Relato de um Intercâmbio em San Francisco

Conhecer novas culturas e línguas sempre esteve em meus anseios. Em 2014 surgiu a oportunidade de fazer um intercâmbio. Com a decisão tomada surgiram aquelas perguntinhas de respostas complicadas: “Para onde ir: EUA ou Canada?”, “Quanto tempo?”, “Quando?”. Escrevo agora para você um breve relato de como respondi a essas perguntas, um pouco de meu planejamento e o intercâmbio de 30 dias que fiz em San Francisco, Califórnia.

intercambio4

Tire suas dúvidas sobre os tempos verbais, baixe um guia grátis da Englishtown: Guia de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola. Clique aqui e saiba como baixar!

Preparativos

Comecei os preparativos com 1 ano de antecedência, desde a procura por empresas que prestavam o serviço, a local e escola. Escolhi a Experimento Intercâmbio através de indicações de alguns colegas de trabalho. A cidade foi um pouco de pesquisa mesmo. Li diversos blogs, artigos e fatores como alimentação, clima e receptividade fizeram com que eu escolhesse San Francisco.

Com a cidade escolhida, passei a acompanhar blogs de brasileiros que residem em SFO, e, seguindo uma dica do Alessandro Brandão, comecei a ouvir rádios,  a seguir o twitter da polícia, dos Transportes (Muni e Bart) e da prefeitura de San Francisco. Parece loucura isso tudo, mas eu queria estar o máximo preparada possível.

A escola foi indicação da Experimento, fiz algumas pesquisas e aceitei a sugestão. Quando estava lá, descobri que quem faz o curso de inglês como segunda língua pela ELS não precisa fazer TOEFL, por exemplo, para entrar na Universidade da Califórnia – Berkeley, pois o certificado da ELS já basta.

Bom, com a empresa escolhida, local e escola, hora de guardar dinheiro. Desde o momento que decidi fazer o intercâmbio até o momento da viagem o dólar havia subido R$2,00, mas garanto a você, é possível sim estudar fora neste momento, o que não dá é para você comprar tudo o que queria, mas dá para estudar e se divertir.

A viagem

Saí do Brasil no dia 10 de outubro de 2015, minha primeira viagem internacional. Antes do intercâmbio nunca havia realmente estudado inglês, até tentei, mas “a vida não permitia”. Enfim, fui com a cara, coragem, fé e o Google.  Preparei uma pasta com toda a documentação enviada pela escola, os documentos da estadia e documentação de vínculo no Brasil (documentos emitidos pela empresa, certidão de casamento). Na imigração foi solicitado apenas o I20 e o passaporte, tirei o visto para estudante F1/F2. Ufa! Primeira etapa concluída.

Depois da imigração, novo desafio: andar pelos terminais e encontrar o bendito no qual eu deveria aguardar minha conexão para San Francisco. As pessoas no aeroporto super atenciosas, falavam em inglês e espanhol. Consegui despachar a bagagem novamente, mudar de terminal, solicitar senha do Wifi e comprar comida. Pode parecer pouco, mas para mim foi uma batalha vencida.

A Escola

No primeiro dia de aula, a escola faz um teste para saber qual nível você está. São 12 níveis, iniciando do 101 ao 112 e para minha surpresa entrei no nível 104/112, que é o equivalente ao básico-intermediário.

A primeira semana foi de adaptação, tentando entender a língua, os sotaques diversos. Na escola entram novos alunos apenas uma vez ao mês.  Nos primeiros dias já conheci duas brasileiras de nível fluente (111). No meu caso, foi excelente ter mais brasileiros (contanto comigo, eram 4), pois elas falavam em inglês comigo, tiravam dúvidas de pronúncia, de expressões que eu não fazia a menor ideia.

A escola organiza eventos para integrar alunos e colocar você para falar a língua. E, através desses eventos, fui aumentando o networking, conheci pessoas de diversas culturas e sotaques.

intercambio9

Li em diversos locais falando que quem não tem inglês pelo menos intermediário não deveria ariscar um intercâmbio. Eu discordo.

É mais difícil para se comunicar, porém o importante de início é ser compreendido. Eu entendo razoavelmente bem o inglês, porém aconselho a quem tem nível básico a treinar muito o ouvido, veja séries legendadas para que comece a entender o significado das sentenças e depois veja tudo novamente, porém com a legenda em inglês, assim você conhece as palavras. Ouça muita música e leia a letra!

Uma dica que recebi da professora de gramática foi: “ouça inglês 20 minutos ao dia, 10 pela manhã e 10 a noite” e “leia um parágrafo de jornal americano por dia, nada mais que isso para não ficar cansativo”.

Acomodação

Quando fechei o intercâmbio, decide por homestay, porém fiquei apenas uma semana, pois a casa ficava 30 minutos de San Francisco. A família era maravilhosa, no entanto, devido à distância, resolvi trocar pelo hotel indicado pela escola. Conversei com a escola em um dia e mudei no outro. Foi a melhor decisão tomada.

intercambio5

Fiquei perto da escola, perto dos outros estudantes, no centro da cidade.  Dividi o quarto com uma taiwanesa da mesma escola. Foi ótimo, pois o convívio foi muito mais intenso com a língua, ia aos supermercados, restaurantes, lojas e ouvia as pessoas conversado pela rua.

intercambio3

A cidade

Como mencionei, escolhi San Francisco por conta da comida, pessoas e clima.

Tem comida de várias nacionalidades. É fácil encontrar saladas e frutas em supermercados e não é caro, se você pensar dinheiro por dinheiro. Deixe para converter em outros momentos!

San Francisco é uma cidade linda! A Golden Gate é lindíssima, você pode conhecer muitos lugares legais apenas andando a pé, de bicicleta ou de ônibus.

intercambio7

Mas nem tudo são flores. Existem muitos homeless (moradores de rua) em San Francisco, alguns lugares são declarados publicamente pelo moradores como não seguros, pois são lugares onde se concentram uma quantidade maior de homeless, porém basta você mudar de rua que se torna “seguro”. É estranho falar assim, pois aqui no Brasil falamos que um lugar não é seguro, geralmente é o bairro ou cidade, mas lá é uma rua.

O clima é tão instável quanto São Paulo, pela manhã é uma “friaca”, no horário do almoço um calor danado. Na primeira semana de novembro começou a esfriar de verdade, já preparando para o inverno, mas ainda era suportável.

intercambio8

Enfim, aproveitei muito experiência como e é indescritível pelo fato da troca de cultura. Há quem diga que nunca saiu do país para aprender inglês, o que certamente é gratificante, porém a troca de cultura é algo que só se tem vivenciando.

Espero que tenha gostado, tentei fazer o resumo do resumo, quem quiser conversar, deixe sua mensagem nos comentários que respondo o mais breve possível.

Sobre a autora: Liliane reside na capital de São Paulo, é estudante de Administração. Atualmente trabalha como analista contábil em uma multinacional de cosméticos.  Descobriu o English Experts em 2014 após indicações de amigos. É uma leitora voraz e amante da música.

Aplicativo para Ampliar o Vocabulário

Você tem dificuldade para se lembrar das palavras, phrasal verbs e expressões em inglês? Conheça o "Meu Vocabulário: Um aplicativo para ampliar o seu vocabulário em inglês" e veja como nossa equipe resolveu esse problema definitivamente.

Receba mais dicas de inglês como esta por E-mail, Twitter, RSS feed ou Facebook.

25.jpg

Autor Convidado

Este artigo foi escrito por um Autor Convidado do English Experts. Confira o nome do autor no rodapé do texto acima. Seja um colaborador, clique aqui e saiba como participar.

16 comentários

  • 16/03/16  
    alefalcantara diz: 1

    Meu, Liliane, que irado! Morro de vontade de fazer um intercâmbio mesmo que seja por um mês, assim como você fez. Deixa eu te perguntar… já tenho 22 anos, último ano de faculdade e tal e meu nível de inglês já é bem avançado e tudo mais… esse programa que vc fez tem “limite de idade”? Sei que deveria pesquisar sobre alguns programas de intercâmbio e tal, mas já que vi seu post e se tratava de algo que eu queria fazer, resolvi perguntar aqui mesmo hahaha

    • 22/03/16  
      lilianern diz:

      Olá!!
      Obrigada por ter lido!

      Ale,
      não há limite de idade, lá estavam pessoas de 18 anos a 45.
      como mencionei no artigo, a troca de experiências é algo que você só terá em um momento como este.

      Aproveita que o dollar está baixando e aproveita :)

  • 22/03/16  
    Daniela_Lopes diz: 2

    Oi Liliane, tudo bem? Tenho muito vontade de fazer intercâmbio, apesar de estudar inglês a mais de 2 anos, não consigo desenvolver a fala, tenho medo de fazer intercâmbio e passar “aperto” por não falar muito. Você consegui se virar bem lá? Quanto ao destino vc gostou de ir para San Francisco? Em relação a moradia, o hotel é mais caro de que casa de família?

    • 22/03/16  
      lilianern diz:

      Dani,
      Obrigada por ter lido o artigo :)
      Bem sobre suas perguntas… prepare-se que vem redação rs

      tenha em conta que você não será a única, existem pessoas que falarão menos que você!
      Eu fui com DEUS e a coragem que Ele me deu!
      Me perdi no primeiro dia a caminho da aula!! Um trajeto de 10 minutos, eu fiz em 45 hahaha
      eu não havia comprado um chip americano, então eu estava na rua sem internet, apenas com o endereço salvo :S hahaha
      fui perguntando em cada ponto, prestava atenção no que a pessoa falava e nas mimicas, sim, mímicas, pois eu não sabia as direções em inglês( turn left, turn right …), mas cheguei! hahaha
      o importante é se fazer entender, se você já tem base, pode ter certeza que você voltará com o inglês afiadíssimo!!
      Eu ameiiiiiiii SFO!!!!! \o/\o/
      A Golden Gate é uma loucura de maravilhosa, não entendo o motivo de destruírem em todos os filmes :'(
      Amei d+ a possibilidade de andar para várias lugares turísticos sem ter que pagar nada, só gastei a sola do sapato rs ou no máximo uma passagem de ônibus. Eu levei um GUIA da cidade, o que foi de grande ajuda para o grupo de amigos que fiz por lá. Cada dia que terminávamos a aula, utilizávamos meu Guia para andar pela cidade rs

      O hotel é mais barato, pois você arca com “toda” alimentação, paga para lavar as roupas e também paga para secar. Não havia cozinha e lavanderia no hotel que eu fiquei, mas na rua do lado(50m) ficava o hotel “irmão”. Havia café da manhã neste hotel “irmão”. Lá era possível cozinhar também.
      Eu queria aproveitar o máximo possível, então gastei mais dinheiro com comida. rs

      A escolha da casa ou hotel vai depender muito do que você quer e espera. Eu queria ficar mais próximo de tudo e todos, então eu troquei.

      Aproveita o dollar caindo e as passagens estão bem em conta.
      Boa sorte!

    • 23/03/16  
      Daniela_Lopes diz:

      Obrigada pela atenção e as dicas Liliane.

  • 22/03/16  
    Simara diz: 3

    Olá! estive em SFO de novembro/2015 a fevereiro/2016. Peguei o outono e o inverno na cidade e posso dizer que faz um pouquinho a mais de frio do que São Paulo. Escolhi a cidade por possuir parente na bay area que poderiam nos hospedar e, desta forma, não arcaria com os custos de moradia. Como esse familiares moravam na cidade de Pacífica, eu levava por volta de 1 hora de transporte público até o centro da cidade, estação Civic Center.

    Minhas primeiras impressões sobre a cidade foram ruins, pelo fato citado por você a cima, homeless. Eu estudava exatamente no local onde havia a maior concentração mas, o que me assustou ainda mais foi a venda de drogas livremente nas mesma ruas. Aos poucos percebemos que no fim eles nada faziam a você e simplesmente começamos a conviver sem nem medo ou desconfiança. Outra coisa que fiquei impressionada é com a quantidade de pessoas com distúrbios mentais na rua. Uma vez uma pessoa na fila do Wallgrens começou a gritar comigo e não conseguia entender o motivo, mas depois vc aprende que o melhor recurso para se andar no centro de SFO é um fone e fingir que não ouve ninguém.

    A cidade é realmente linda, porém muito cara. Não há muitos locais gratuitos para visitar como em NYC, porém todos valem a pena. As pessoas são muito amistosas e a cidade tem um boa estrutura.

    • 22/03/16  
      lilianern diz:

      Olá Simara! Obrigada por ter lido o artigo!

      Você ficou na Civic Center? Ali é bem complicado ….
      Eu levei um Guia Publifolha de SFO, me ajudou d++ nos passeios.

      Bjs

  • 22/03/16  
    Wellington Farias diz: 4

    Liliane, que delícia ler o seu post! Me trouxe várias lembranças e parece que fiz uma breve viagem à SF! RS… Estive lá em janeiro de 2014 e me apaixonei pela cidade! A minha história não é muito diferente da sua! Fui completamente no verbo ‘to be’ do inglês, mas não me arrependo, aprendi muito sobre a cultura local e principalmente ganhei experiência de vida e coragem para fazer novas viagens internacionais sozinho! =D Agora mês de junho estou indo para o Canadá ficar 30 dias, 15 em Toronto e 15 em Vancouver. Com certeza, essa será mais uma, de muitas experiências que estão por vir! Beijos e boa sorte! Wellington Farias

    • 22/03/16  
      lilianern diz:

      Oi Wellington, obrigada por ter lido o artigo!

      Que legal!!
      é um sentimento de vitória, não é?!!!
      Boa viagem, aproveite bastante!!

  • 22/03/16  
    Ghizoni diz: 5

    Também já fiz intercâmbio, de um mês, para estudo de inglês (fiz o nível avançado; já era professor quando fui, mas tinha o sonho de fazer curso de inglês em país onde a língua é oficial). Foi em San Diego e a experiência é fantástica. Já faz tempo, mas acho que pouco ou nada mudou em relação a intercâmbio para curso de inglês lá. Meu conselho: quanto melhor você puder se comunicar, melhor aproveitará o curso e a estada lá. Quanto menor seu conhecimento de inglês, menos aproveitará das aulas e da viagem.

    • 22/03/16  
      lilianern diz:

      Ghizoni, Obrigada por ter lido o artigo :)

      concordo com você em partes.

      Lógico que uma pessoa que tem pouco conhecimento da língua terá maior dificuldade para se comunicar, porém aproveitar a aula e a estadia, realmente depende muito do empenho e da “cara de pau” da pessoa rs

      A escola que fiz era muito bem preparada para atender aos alunos iniciantes.
      O legal é que existem aulas até para as pessoas que não sabem nada!

  • 22/03/16  
    Wal diz: 6

    Muito bacana o depoimento. Obrigada por compartilhar. Eu escrevo o blog http://www.acontecenovale.com que tem diversas dicas de programas, escolas e cursos em San Francisco, Vale do Silício e toda Bay Area. Quem tiver interesse em fazer um intercâmbio, pode encontrar muitas dicas la! E quem ja tiver com tudo certo tem dicas de turismo e empreendedorismo também :D

    Waldana.

    • 22/03/16  
      lilianern diz:

      wal!!

      eu tenho o “Acontece no Vale” nos meus favoritos!!! você não faz ideia do quanto me ajudou!!
      Seu blog é um dos “culpados” por eu ter escolhido SFO e a época de ir rsrs

      Muuuito Obrigadaaaaaaaaaaaaa

  • 01/04/16  
    Lilian Ferreira diz: 7

    Parabéns Liliane, muito legal vc compartilhar essa experiência/ aventura, amei!! Seu curso era de quantas horas por dia?

  • 06/04/16  
    lilianern diz: 8

    Olá Lilian, obrigada por ler o artigo!! Total de 6;45 por dia, exceto a sexta-feira que não havia aula de essay (
    2h de gramática, 1h de atividades no laboratório, 1h de vocabulário, 2h45 de essay)

  • 28/04/16  
    franleao1 diz: 9

    Oi Tudo bem? estou vendo para ir San Francisco. Voce pode me dizer em que hotel ficou?