"I, who am...": está correta essa estrutura?

Eu estava fazendo um trabalho da minha faculdade sobre miscigenação. Estava pesquisando sobre o assunto, até que achei uma frase que o Ronaldo disse por volta de uns dez anos atrás (obviamente ele disse em português, mas o site em que eu a achei é norte-americano e, portanto, eles traduziram-na pro inglês). A frase é a seguinte:
"I think that all blacks suffer (with racism). I, who am white, suffer because of so much ignorance."
Sei que, em português, dizer "Eu, que sou branco, sofro...", mas em inglês essa estrutura me parece um tanto arcaica e estranha. Alguém poderia me tirar essa dúvida por gentileza?
MENSAGEM PATROCINADA Para aprender mais sobre os Tempos Verbais baixe agora o: Guia Grátis de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola.

Clique aqui e saiba como baixar!
Avatar do usuário Carls 3140 2 74
Sugestão:

Usa-se aqui o pronome relativo (sujeito) para juntar duas orações com o mesmo sujeito

I am white, I suffer because of so much ignorance
I who am white, suffer because of so much ignorance.

Outro exemplo:
That girl is dancing, that girl is my cousin Mary
That girl who is dancing is my cousin Mary
Carls escreveu:Sugestão:

Usa-se aqui o pronome relativo (sujeito) para juntar duas orações com o mesmo sujeito

I who am white, suffer because of so much ignorance.


Então essa frase que eu encontrei está com a estrutura correta, mas seu autor só se enganou em ter colocado uma vírgula a mais (no caso, depois do I)?
Avatar do usuário PPAULO 39195 6 32 684
Eu concordo com o Carl, gramaticalmente é assim.
Mas acho também que se trata de uma entrevista e ali houve uma pausa realmente, tanto na entrevista em português quanto na transcrição em inglês.
Na verdade ele deve ter falado "Eu, que sou branco..." com uma certa pausa (bem do Ronaldo mesmo fazer esse tipo de "suspensão" no pensamento.) Bem como ele poderia ter falado "eu que sou branco" de uma vez só, e então seria transcrito em inglês daquela forma.
Algumas vezes se sacrifica a forma em prol da comunicação. Mas é o que acho que aconteceu, outros darão sua opinião e poderá ser diferente.

Isso me lembrou de um professor de cursinho que nos ensinava português, ele gostava de contar umas histórias... Como a de que Rui Barbosa supostamente teria feito um discurso em Haia (ou outro lugar não lembro) começando com "Nós é..." e aí todos em volta com aquele Ohhhh! Como ele pôde dizer isso!
Nós é que somos brasileiros... Não foi brilhante?