Curso de inglês fora da sala de aula

Os tradicionais métodos de ensino de idiomas que colocam o aluno na sala de aula com vários outros estudantes e um professor escrevendo na lousa branca precisaram ser incrementados e remodelados. É necessário se atentar que temos uma nova geração com necessidades, hábitos e estilo diferentes. Hoje, vivemos a era da informação, pela qual tudo é imediato e interativo.
Como parte dessa geração, chamada e conhecida por Y, sei que os formatos tradicionais de ensino podem não ser suficientes para que o aluno desperte interesse e realmente aprenda outro idioma. Inclusive, essa é também é a era da imagem e da experimentação. A Paciência não é uma virtude dos nascidos após 1980, então tudo o que for estático e longo não os atrai. Outra peculiaridade dessa geração é o contato com inglês, principalmente os pertencentes à classe A, B e C, por meio da internet.
Com tanta informação, atrair essa turma não é fácil, mais difícil é fazer com que ela não se disperse no meio do caminho. Por isso, as aulas têm de sair do comum. Levar músicas, filmes, brincadeiras e debates podem ser um bom começo para o dia a dia. Porém, sair da sala de aula pode ser uma experiência muito enriquecedora.
As aulas fora da sala de aula levam o aluno a colocar em prática seus conhecimentos, como, por exemplo, ir a um restaurante, biblioteca, shopping. São várias opções, mas lembre-se de ficar atento aos gostos do seu grupo de aluno, caso contrário, o que era para ser legal pode não ficar chato para alguns.
Uma experiência recente que tivemos e muito proveitosa, foi levar a turma para jogar uma partida de futebol. Nas aulas anteriores ao jogo apresentamos o vocabulário que normalmente se usa no esporte, incluindo gírias comuns. Professores, alunos e familiares participaram da atividade, seja jogando ou na torcida, todos aprenderam um pouco e se divertiram muito.