Utilize as preposições a seu favor

Olá, amigos do EE! Sempre fui aficionado pelo estudo de línguas e acredito que o uso das preposições vai manter eternamente o posto de “calcanhar de Aquiles” para nós, estudantes e apaixonados por conhecimento. Mas isso não quer dizer que não podemos entendê-las melhor e usá-las a nosso favor.

Preposição é a palavra que estabelece uma relação entre dois ou mais termos da oração. Ela conecta palavras, dando a elas novo sentido ou criando uma relação específica.

Tire suas dúvidas sobre os tempos verbais, baixe um guia grátis da Englishtown: Guia de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola. Clique aqui e saiba como baixar!

Nas duas línguas estudadas em nosso contexto (português + inglês) a regra é clara: gramaticalmente não é permitido terminar uma sentença com uma preposição. No entanto, o inglês coloquial tem por característica o uso de preposições em finais de frases, principalmente as interrogativas. Observe o exemplo:

  • Where are you from? [De onde você é?]
  • What are you talking about? [Sobre o quê você está falando?]
  • What’s he looking at? [Para quê ele está olhando?]

Algumas frases são consideradas de uso “inculto” como : That’s where it’s at! (Podendo ser traduzido como “Este é exatamente o ponto/ o assunto.” ou “Aí está a diferença/o problema.”); mas isso não impede o seu uso no dia a dia dos falantes de língua inglesa.

Termino este meu primeiro post com uma expressão que ouvi recentemente em um ônibus aqui na Inglaterra: haunts me.

  • He is the boy who she moved from Australia to Scotland with. [Ele é o garoto com quem ela se mudou da Austrália para a Escócia.]

Até a próxima!

Sobre o Autor: Almiro Andrade é professor e linguista desde 1999, é original de Salvador, Bahia. Morou em São Paulo ensinando inglês e agora mora em Londres onde dá aulas de Português para estrangeiros e de literatura comparada para adolescentes.

Aplicativo para Ampliar o Vocabulário

Você tem dificuldade para se lembrar das palavras, phrasal verbs e expressões em inglês? Conheça o "Meu Vocabulário: Um aplicativo para ampliar o seu vocabulário em inglês" e veja como nossa equipe resolveu esse problema definitivamente.

Receba mais dicas de inglês como esta por E-mail, Twitter, RSS feed ou Facebook.

25.jpg

Autor Convidado

Este artigo foi escrito por um Autor Convidado do English Experts. Confira o nome do autor no rodapé do texto acima. Seja um colaborador, clique aqui e saiba como participar.

15 comentários

  • 27/10/11  
    Wesley diz: 1

    Qual seria então a forma gramaticalmente correta da frase “What are you talking about?”?
    About what are you talking?

    Não sei se é impressão minha, mas fica meio estranho.

    • 27/10/11  
      Almiro Andrade diz:

      Ola Wesley,

      Tudo bom?
      Tornou-se aceito ate mesmo pelo Oxford Dictionary o uso das preposições em finais de frases especificamente em casos de uso da forma passiva:

      – The dress had not even been paid for. (Nem tinha sido feito o pagamento do vestido.)

      Também em perguntas que incluam verbos transitivos indiretos ou em “relative clauses”:

      -Did you put that there? What for? ( Voce pos isso ali? Por que?) = Na regra do ingles culto a frase seria “For what reason?” mas o proprio O.D. reconhece o primeiro exemplo como uso perfeito do ingles moderno.

      Espero que tenha ajudado :o)

  • 27/10/11  
    Alessandro diz: 2

    “Where are you from?” não é coloquial, é a única maneira de perguntar de onde alguém é.

    • 28/10/11  
      Almiro Andrade diz:

      Não diria que é a única maneira, querido Alessandro.

      Restringir as possibilidades evolutivas de uma lingua é um ato, muitas vezes bem intencionado e carinhoso, mas de grande perigo para o entendimento dela.

      Abaixo coloco um link em que explica um pouco melhor. A “regra” que foi explicada não se aplica da mesma forma nos dois idiomas, mas é sempre bom estar atento ;o)

      http://www.jimloy.com/language/prep.htm

      Obrigado!

  • 27/10/11  
    Conceicao Alvim diz: 3

    Eu gosto muito desde site , pois estou sempre dando uma olhadinha.

    • 28/10/11  
      Almiro Andrade diz:

      Eu também Conceição!

      Acho uma ferramenta incrível de estímulo ao aprendizado e a troca de experiencias.

      :o)

  • 27/10/11  
    Pedro Alexandre diz: 4

    Sobre como não faz sentido dizer que não se deve usar preposições no fim de sentenças, mesmo no inglês formal, fico com a lenda que diz que Wiston Churchill replicou o seguinte a alguém que lhe apresentou essa regra:
    “This is just the sort of nonsense up with which I will not put.” Mais sobre isso na seção “Ask the Editor” do Merriam-Webster’s no installment ‘Ending a sentence with a preposition’, no link abaixo:
    http://www.youtube.com/watch?v=9OLxLK_R6jQ
    Cheers

    • 28/10/11  
      Almiro Andrade diz:

      Muito bom o video, Pedro!

      E de certo esta é uma discussão que pode dar pano pra manga, especialmente porque trata-se da evolução natural das linguas modernas.

      Assim como em nosso querido idioma os pronomes átonos não podem vir entre o verbo auxiliar e os participios ou infinitivos. Mas como condenar frases como “Eu sei que vou te amar” ou “Ele tinha me falado isso.”?

      Eu sou completamente a favor e espero sempre que as regras de uma lingua sejam mutaveis e devam evoluir como tudo a sua volta.

      Cheers buddy! :o)

  • 28/10/11  
    Wagner diz: 5

    Olá!! Não teria que ser :”He is the boy whom…” já que o whom está como objeto do verbo?

    • 28/10/11  
      Almiro Andrade diz:

      Certissimo, Wagner!

      Obrigado pela correção!

      :o)

      Aqui vai um link que explica melhor essa relação:

      http://www.mayfairschool.co.uk/who-or-whom.html

    • 28/10/11  
      Adir Ferreira diz:

      Wagner, ficaria assim:

      He is the boy with whom she moved from Australia to Scotland.

      Veja um exemplo com o início de frase que você colocou:

      He is the boy whom we saw yesterday. (Ele é o menino que vimos ontem.) – Nós vimos o menino (objeto direto), por isso o uso de whom no exemplo.

  • 28/10/11  
    Renata B Anderson diz: 6

    O que significa a expressão “haunts me”?

  • 28/10/11  
    Aliomar diz: 7

    Estou aprendendo muito aqui, parabéns a todos.

  • 28/10/11  
    Almiro Andrade diz: 8

    Acho que foi uma edição do moderador provavelmente porque eu não me fiz claro.

    O que eu quis dizer foi que a ultima frase do post com o excesso de preposições e o uso incorreto do pronome relativo (Well done, Wagner!) é uma frase “that haunts me”!

    Ou seja, é uma frase que me “persegue”! Eu a ouvi em um ônibus aqui em Londres e ficou na minha cabeça por muuuito tempo :o)

    Outro significado para o verbo “to haunt” também pode ser (aproveitando o ensejo do Halloween) o de “assombrar”.

    Espero ter sido mais claro dessa vez :o)

  • 17/01/12  
    Nathália Cristina diz: 9

    Caro Almiro,
    vi o link: http://www.mayfairschool.co.uk/who-or-whom.html e o texto diz que ‘who’ serve tanto para substituir o sujeito quanto o objeto e ‘whom’, só o objeto. Então não é certo afirmar que a frase “só” está correta com ‘whom’, correto? Então podemos dizer sim “He is the boy who she moved from Australia to Scotland with”? Ou esta página do mayfair contém informação equivocada?? Ou estou viajando? rs Aguardo retorno….Thanks