A hora de Falar inglês: eis a questão

Olá a todos,

Eu sou novo aqui no Fórum e queria compartilhar um problema que estou tendo com meu Inglês.

Eu estudo no Kumon. O curso deles trabalham habilidades como: reading, comprehension, writing, listening.

Eu estou caminhando para o final do curso, e não me sinto a vontade para falar. Os outros alunos conseguem falar tranquilamente e eu não. O que acho estranho é que simplesmente quando alguém se aproxima de mim e faz uma pergunta em Inglês eu travo, não consigo entender, nem responder.

Porém, quando a pessoa sai, eu me lembro da questão feita, e sabendo o sentido eu a respondo. Eu tenho uma ótima pronúncia quando estou sozinho, mas se tenho que ler para outras pessoas eu comete erros que não acontecem quando estou sozinho.

Ou seja, parece que o problema é falar diante do outro. Isso não acontece comigo quando estou falando em Português. Nunca fiquei nervoso com apresentações de trabalhos na sala de aula, ou mesmo em palestras para públicos totalmente desconhecidos.

Sinceramente, não entendo.

Se puderem me ajudar com dicas, ficarei muito agradecido a vocês.
Eu tive o mesmo problema. Quando fiz curso de inglês, eu era o que menos falava. Quando precisava falar algo em inglês, sempre travava. Eu fiz um curso inteiro de inglês e não aprendi quase nada justamente por causa desse problema. Agora eu tive a ideia de praticar inglês de forma escrita em sites, fóruns e chats. E quando leio algo em inglês, faço isso em voz alta pra praticar a pronúncia. Acho que fazendo assim, daqui um tempo quando eu precisar falar com alguém eu não vou sofrer tanto.
MENSAGEM PATROCINADA Para aprender mais sobre os Tempos Verbais baixe agora o: Guia Grátis de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola.

Clique aqui e saiba como baixar!
Avatar do usuário PPAULO 35950 4 32 631
Cada caso é um caso. Quem saber, talvez vocês não ''queiram se expor ao rídiculo". Tipo, já que são bons em alguma outra área, não queiram (até pra si mesmos) admitir seus "pontos fracos". Eis o porquê de muita gente preferir aprender a dirigir em auto-escola, e não recorrer a um parente (marido, esposa, irmão, pai etc...)
Na verdade é preciso "se soltar" um pouco, aprender que na vida se erra mais do que se acerta. E por isso se aprende muito com os erros.
Claro que aqui estou pensando na história das 1000 lâmpadas de Edson, nas quais se perderam 9999 para se chegar a lâmpada certa, que funcionou. Não estou dizendo que vá fazer uma cirurgia ou pilotar um avião só porque se aprende com os erros! não esses tipos de erros, tá? :lol:

Há também fases, hormônios, situação financeira, e até às vezes pessoas que nos fazem ficar inseguros (pessoas que podem lhe ver como um futuro competidor etc...e podem querer lhe botar pra baixo, dando um feedback invertido, negativo.) :evil:

Vou te contar, quando eu era criança lia em classe (só faltava pedir pra fazer as leituras, eu tinha alegria, esperava ansioso a minha vez de ler.). Depois passei uma parte da fase adulta em que os pensamento de ter de ler algo na frente de outros me deixava em pânico, e isso me prejudicava.
Depois, muitos anos depois, botei na cabeça que consigo. Pode ser que saia ruim, que possa ficar imperceptível alguma hora, que fique alto demais em outras horas...ah, não estou nem aí, todos sabem que não sou orador profissional, ponto.
Contudo, é melhor ser humilde, pelo menos um pouco. Reconhecer diante dos outros que você fica com vergonha, que erra, que gagueja, que fica vermelho, que as suas mãos suam, que dá um branco, o que quer que seja.
Dizer, conversar com as pessoas pode ser bom, outras que se sintam assim vão chegar e compartilhar idéias pra transpor esses obstáculos.
Sabe, eu brinco com as minhas próprias dificuldades e problemas (principalmente depois de passado o evento! ufa! vocês viram como foi difícil? etc...
Mas exija respeito, claro. Todos tem sua vez, e você não vai tripudiar em cima de um problema sério, numa hora séria como um teste, ou na frente de um professor, por exemplo. E isso qualquer um pode dizer, e assim, se fazer entendido e respeitado.
Quando eu escrevo algumas coisas aqui (em inglês) sei que vou errar e muito, que meu inglês não é nenhuma "Brastemp", mas é isso que tem pra hoje. Ou você pensa que sou bom nisso? não sou não. Mas me solto, não paga nada, e no processo ainda aprendo.
Fato parecido quando aprendi a dirigir, as palmas das mãos suavam tanto que pareciam uma tampa de panela, mas insisti, persistí e não desistí. Agora flui natural como andar, abrir uma porta ou assistir televisão. Em algumas coisas a gente precisa enfrentar o bicho-papão que está na gente, os nossos medos, dúvidas, incertezas, e simplesmente fazer o que tem que fazer.
Não estou dizendo nada em particular (direcionado), só em geral aqui. Se não por outra coisa, pelo menos muitos saberão do que estou falando e talvez se sintam mais aliviados e servirá pra encorajá-los (eles não estão sós ;) ).

E claro que muitos também não vão admitir, ou você acha que aquele vovô sério, tipo super-herói vai contar ao netinho que ele também tinha medo de escuro, do pio de uma coruja, ou de formiguinhas etc quando era pequeno? :lol:

Ah, e você pode treinar com alguém de sua confiança (pode ser um colega etc) antes das aulas, mande ele interromper (em inglês), fazer perguntas, se possível fazer perguntas difíceis, dizer que não acredita no que você está dizendo, "prove", diga de outra maneira, etc. É uma boa brincadeira, e pode lhe preparar para qualquer situação, ou quase.

Outras dicas e experiências dos colegas do EE certamente virão, vamos aguardar mais.
Hello guys;

Acredito que o falar é a grande dificuldade de todos os estudantes de inglês que não estão imersos no idioma. Com 3 meses e 20 dias de estudo, consigo entender muito melhor quando leio do que quando ouço, assim como é muito mais fácil escrever do que falar.

Mas como disse o nosso colega PPAULO, acredito também que o segredo é não ter medo de falar e de errar. E claro, procurar as situações onde seja possível utilizar mais o idioma.

God bless you.
Hugs.
Obrigado pessoal, por terem me respondido.

Eu concordo com os três. Acho realmente necessário, mais read, mais listen..., como sugere o Lucianus. Assim, como superar essa recusa minha em errar. Pois, para acertar um dia, temos que errar em muitos outros.
Estou tentando, me abrir mais para falar com as pessoas. Ontem mesmo na fila do banco, tinha uma moça de uma Colônia de Norte Americanos aqui na minha cidade. Ela falava com o namorado ou marido, eu entendia tudo o que ela dizia, e em um momento eu sorri e ela percebeu que eu estava entendo o que ela dizia e ficou vermelha de vergonha (risos). Ela estava quase chamando o cara para a cama (risos).
Ela desligou a ligação, e me olhou, e então perguntou: Were you understanding me? Eu apenas acenei com a cabeça que sim. E para mudar de assunto eu perguntei: Are you living in American Colony? Ela respondeu que sim. E eu apenas comentei: We must have patience with line like this. E ela sorriu.

Eu nunca tinha tido essa coragem. Acho que por isso, choveu ontem (risos).
Atualmente, eu converso com várias pessoas que já eram amigas minhas no facebook e que sei que falam bem o idioma. Mais nem com elas eu arriscava.

Tenho tentado me soltar primeiro num chatting para depois poder ligar para essas pessoas e prosseguir com um speaking. Parece que estou conseguindo.

É isso. Mais uma vez, obrigado.
Avatar do usuário PPAULO 35950 4 32 631
Glad that it helped, flawio. See? it´s already an achievement to celebrate! Keep up the good work.
As you see, sometimes inhibition comes from within, and hold us back. Sometimes change is needed, we need to go out of our comfort zone,it pays in the end.