Revitalizando a motivação

motivacaoÉ inegável que nossa vida é movida a projetos. Alguns sonham em comprar a casa própria, outros em adquirir um carro, ter um filho, viajar para o exterior e por aí vai. Tecnicamente um projeto é uma iniciativa com um objetivo bem definido com o início e fim estabelecidos. Hoje quero falar sobre 2 tópicos muito importantes: tempo e motivação.

Você, na condição de leitor do EE, provavelmente tem um projeto em mente, aprender inglês. Seu objetivo é tornar-se fluente nesse idioma até determinada data, por exemplo dezembro de 2010.

Aprenda inglês com as técnicas de quem já passou pelo processo. Experimente Grátis por 30 dias o Curso de Inglês do English Experts 3.0.

Vai aqui a primeira dica de hoje, tome muito cuidado com este prazo (deadline). Se ele for curto demais, poderá causar frustração, pois você não conseguirá atingir o seu objetivo. Se for longo demais, você inevitavelmente dará prioridade para outras coisas: “porque estudar agora se eu quero falar fluentemente em 2013, vou deixar isso para depois”. Duvide de cursos que prometem fluência em 2 meses e também não aceite ficar 8 anos preso em uma sala de aula. Procure vivenciar o idioma!

Sendo assim, sabemos que o aprender inglês é um projeto que demanda esforço, dedicação e muita perseverança. Se fosse fácil todo mundo falaria sem problemas, o que não é verdade. Mas como se manter motivado durante anos de estudo?

Em “projetos grandes” como é o caso do inglês, é comum pintar aquela desmotivação no meio do caminho. Não se engane, isso acontecerá várias vezes. Partimos então para a segunda dica de hoje, relacionada à motivação. Sempre que bater aquele desânimo, tente lembrar-se do fator que fez com que você iniciasse os estudos.

Confesso que nos últimos meses eu andei meio desanimado com os estudos de inglês. Primeiro por conta de várias mudanças na minha vida: casamento, casa nova, trabalho novo etc. O estudo, que antes era sagrado, reduziu-se a postagens aqui no EE e a raras conversas com amigos estrangeiros. Nas últimas semanas resolvi voltar a estudar com mais compromisso. Para tanto voltei a assistir palestras da área de tecnologia e a conversar com os velhos amigos americanos (Adam e Mary) diariamente. A motivação voltou com força total, atribuo isso ao que eu disse anteriormente, busquei aqueles fatores que me fizeram iniciar os estudos de inglês.

Não quero tornar o texto muito longo, acredito que a mensagem já foi passada. Agora é sua vez, o que te motiva a estudar inglês. Qual é o combustível que move a sua vontade de aprender um novo idioma?

Aprenda mais

Gostou desse artigo? Conheça o Curso de inglês English Experts e descubra como você pode turbinar o seu inglês.

Receba mais dicas de inglês como esta por E-mail, Twitter, RSS feed ou Facebook.

34.jpg

Alessandro Brandão

Alessandro Brandão é coordenador caseiro do English Experts e do Fórum de idiomas. Trabalha também em projetos na área de Comércio Eletrônico e Ensino a Distância (EaD).

19 comentários

  • 31/05/09  
    Igor Linhares diz: 1

    A vontade de aprender um idioma que amo…Viajar pelo mundo onde o Inglês é a língua mais falada :D , It’s gonna be awesome!! Espero aprender , queria me sentir bem falando e compreendendo os outros..I LOVE the English and the countries that speak it! :)

  • 01/06/09  
    Glaucia diz: 2

    Em resposta a pergunta, pensei e repensei… acredito que seja um meio de superação. Estou aprendendo a gostar do idioma, sei o quanto ele é importante para mim. Após meu curso de mestrado tive a plena certeza de que sou capaz de aprender e que basta “apenas” de uma motivação, de uma meta (com data), dedicação, disciplina e acima de tudo perseverança. Alessandro está certíssimo!

    Participei mês passado da seleção de uma universidade nos EUA, a BYU, mas a crise fez com que eu ficasse de fora, pois fui aprovada mas a universidade enviou email dizendo que não poderia me aceitar pois devido a crise tinham demitido professores e que agora eles tinham dado prioridade as pessoas que tem menos graduação por saberem que o inglês é um diferencial importante principalmente pra quem não teve a oportunidade ainda de ter um curso superior. Ainda estou triste, afinal era pago etc. Mas isto foi a “motivação” que eu precisava para entender que com uma meta, dedicação, disciplina e acima de tudo perseverança serei capaz de atingir uma melhora substancial no idioma e quem sabe quando for possível candidatar-me mais preparada!

    Bom é isto! Vamos nos motivar e ajudar uns aos outros! O ensino nos faz melhores aprendizes, pois temos de utilizar artifícios para fazer com que o outro compreenda o que desejamos que ele aprenda.

    Acho que falei demais :)

    Bjinhos e sucesso nos estudos amigos!

    Boa semana!

  • 01/06/09  
    Nuclear Winter diz: 3

    It’s hard keeps the motivation, but no pain , no gain.. =) .

  • 01/06/09  
    Andrei Gurgel diz: 4

    Eu sempre admirei muito as pessoas que podiam falar vários idiomas e eu decidi me apronfudar no Inglês depois de ter estudado espanhol por alguns anos para me tornar também uma destas pessoas. Eu também VOU aprender francês em alguma época futura.

    Preciso muito do inglês profissional e pessoalmente atualmente então isso me motiva constantemente a me aperfeiçoar, ainda não estou no nível que eu quero, mas sei que vou estar se continuar assim.

  • 01/06/09  
    Ana Bárbara diz: 5

    O que me motiva a estudar inglês atualmente é a faculdade (de Física!). A maioia dos livros e os artigos publicados são em inglês e quem tem facilidade no idioma tem alguma vantagem. Mas não é só isso, geralmente os congressos e seminários importantes são dados por gente de fora, e obviamente o idioma falado é o inglês.
    Certamente, saber inglês é uma necessidade na minha área.
    Moreover, I really like to learn english! It’s awesome when you can understand people talking english and you’re able to make them understand you!

    That’s all!

  • 01/06/09  
    Adir Ferreira diz: 6

    Eu sou suspeito a comentar pois aprender línguas é uma das minhas grande paixões desde pequeno, porém acredito que além de ter a intenção/desejo/necessidade de aprender, temos de agir!

    Começar em “doses homeopáticas” porém consistentemente dá um grande resultado, trust me!

    Saber mais de um idioma abre portas inacreditáveis, nos aspectos profissional e pessoal.

    Keep up the good work and let’s study!

  • 01/06/09  
    João Ghizoni diz: 7

    Fantastic post, Alessandro. I was surprised in the middle of the text, but then overcame my surprise by reading that you looked back to see what had made you start to study English, what your expectations were. You’re an example! Congratulations.

    Glaucia, I’m sorry for the impossibility of the course at BYU, but be sure your moment will come. “Everything is when that ends well.”

    And for all learners: discipline and hard work are extremely important to learn English (and so many other things) really well. Good luck you all!

  • 01/06/09  
    Mary Ziller diz: 8

    Hi Alessandro,

    Very good advice! Not only valid for language learning, but in general, it is a good method to re-motivate oneself by REMEMBERING why we wanted to do something in the first place.

    As for me, I want to learn Portuguese because my husband works in Brazil for a few months every year, so I need it to survive.

  • 05/06/09  
    Jonã Machado diz: 9

    Estou aprendendo inglês por motivos gerais e assim como o professor Adir, aprender novos idiomas é uma das coisas que gosto muito de fazer, pelo menos desde que aprendi a falar espanhol. Recordo do repúdio que tinha pelo idioma porquanto este sempre foi imposto e nunca de fato o aprendi volúntariamente, ao menos até o dia que aprendi a gostar de fato da língua, o que penso ser um processo natural. Hoje além do prazer em aprender novos idomas o que me motiva também é a chamada a obra missionária afim de anúnciar o nome de Jesus a todo mundo!

  • 09/06/09  
    Cassiano Silva diz: 10

    Aprender Inglês e estar motivado são coisas totalmente dependentes uma da outra. Mas é muito legal quando você possui uma oportunidade diária de treinar e aprimorar os seus conhecimentos. Por mais que você tenha conhecimentos, se não tiver com quem praticar em casa, no trabalho ou entre amigos, a motivação vai dando lugar à rotina e você começa a botar o Inglês de lado. Pra piorar, já adicionei dezenas de pessoas no msn, tanto aqui do EE como do Orkut e ninguém quer realmente praticar. As pessoas sempre estão “ocupadas”. Fora aquelas que adicionam para colherem informações sobre o mesmo curso de idiomas que você cursou! ( :o( )

  • 09/06/09  
    André Reis diz: 11

    Eu concorco com o Cassiano quando ele diz que o mais difícil é encontrar alguém com quem praticar… Alguma dica com relação a isso?

  • 03/07/09  
    Maria diz: 12

    Olá Alessandro.

    Eu estudo inglês na escola, e como todo estudante, aprendemos a gramática, mas não o estudo da língua. Fiquei bastante motivada com o seu post, e gostaria que se for possível, me indicasse um livro inicial de como apreder fluência em inglês. Gostaria de resaltar que meu vocabulário é bastante limitado, logo, preciso de um livro que comesse do começo, se é que você me entende.

    Desde já agradeço sua colaboração.

    Parabéns pelos posts!

  • 06/07/09  
    Jânio Silveira diz: 13

    E sou estudante de inglês a mais ou menos 1 ano e meio, Acompanho as dicas e iformaçãos do EE! Já me ajudaram muito no meu aprendizado de inglês.
    E vendo esse tópico, resolvi contar minha experiência e pedir algumas dicas.
    Já passei por três escolas de inglês apenas numa eu consegui desenvolver melhor meu aprendizado, já consigo entender muitas coisas e conversar também, mais ai vem os desânimos, eu acho que e aquela rotina de ter que fazer todos os exercícios imposto pelo método dá escola, isso vai me deixando desanimado. Ai eu comecei a prestar atenção numa coisa, quando eu dito meu ritmo, ou seja, sem aquele compromisso imposto pela escola… Estudando mais horas num dia, ou meia hora que seja, duas ou três vezes ao dia e às vezes alternando os dias para dar descanso à mente, Eu sinto um melhor resultado.
    Daí eu resolvi estudar sozinho com os recursos que tenho.
    Por isso eu gostaria de pedir ao caro amigo se possivel, que me indicasse alguma comunidade ou site que eu possa estudar e talvez ter algum contato com nativos de língua inglesa; Vontade não me falta… (I would like to learn English… a lot). Grato desde já! Pelo espaço concedido.

  • 30/07/09  
    Sueli diz: 14

    Hi Alessandro, eu leciono inglês e vejo como é importante motivar e estimular os alunos a gostarem de aprender uma outra língua. Tento fazer isto levando músicas e atividades com as mesmas e games para sala de aula, tornando-a mais dinâmica. Eu agradeço as dicas maravilhosas que encontro aqui e a troca de idéias e a ajuda mútua entre colegas. Muito sucesso e continue assim.

  • 28/09/09  
    Jandeilson S. Barbosa diz: 15

    Muito bom o post, no meu caso, por exemplo, não ando meio que desmotivado. Mais sim pronto para aprender, e deixa aquela horrível legenda que tenho que aturar quando assisto filmes em inglês.

    E é isso minha maior motivação para aprender inglês, assistir um dia um filme e o entender sem a necessidade de uma legenda.

    []’s!

  • 04/03/10  
    camilo lopes diz: 16

    excelente! Alessandro, isso acontece e é inevitável. E vai estar sempre acontecendo no processo de aquisicao, quem nao passou, pode apostar que vai passar e em todos os niveis, para aqueles que acham que so os iniciantes podem sofrer com isso pelo contrario, e sim que ja está no nivel intermediario ou mais. Os iniciantes estao a todo vapor e bem motivados tudo é novo para eles. Quem já saiu do nivel basico começa a desmotivacao e as vezes a sensação de que nao está evoluindo, que nao ver mudança etc. Mas, o seu objetivo e determinacao que vai vc buscar a motivação que precisa, pq ser fluent? ser advanced nao eh o suficiente, saber ler ou entender um pouco para oque vc pretende? o aluno tem que ser capaz de identificar isso e saber ate onde o idioma o satisfaz. Na minha area se quiser ter cargos com excelentes salarios tem que ser fluente e ingles ser primeira lingua. Ter aquele ingles de poder conversar com um executivo americano sem se enrolar com nada, mas para isso nos estudantes temos que saltar os obstaculos e a desmotivação é um deles. “No pain, no gain” nunca se esqueça dessa frase.
    abracos,
    Alessandro depois vc mim cobra que vou procurar um texto cientifico sobre pesquisas onde os pesquisadores dao um feedback sobre o processo de aquisicao.

  • 30/05/16  
    Aderaldo Cintra diz: 17

    No caminho de um clico virtuoso de esforço e gratificação, nada como estudar, “passando um pente fino”, e poder sentir que o nosso objetivo foi alcançado! Quando se começa a estudar assim, o nosso esforço se torna gratificante e inicia-se um ciclo virtuoso…

    Talvez mais do que a dificuldade do esforço necessário para se alcançar o que se deseja, o desafio maior seja o de encontrar um meio, ou quem sabe, uma forma de tornar interessante, para nós mesmos, aquilo que for preciso encarar para se chegar onde desejamos chegar. Se aliado a isso, se tem ainda uma estratégia inteligente, que nos permita focar os nossos esforços de um modo eficiente e eficaz, então, pode-se dizer que finalmente encontramos-nos com a faca e o queijo nas mãos, em relação ao sucesso. Agora será apenas uma questão de tempo. O caminho terá se tornado sem volta! Basta apenas que nós não nos desviemos dele!

    Creio que o English Experts, a exemplo de tantos outros sites, que se propõem a oferecer um ambiente de aprendizagem estimulante e desafiador aos seus usuários, tenha alcançado sucesso, tanto mais quanto maior liberdade tenha sido capaz de oferecer a sua clientela, tendo em vista que motivação e entusiasmo são sementes que só podem ser de fato cultivadas no solo da liberdade e da criatividade. Nesse sentido é preciso que a nossa comunidade seja capaz de avançar sempre mais e mais, mantendo-se firme e com o firme propósito de expandir as suas fronteiras e ampliar os seus horizontes, partindo para a empreitada de voos ainda mais ousados!

    Contudo, como simples membro usuário da comunidade, a exemplo de tantos outros, não posso ir além das minhas próprias fronteiras, senão, para quem sabe, colaborar aqui ou ali talvez com alguma ideia, aproveitando, sobretudo, ao máximo, o maior de todos os nossos tesouros, a saber, a oportunidade do encontro, do contato, da inteiração!