Sem o inglês o seu currículo não vai ser sequer lido!

A gente faz faculdade, perde horas de sono, faz uma especialização aqui, outra ali, faz de tudo pra mostrar um bom trabalho, abre mão de algumas coisas por causa da carreira, às vezes fica até meio workaholic. Daí um dia um consultor de uma agência de recrutamento entra em contato oferecendo a vaga dos seus sonhos, admira seu currículo e… fica decepcionado ao descobrir que você não fala inglês!

E o que talvez alguns não saibam é que algumas empresas brasileiras estão pulando essa fase de admirar o currículo antes de saber se a pessoa fala inglês ou não. Hoje em dia, empresas localizadas no Brasil e que têm matriz estrangeira, ou que exercem algum tipo de atividade internacional, estão contratando consultorias internacionais para fazerem recrutamento de profissionais para conduzirem os processos seletivos das vagas que serão abertas aqui mesmo no país. Ou seja, seu mega-maxi-hiper-super-currículo só vai ser de fato lido em detalhes depois que o headhunter aprovar seu inglês.

Tire suas dúvidas sobre os tempos verbais, baixe um guia grátis da Englishtown: Guia de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola. Clique aqui e saiba como baixar!

Assustou, né? Escutei hoje: “It’s been really hard to find good bilingual professionals there in Sao Paulo!” (Tem sido muito difícil encontrar profissionais bilíngües aí em São Paulo), e então pensei: caramba, se está difícil encontrar aqui na maior cidade do país, imagine nas outras cidades! Mas observem que o difícil não está no “encontrar” (isso eles conseguem de forma bem fácil, ainda que sejam currículos em português), o difícil mesmo está no “bilingual”. Por isso, pessoal, ninguém tem que se assustar não. O que tem que fazer é aproveitar a oportunidade que temos para “arregaçar as mangas” (roll up the sleeves) e colocar em prática tudo aquilo que todo mundo aqui no EE mais quer: aprender, compartilhar conhecimento*, e aperfeiçoar continuamente, para então poder se orgulhar não só das futuras conquistas, mas também de toda a trajetória percorrida até chegar nela.

Só para complementar, segue abaixo um simulado de entrevista em inglês que aborda vários temas:

  1. Falando sobre sua vida
  2. Sobre a personalidade do entrevistado
  3. Sobre a vida acadêmica
  4. Contando sobre a experiência profissional
  5. Trajeto para o trabalho
  6. Falando sobre o futuro
  7. Postura no ambiente trabalho
  8. Vida particular
  9. Finalizando a entrevista

See you next time!

Aplicativo para Ampliar o Vocabulário

Você tem dificuldade para se lembrar das palavras, phrasal verbs e expressões em inglês? Conheça o "Meu Vocabulário: Um aplicativo para ampliar o seu vocabulário em inglês" e veja como nossa equipe resolveu esse problema definitivamente.

Receba mais dicas de inglês como esta por E-mail, Twitter, RSS feed ou Facebook.

29.jpg

Flávia Magalhães

Flávia Magalhães é estudante de inglês e colabora periodicamente com artigos para o EE. Além disso ela é moderadora do Fórum do English Experts.

21 comentários

  • 20/05/10  
    camilo lopes diz: 1

    pow Flávia, parabens pelo post.
    é isso mesmo, sem ingles nao dar para ir muito longe aqui no Brasil, caso o profissional deseje ir para uma cargo mais “executivo”. E para esses cargos falar fluente e bem é algo que tem que ser natural e nao diferencial. Vejo muitas pessoas investindo em 2-3-4 especializacao e esquecendo do segundo idioma, claro o retorno em idiomas não é curto prazo, uma especializacao se ver por ai de até 1 ano, o profissional sai com um canudo, e sabemos que nao dar para ser fluente em um idioma em 1 ano, por mais dedicacao e força de vontade existem fatores nao relacionado a horas de estudos, livros que contribuem para o processo. Um deles é o cérebro, tem dia que esse doctor não está a fim de trabalhar e nao tem milagre que o faça mudar de dia. Quem nao passa por ne?
    Mas, o fato aprender inglês é a chave de mudança para um futuro promissor de qualquer profissional.
    abracos,

  • 21/05/10  
    Raphael diz: 2

    Pura verdade!

    Tenho um professor na univ que sempre fala que sem inglês você está “amputado” profissionalmente.
    Se a área for tecnologia então (como eu), o inglês chega a ser mais importante que o próprio conhecimento técnico, em certos casos.

    Abçs.

  • 21/05/10  
    MÁRIO CÉSAR BERNARDINO diz: 3

    I am a Freelance Translator and I know how important is the English language. I would
    not be the same if I had not studied english
    since when I was young and nowadays I know
    what English means to me, and I tell you that
    I see life in a different way. If you do not speak
    English, “do it right now” and you gonna se this
    difference. MÁRIO TRADUÇÕES

  • 21/05/10  
    Maria das Neves diz: 4

    A “teacher” disse-me que aprender inglês corresponde a fase de alfabetização, um belo dia a gente se vê entendendo, lendo e falando o idioma. Um ano é pouco para assimilar tudo. Mas o português é muito mais difícil e aprendemos então vamos a luta.
    Obrigada pelas dicas, são preciosas.

  • 21/05/10  
    Denilson Barbosa diz: 5

    Concordo plenamente se analisarmos a situação hoje.

    Porém recentemente saiu uma matéria na Revista Veja onde na capa estava escrito:
    “Do you speak Google?.

    Trabalho com tecnologia há mais de 25 anos e nunca vim uma revolução na àrea ser tão rápida quanto nos dias atuais.

    Minha pergunta é… Será que em pouco tempo a tecnologia da Google não estará em dispositivos movéis onde o usuário poderá escolher o idioma e conversar com qualquer estrangeiro conforme texto da materia ?

    “Estima-se que em dez anos já sejam 250 as línguas contempladas. E, nesse ponto, a inclusão de aplicativos de tradução simultânea em computadores e telefones celulares permitirá que bilhões de pessoas se entendam – sem jamais ter de abandonar a própria língua.”

    Ver matéria na integra no link:(http://googlediscovery.com/2010/05/04/do-you-speak-google/)

    Obrigado
    Denilson Barbosa ®

  • 21/05/10  
    João B. L. Ghizoni diz: 6

    I had long been looking forward to reading a post written by you, Flávia. I’ve finally had the chance to get one. What a great article (though it’s in Portuguese – I know, I know the aim in this case is to reach ALL readers)! Maybe one of these days we’ll have the nice surprise of coming across one more nice text of yours, but written in English. Congratulations on the topic – and content!

  • 21/05/10  
    Flávia Magalhães diz: 7

    @ Camilo
    Não é preciso nem querer ir tão longe, como os cargos mais “executivos” que vc mencionou. O caso que mencionei se refere à uma vaga de analista financeiro de uma empresa relativamente pequena, porém que é um braço de uma outra que é bem grande. E tudo o que vc disse é bem verdade: eu tenho muita vontade de puxar a orelha de alguns colegas que dizem: “ah, agora vou fazer pós, então vou parar de estudar inglês…” tem que encaixar um tempinho na agenda, nem sempre é fácil, mas, precisa!

    @ Denilson Barbosa
    é, o Google vai dominar o mundo sim. Mas a questão do tradutor está bem limitada à comunicação via internet, né? Linguagem escrita, principalmente. Sei que isso é crucial, principalmente na área de tecnologia, mas o contato *humano* também é necessário, e enquanto o Google não criar um chip com tradutor pra gente colocar no cérebro (rs), vamos ter que continuar estudando very very hard!!!

    @demais: tks pelos comentários

  • 22/05/10  
    Flávia Magalhães diz: 8

    @ João Ghizoni
    Yes, the aim was to reach all readers.
    And I write a lot in English there in the forum. I’ve already said you should go there more frequently, haven’t I? ;)

  • 22/05/10  
    Wellington de Freitas Teixeira diz: 9

    Gostei do comentário do Raphael que diz que sem inglês você está “amputado” profissionalmente.
    Trabalho com informática e idiomas é mais que necessário é uma obrigação.
    Sempre comento com meus amigos;
    – E ai como vai seu inglês ?
    Geralmente eles respondem…
    – Ta indo! No próximo ano vou começar intensivão. Mas da para se virar. :(
    Será?
    Só que esquecem que a necessidade é para agora, gosto do EE por conta de levar sempre a tona o assunto de que o Inglês é mais que essencial é uma maneira de nos expandirmos.

    Não vamos nos enganar e sim estudar!!!

  • 22/05/10  
    Nilton Magela diz: 10

    It’s really truth.
    I’m 15 years old and I’m studying English since 2009.

    I like this Language so much and this site helps me a lot..

    thanks.

  • 22/05/10  
    Denyse diz: 11

    Pois é, essa estória de ter inglês no curriculo e ser fluente até agora não me ajudou em nada.
    Ok, moro no interior de SP, mas aqui tem empresas como Eaton, Baumer, Mahle, International Paper, Korn, etc., há 3 anos envio meu curriculo e nunca nem me chamaram prá entrevista! acredito que não seja por eu não ter experiência “comprovada” na área, mas sim pela minha idade. Infelizmente pessoas com mais de 40 anos não são levadas em consideração neste país que está caminhando para uma população de idosos. Desculpem o desabafo!

    • 22/05/10  
      Alessandro diz:

      Denyse,

      Só uma sugestão. Será que não está na hora de você usar toda a sua experiência em um negócio próprio? Recomendo de verdade uma visita ao Sebrae. Você já ouviu falar do Empretec?

      Abraços,

  • 23/05/10  
    Renan diz: 12

    Alessandro, eu estou pensando em fazer um intercâmbio de um mês para o EUA, para fazer um curso de inglês.

    O que voce acha disso?
    Esse intercâmbio para o EUA para ser valorizado aqui no Brasil a ponto de superar os gastos que eu terei agora?

    • 23/05/10  
      Alessandro diz:

      Renan,

      Se o seu CV vai ser valorizado ou não isso eu não sei. Mas garanto que será muito proveitoso para você. É sempre importante conhecer novas culturas e idiomas. Recomendo que leia os comentários sobre Intercâmbio em nosso fórum. Segue abaixo o link:
      http://www.englishexperts.com.br/forum/intercambio-no-exterior.html

      Good Luck!

  • 23/05/10  
    Maite Tosta diz: 13

    @Renan

    Meu sobrinho está neste momento em San Diego fazendo intercâmbio de um mês… ele é administrador de empresas. Com certeza é um investimento com retorno, agora lógico que o retorno pode não ser imediato ! Outras coisas precisam ser agregadas, como um bom MBA, etc.

  • 23/05/10  
    Stan diz: 14

    e ainda conheço pessoas que não se interessam e nem valorizam a língua inglesa…é incrível, mas elas existem….mas, como sempre digo…o tempo é o senhor da razão…é só aguardar as cobranças futuras…What a pity!!! Sorry…
    bjs,

  • 26/05/10  
    Ricardo diz: 15

    Muito bem observado e colocado Flávia.
    Como depoimento pessoal posso dizer o seguinte: no meio dessa crise toda, tenho colocação garantida por causa do CV e principalmente do Inglês. Toda a semana atendo pelo menos duas entrevistas, em Inglês.
    Pena que a língua inglesa não seja valorizada em paizes latinos. Qualquer europeu médio fala Inglês.

  • 31/05/10  
    Allisson Souza diz: 16

    As well as João, I’d long been looking forward to reading a post written by you, Flávia. I know I’m in this blog since some weeks ago, but it was enough to see your ability. Unfortunately, I didn’t have time to look for some more posts written by you. I’ve just found a post where you gave a tip, but it wasn’t written by you. So, I’ll tell you the same I wrote there. I love you – or rather, I love your work and dedication -, your so important to beginners like me. God bless y’all!
    Hugs!

  • 01/06/10  
    Flávia Magalhães diz: 17

    @ Allisson Souza
    Thank you very much for your kind words.
    I don’t usually write posts for the blog; my participation is much more significant in the forum. Are you a member of the forum? I hope to see you there.
    take care!

  • 07/06/10  
    CRRocha_Guitar diz: 18

    parabens pelo post e muito oportuno_
    não adianta as pessoas se esquivarem dessa lingua_ela está presente no mundo todo(na Internet então sem comentário)__No Brasil
    arrisco dizer em qualquer area não existe uma bibliografia tão vasta como na lingua inglesa_
    ciências sociais_ciências exatas_artes etc..
    Na minha area(arranjador musical) existe uns 3 livros tratando do assunto, enquanto que na lingua inglesa já existe uns 35 livros(eu tenho 17)__minha sobrinha q fêz medicina no Rio já reclamava da ausência de uma bibliografia inteiramente nacional
    É a realidade pessoal
    Abraço ao timaço do EE e toda galera q participa

  • 10/06/10  
    Andrea P. C. Rezende diz: 19

    Flávia, parabens pelo post! Li o que vc escreveu no dia que vc postou e fiquei pensando numa forma de esparramar isso para o máximo de pessoas que eu tenho contato. Sou diretora de marketing de uma escola de inglês e assino embaixo tudo o que vc disse. O assunto ficou dando voltas na minha cabeça, pois acredito que poderia ajudar a abrir a mente de muitos. Por isso resolvi enviá-lo hj a todos que tenho em meus contatos, obviamente reservando a vc os créditos pelo post e indicando o site englishexperts para eles também. Se eu receber algum comentário, farei questão de encaminar p/ vc. Parabens mais uma vez.