Entrevista com Luciano Burti, piloto e comentarista de F1 da Globo

Luciano Burti: PerfilCaros leitores! Como vocês já devem ter percebido eu sou fã de Fórmula 1, não foram poucas as vezes que citei a principal categoria do automobilismo aqui no EE. Falar de F1 é também falar das transmissões da Globo, sempre de ótima qualidade e comentaristas de primeira linha.

Quem assiste F1 vai concordar comigo, depois da regra que exigiu que as equipes liberassem em tempo real o áudio das conversas entre pilotos e equipe, as transmissões ficaram mais interessantes. É legal ver a adrenalina dos pilotos e a estratégia das equipes, tudo podendo ser alterado em fração de segundos. Entretanto só o áudio não basta, é necessário alguém com conhecimento e vivência de F1 para traduzir aquilo tudo para os telespectadores. Função que o piloto/comentarista Luciano Burti vem fazendo com excelência. É com ele que converso hoje.

Luciano Burti, 34 anos, piloto da Stock Car, colunista da revista “Quatro Rodas”, executivo e ex-piloto de F1 (onde passou por Jaguar e Prost em 2001 e foi piloto de testes da Ferrari de 2002 a 2004).

Tire suas dúvidas sobre os tempos verbais, baixe um guia grátis da English Live: Guia de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola. Clique aqui e saiba como baixar!

1. Luciano percebe-se durante as transmissões que você tem uma compreensão do inglês acima da média. Como surgiu o interesse pelo idioma? Você aprendeu por exigência da profissão?

Morei na Inglaterra, em Cambridge, de 1996 à 2001 porque fui correr naquele país até chegar a F-1. Então aprendi por exigência da profissão sim, mas se não fosse isso teria procurado estudar inglês e fazer um intercâmbio de qualquer maneira.

2. Qual é o segredo para entender a comunicação via rádio entre pilotos e equipes? Existe alguma técnica especial?

Na verdade não, o ouvido que já está treinado devido à experiência. Aliás, percebo que você consegue começar a se comunicar melhor em outra língua quando “o seu ouvido fica bom”. Depois de entender você ganha autoconfiança em responder e falar.

3. Você fez curso em escolas tradicionais ou aprendeu por conta própria, no dia a dia.

Frequentei algumas escolas aqui no Brasil, importante para ganhar a base, e depois amadureci na prática do dia a dia.

4. Além do inglês você fala mais algum idioma?

Falo também Italiano, mas não fluente como o Inglês.

5. Você acredita que é possível aprender inglês por conta própria via internet?

Acredito que sim, principalmente o básico para você falar o necessário e se comunicar.

Burti conversando com engenheiros da Ferrari
Burti conversando com engenheiros da Ferrari

6. Na época de Ferrari a comunicação interna era em inglês ou italiano? Havia algum problema de compreensão por conta do sotaque?

Todo o trabalho oficial em inglês, mas o bate-papo com os mecânicos em italiano. Obviamente existiam sotaques diferentes, mas isso nunca foi um problema. Faço uma recomendação, não se preocupe com o sotaque, ele virá naturalmente. Conheci algumas pessoas que se preocupavam mais com o sotaque do que com a língua em si e por isso demoravam a falar com fluência.

7. Em quais países você já morou? Houve alguma dificuldade de adaptação com a nova cultura e idioma?

Seis anos na Inglaterra e dois anos em Mônaco. Não houve dificuldade em me adaptar porque eu fui com a intenção de aprender a nova cultura e entrar nela. Se eu tivesse mantido os meus costumes do Brasil teria mais dificuldade. Como exemplo, na Inglaterra chegar cinco minutos atrasado já é falta de respeito e educação, enquanto no Brasil ser pontual é visto, às vezes, como ansioso, neurótico ou exagerado, vê se pode…

Burti e seu chefe de equipe Alain Prost
Burti e seu chefe de equipe Alain Prost

8. Você se considera uma pessoa de sorte?

Devo dizer que sim, agradeço muito pelas minhas oportunidades e realizações, mas ao mesmo tempo acredito muito naquele ditado “quanto mais eu trabalho mais sorte eu tenho…”.

9. Qual dica você dá para quem está aprendendo inglês?

Basta você se dedicar que aprenderá na certa. Deixe a vaidade de lado e não se preocupe em errar no começo ou de ter sotaque de brasileiro porque, aliás, você é brasileiro! Quanto mais cedo começar a praticar melhor. E incentive os seus filhos, sobrinhos, afilhados e etc. para aprenderem desde cedo porque para a criança é muito mais fácil. Hoje o inglês já é muito importante, mas daqui alguns anos será uma obrigação.

Burti, muito obrigado pela entrevista, torci por você na F1 e hoje também na StockCar. Foi uma honra. Continue com o ótimo trabalho nas transmissões de F1 e muito sucesso na StockCar.

Fonte das imagens: lucianoburti.com.br

Alessandro

Alessandro Brandão

Alessandro Brandão é coordenador do English Experts e do Fórum de idiomas. Trabalha também em projetos na área de Ensino a Distância (EaD).

Mostrar 16 comentários