O caminho mais longo para se dominar o Inglês – Parte 1 de 4

Oi pessoal, como vocês já devem ter percebido, eu conto com a ajuda de muitos colaboradores para escrever os artigos do English Experts. São pessoas que vivem no Brasil e nos EUA (native English speakers), todas com elevado conhecimento de Inglês. Hoje vou publicar o artigo escrito por um desses colaboradores.

O texto abaixo é de autoria de Maria Brasileira, o título original é “The longest way to proficiency in English”, que pode ser traduzido como “O caminho mais longo para se dominar o Inglês”. Este artigo foi dividido em (4) quatro partes que serão publicadas semanalmente, começando por hoje. Algumas idéias podem ir de encontro com informações que já apresentei em outros artigos do blog, pessoalmente eu acho isso muito proveitoso, visto que, opiniões divergentes nos ajudam a evoluir. Segue abaixo o artigo e a tradução, parágrafo por parágrafo. So, Enjoy it!

Tire suas dúvidas sobre os tempos verbais, baixe um guia grátis da Englishtown: Guia de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola. Clique aqui e saiba como baixar!

The ideal situation is to learn a foreign language as a child, and by the time you take the College Entrance Exams you should be proficient in at least one foreign language … but unfortunately not everyone is lucky enough to start at a young age. So, we find ourselves, as adults, facing the challenge of having to learn English as fast as possible, either to get a better job, or a promotion, or a position abroad, or to start post-graduate studies. So, we set out to find the fastest method, the fastest course. Well, sorry to disappoint, you, dear reader, but there are NO quick fixes.

A situação ideal é aprender um idioma estrangeiro quando criança, para que quando você for entrar em uma faculdade já tenha dominado pelo menos um idioma estrangeiro. Mas infelizmente nem todo mundo tem a sorte de começar a estudar um idioma quando criança. Então, nós nos encontramos, já adultos, diante do desafio de aprender Inglês o mais rápido possível, ou para conseguir um trabalho melhor, ou uma promoção, ou um emprego no exterior, ou para iniciar uma pós-graduação. Então, nós começamos a procurar os métodos e cursos mais rápidos. Bem, desculpe queridos leitores, esse método não existe.

There are many people out there promising miracles, but the truth is, how long it will take you to learn will depend on several factors, but mostly, on your own motivation and commitment, meaning how much time you can devote to language learning. There are a few myths that have to be abandoned right from the start, pre-conceived ideas can get you to waste time, and time is everything for adult learners.

Existem muitas pessoas lá fora prometendo milagres, mas a verdade é que o tempo que você levará pra aprender vai depender de diversos fatores, mas na maioria das vezes, de sua própria motivação e comprometimento, definindo quanto tempo você pode se dedicar a aprender um idioma. Existem alguns mitos que devem ser deixados de lado logo no início, idéias pré-concebidas que podem levá-lo a perder tempo, e tempo é tudo para estudantes adultos.

MYTH: I don’t need teachers to learn a language.

MITO: Eu não preciso de professores para aprender Inglês.

TRUTH: Not everyone can be self-taught. And even the ones who can, don’t know enough about language learning to teach themselves. For example: Language acquisition depends on how you are exposed to the target language. The input has to be carefully chosen and the order of structures should be subtly graded, because our brains have to process new information based on old (already known) information. If all information is new, the brain loses its frame of reference and you just don’t assimilate the information. Sorting out which material you should be exposed to and facilitating your learning by creating the conditions for your brain to process and retain information is something only a trained professional can do efficiently. If you are resolved (determined) to do it on your own, then you should do some reading on applied linguistics, language acquisition, natural order and some educational theories such as Vygotsky’s. That might help you out, but you will have to devote twice the time to learning, since you will be studying how to learn and the language itself.

VERDADE: Nem todo mundo pode ser autodidata. Até mesmo aqueles que podem, não sabem o bastante sobre o aprendizado de idiomas para aprender sozinhos. Por exemplo: a aquisição da linguagem depende de como você é exposto ao idioma alvo. O input deve ser cuidadosamente escolhido e a ordem das estruturas deveria ser sutilmente graduada, porque nosso cérebro deve processar as novas informações baseadas nas antigas (o que já sabemos). Se todas as informações são novas, o cérebro perde a sua referência e você não consegue assimilar a informação. A classificação de qual material você devera ser exposto e facilitar seu aprendizado através da criação de condições para que o seu cérebro processe que retenha as informações, é algo que somente um profissional treinado pode fazer de forma eficiente. Se você está determinado a fazer isso sozinho, então você deverá fazer algumas leituras sobre lingüística aplicada, aquisição de linguagem, ordem natural e algumas teorias educacionais como Vygotsky’s. Isso pode te ajudar, mas saiba que você levará o dobro do tempo para aprender, visto que estará estudando como aprender e só depois efetivamente aprendendo.

Por hoje é só,

See you tomorrow!

Próximo: Parte 2

Aplicativo para Ampliar o Vocabulário

Você tem dificuldade para se lembrar das palavras, phrasal verbs e expressões em inglês? Conheça o "Meu Vocabulário: Um aplicativo para ampliar o seu vocabulário em inglês" e veja como nossa equipe resolveu esse problema definitivamente.

Receba mais dicas de inglês como esta por E-mail, Twitter, RSS feed ou Facebook.

13.jpg

Maria Thereza Tosta Camillo

Maria Thereza Tosta Camillo é professora de inglês (CPE Certified) e lecionou nas seguintes escolas: Yázigi, Brasas, CLC/CEPUERJ, Wisdom, CNA, FISK e em cursos de Inglês in-company, de 1991 a 2004. Colabora periodicamente com o English Experts através de artigos e revisão de conteúdo.

3 comentários