hoje devido a crise mundial, apenas sobrevive-se. Entao pelo menos o ingles tem que ser colocado na bagagem.

  • 11/03/10  
    aline diz: 24

    i love this new because I want to go for new zeland sutdy english and this news help me kwon more about exchange.

  • 11/03/10  
    Jessica diz: 25

    Muito bom mesmo ter todas essas informações. Aqui pude encontrar experiências e dúvidas iguais com as que estou tendo no momento.

  • 12/03/10  
    Thais Alves diz: 26

    Hi

    There are 5 months that I am living in Massachusetts/USA.. I am au pair here and in Brazil I am jounalist, I agree, live out it´s not course you will learn and to be fluent in another language, I don´t Know very much english yet, and only I know what mean you dont know to communicate very well.. I take care 4 kids.. Imagine what it´s mean and How much it´s hard when you don´t know for example How I can to say words about education, whatever.. I studay here, but the course it´s not very good, I will take class in Harvard on the summer, june, and I hope to really to improve my english…

    congratulations this site is so nice..
    Thais

  • 15/03/10  
    Marilene diz: 27

    Moro ha 1 ano no Canada, Vancouver, tudo que todos os comentarios são verdadeiros. Morar fora não garante a fluencia. Eu estudo 4 vezes na semana com duraçao de 3 horas por dia, trabalho sexta e sabado, e estou muito longe para dizer que falo ingles. penso ingles, quando vou escrever acho mais facil escrever em ingles do que em portugues, estou esquecendo de algumas palavras em portugues. Sou imigrante permanente, então tenho muitos beneficios do governo, inclusive meu curso de ingles no VCC.
    Faço um esforço tremendo para entender a lingua, mas é difícil, mas com todas as dificuldades vale a pena. Sou apaixonada por esse país. Vale muiiiiiiito a pena fazer intercambio, é uma experiencia única.

  • 15/03/10  
    Gilson diz: 28

    Discordo…
    ja havia estudado ingles no brasil, e fui pra londres onde fiquei durante 2 anos e meio trabalhando de garçom em um restaurante ingles, aprendi a falar ingles fluente pq convivia com ingleses, isso depende de cada um, tem gente q fica 5 anos e continua falando ingles quadrado tem gente q consegue falar um ingles muito bom com um ano de inglaterra depende do esforço e da convivencia, se vc mora com portugueses ou brasileiros certamente vc nao vai praticar e a pratica meu amigo e o segredo do aprendizado eficaz em qualquer area

  • 23/04/10  
    Igor Machado diz: 29

    E ae Galera,

    concordo com alguns e discordo de outros. Primeiro temos que avaliar qual é o foco da pessoa ao chegar em um outro Pais, as vezes as pessoas querem só trabalhar, outros querem aprender o Idioma. Creio que quem vai para estudar inglês 6 meses por exemplo, eu garanto para vcs que se alguem pegar para estudar portugues mesmo não consegue aprender tudo em 6 meses, mas voltando ao ingles se fizerem um estudo de aprox 6 a 8 por dia, evitar brasileiros ( essa é a parte mais dificil) em 6 meses terá um ingles que não será fluente mas já terá uma base para compreender pelo menos 80% a 85% de um conversação, de um filme, etc.. o que acontece e falo isso por experiência..rs quando estamos fora queremos aproveitar, conhecer novos lugares, culturas e acabamos fazendo grupo de brazucas, aí dificulta mesmo.

    E na minha opinião vale muito mais ir pra fora do que fazer escola de idiomas por aqui. creio que o tempo pra aprender mesmo sem querer lá fora é muito mais rápido que aqui.

    abraços a todos.