Quando falar Inglês é brega!

Cara bregaEu acredito que quem se dispõe a estudar um novo Idioma deve vivenciar a cultura onde aquela língua é falada. É óbvio que o aprendizado se torna mais fácil quando a gente tem um conhecimento maior sobre o comportamento e costumes do povo que fala aquele idioma. Quem estuda Inglês sabe do que eu estou falando, normalmente a gente acaba trazendo um pouco da outra cultura para o nosso dia-a-dia. Mas vamos com calma!

A língua de Shakespeare está cada vez mais presente nas nossas vidas, hoje é impossível viver sem ter algum tipo de contado com o Inglês, mas um fato é alarmante. Muita gente utiliza os conhecimentos nesse novo idioma de forma indiscriminada, não é difícil observar isso.

Tire suas dúvidas sobre os tempos verbais, baixe um guia grátis da Englishtown: Guia de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola. Clique aqui e saiba como baixar!

Um carrinho de cachorro-quente com a placa Hot-Dog, um anúncio de liquidação com um for sale estampado na vitrina, um barzinho com o nome Mane’s Bar. Isso tudo é abuso. É submissão cultural. Se existe a palavra no Português, porque não utilizá-la? Se seu público fala Português é muito brega se comunicar em Inglês só para parecer “internacional”

Eu gosto muito de estudar Inglês, o meu futuro depende disso, mas acredito que para aprender uma nova cultura (uma nova forma de pensar) não é necessário perder de vista as nossas raízes.

É isso aí galera!

Aplicativo para Ampliar o Vocabulário

Você tem dificuldade para se lembrar das palavras, phrasal verbs e expressões em inglês? Conheça o "Meu Vocabulário: Um aplicativo para ampliar o seu vocabulário em inglês" e veja como nossa equipe resolveu esse problema definitivamente.

Receba mais dicas de inglês como esta por E-mail, Twitter, RSS feed ou Facebook.

34.jpg

Alessandro Brandão

Alessandro Brandão é coordenador do English Experts e do Fórum de idiomas. Trabalha também em projetos na área de Comércio Eletrônico e Ensino a Distância (EaD).

11 comentários

  • 17/02/07  
    Anonymous diz: 1

    Aqui na minha cidade havia um bar chamado Crepusculu’s, outro chamado Hipopotamu’s e — acreditem — um outro com o bem bolado nome de Chaplin’s Chopp’s. Felizmente nenhum dos três existe mais.
    Quando alguém vem me falando essas “coisas” que vc citou, eu mando traduzir pq falo português. Refigerante six pack? Uai, eu pedi uma embalagem com seis garrafas…
    Stella Machado

  • 17/02/07  
    Alessandro Brandão diz: 2

    É isso aí Stella,

    Se você for analisar um pouco essas pessoas normalmente não sabem muito Inglês. E ficam tentando impressionar com essas expressões “clichê”. BTW, você já se afiliou ao grupo do English Experts no Yahoo? Te aguardo lá!

    Abraço.

  • 19/02/07  
    Anonymous diz: 3

    Ai, cancele! tem muito erro! Ando de ressaca de medicamentos. Publique este:

    Eu faço parte do Yahoo mas não entrei ainda por causa de assuntos pessoais a serem resolvidos com urgência. Tenho de aprender a entrar, procurar a comunidsde e… não sei fazer nada disso.
    Havia entrado para achar uma comunidade de tricoteiras, mas um grupo que frequentava um blog resolveu criar um google grup pq a gente estava sentido falta de um espaço para discussões.
    Tem rendido bons resultados e vai render mais.
    E discutmos até assuntos que nada têm a ver com o tricô, como essas barbaridades acontecidas ultimamente.
    Se uma psssa mal de tendinite com o tricô, lá vou eu fornecendo a minha receita de gel de arnica extra forte (é bom pra quem sofre de ler, mas tem de passar desde os ombros) que deu certo.
    E vamos fazendo amizades. O grupo está bem unido.
    Tb pertenço a um grupo de leitura e a outro de tradutores.
    Vou entrar para a sua comunidade, esteja certo, pois só gosto de conversar com gente séria. Às vezes uma brincadeira cai bem.
    Sabe que seu blog está cada vez melhor e mais bem estruturado, inclusive visualmente?
    Deixa eu dar uma arreumação nos meus livros e terei mais tempo e ausência de culpa para entrar no Orkut.
    Abração,
    Stella

  • 06/10/07  
    Tatiana diz: 4

    É isso aí! Também estudo essa língua e as pessoas olham meio torto pra mim, elas acham que vou ficar atrelada a cultura desses povos… isso é bobagem! O fato de escolhermos aprender uma nova língua, não quer dizer que queremos mudar de nacionalidade.. Falo um pouco da lingua e nem por isso fico falando por ai. Acho uma falta de educação quando vc não escolhe o lugar adequado para falar.

  • 18/03/09  
    Jannice de Oliveira diz: 5

    Desculpe Alessandro, mas não concordo com você. És uma pessoa brilhante mas nesse caso está tendo uma visão minimalista de cultura e aculturação. Creio que falar inglês é diferente de escrever ou expressar-se em inglês. E uma língua, seja ela qual for, no contexto em que estiver inserida, NUNCA é brega. Que tal rever seus conceitos com prudência?
    Um abraço de uma admiradora distante.
    Jannice de Oliviera

    • 18/03/09  
      Alessandro diz:

      Jannice,

      Obrigado pela mensagem. Estranho, tenho a impressão que estamos falando a mesma coisa.

      Abraço,

  • 26/03/09  
    Jesse diz: 6

    Alessandro, também não concordo com você totalmente, creio que comunicação em inglês em lugares públicos é uma boa para quem precisa praticar. Conheço várias lojas que colocam “for sale” na vitrine em determinadas épocas do ano, mas conhecendo sei que são lojas de renome internacional e isso chama atenção do publico alvo, concordo mais com a Janice, uma lingua no contexto que é inserida jamais é brega.

  • 26/03/09  
    Alessandro diz: 7

    Jesse,

    No post eu expresso a minha opinião pessoal. Respeito o seu ponto de vista, cada um vê a situação de uma forma. Aí está a graça, ninguém precisa pensar igual ao outro!

    Conforme eu disse no texto, acho que isso é submissão cultural!

    Obrigado pelo comentário!

    Abraço,

  • 29/04/09  
    Giliarde diz: 8

    Olá!
    Sempre pensei desta maneira, também não gosto de dizer mal contra meu país ou idioma, com certeza sou apaixonado pelo idioma inglês, MAS mais do que todas outras línguas: tenho o português como amor; chega a ser vergonhoso pessoas que eu já vi que FALAM E CONHECEM FLUENTEMENTE O INGLÊS, MAS NÃO SABEM “NADA” DE PORTUGUÊS, que é um fato muito triste…
    Mais que sangue alheio, amo o meu (brasileiro).

    Abraço para o melhor site de conteúdo de aprendizagem da língua inglesa!

  • 18/06/09  
    Amauri diz: 9

    Concordo com você, só tome cuidado com uma coisa:

    “Português” e “Inglês”, com letras maísculas, é só em inglês.

    Isso é abuso. É submissão cultural.

    Hahah, just kidding.

    Keep on studying!

  • 16/10/09  
    Jeferson Paiva Ferreira diz: 10

    O meu nome é Jeferson Paiva Ferreira, sou tradutor, interprete, professor de idiomas e atualmente dirijo uma escola de idiomas.
    Eu tenho observado que quando se fala em estudar um outro idioma hoje, as pessoas já pensam logo no inglês; eu já vi até mesmo escolas que ensinam apenas o inglês e colocam na placa de anúncio “Escola de Idiomas”.
    Acho muito mais difícil ensinar inglês agora para os brasileiros do que no final da década de 80, ou nos anos 90, isso porque muitos hoje acham que sabem essa língua e dizem coisas que doem nos meus ouvidos e nos ouvidos dos britânicos, outros vão ainda mais longe e parecem ter ciúme dessa língua, travando disputas banais até mesmo com ingleses nativos.
    O melhor passo para aprender uma nova língua é estar disposto a aceitá-la e aprender a usá-la respeitando-a, mas alguns brasileiros parecem que estão querendo se tornar donos do inglês; o mais engraçado é que eu não percebo essa mesma atitude excêntrica em relação a outros idiomas que eu ensino, parece que é uma fixação só com o inglês mesmo.
    Reconheço a grande utilidade do inglês e tenho vários cursos desta língua no Brasil e no exterior, mas vejo também a grande importância e utilidade de línguas como: o alemão, o espanhol, o italiano, entre outras.