Intercâmbio nos EUA: Estudar ou trabalhar?

Avatar do usuário Flavia.lm 3885 1 9 86
Ariel,

Eis uma excelente pergunta: será que no intercâmbio vc não vai acabar se deparando com gente que fala menos inglês que você? A resposta é: Sim, vai.
E quer saber? Isso é ótimo, pois a troca é sempre vantajosa.

E eu tive muito contato com nativos nas seguintes situações: minha professora, que passava muita experiência além do conteúdo das aulas, os funcionários da escola, os funcionários do mercadinho onde eu comprava minhas guloseimas, os guias turísticos dos passeios que fiz, o cobrador do ônibus, os vendedores das lojas, os garçons dos restaurantes, etc, etc, etc...

Veja "Custos e Escolha do Local" no item 3 do meu artigo abaixo:
Intercâmbio nos EUA: Principais questionamentos
MENSAGEM PATROCINADA Aprenda dicas sobre os tempos verbais em inglês! Baixe agora o seu Guia Grátis de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um ótimo resumo para revisar todos os conceitos.

Clique aqui e saiba como baixar!
Avatar do usuário Flavia.lm 3885 1 9 86
ah... e eu tinha que (tentar) me comunicar com a chinesa que limpava meu quarto (e que não falava inglês!) rs
ariel_cunha escreveu:Primeiramente, obrigado a todos que me responderam por aqui.

Pelo que vi, parece mais vantajoso tirar o mês para estudar e não trabalhar, principalmente pelo curto tempo para um serviço. Com relação ao visto, tudo indica que o de turista é o mais viável, pois é menos burocrático e também permite estudar.

Agora, esta opção de estudar é algo que tem bastante oferta por lá? Os cursos são realmente bons, realmente valem a pena? O que é lecionado neste tipo de ensino? Parece até mesmo que a prática do inglês acabaria acontecendo mais não com nativos, e sim com outros estrangeiros que também estivessem no curso.

E, a respeito das cidades, é bem interessante o que foi falado a respeito da escolha de locais com menos estrangeiros. Quais cidades se encaixariam mais neste perfil, além de Chicago?

Novamente, muito obrigado pela atenção de vocês.


Você tem várias opções de cursos disponíveis em todos os países de língua inglesa! :)

Os cursos são bons a partir do momento em que o aluno está realmente motivado a aprender inglês, e não ficar amigo do primeiro brasileiro que aparece. Isso acontece bastante e a pessoa acaba falando português mais do que deveria.

O fato de praticar no começo com os não nativos é boa porque ajuda a perder a vergonha de falar e estabelece amizades com pessoas que só terão o inglês como língua de comunicação :)

Como foi mencionado, ir para cidades com poucos brasileiros ajuda muito. No meu caso, aqui em Montreal, Canadá, você vê muito menos brasileiros se comparados à Toronto e Vancouver, que estão lotadas! Estudei aqui em Montreal e recomendo, adoro a cidade!

Boa sorte! :)
Mais uma vez, obrigado pela atenção de vocês.
Parece que ficou claro que a opção pelo estudo, dentro do período de 1 mês que terei será a melhor opção.
Eu li seu artigo, Flávia. Muito bom também.
Agora vou começar a pesquisar nas agências pois, mesmo que eu prefira ir por conta própria, com certeza vou captar muitas informações com elas.
Obrigado.
Opa Renato Galha, amigo você falou que trabalhou durante 1 ano em um parque aquático em Wisconsin Dell, mas você foi como turista e depois estendeu seu visto ou você já foi com visto de estudante ?
Ítalo,

Eu fui com o visto J-1, que é o visto de intercambista. Esse visto possibilita estudantes (ensino superior) a fazer o programa de Work and travel (3 meses de trabalho e 1 de férias) nos EUA. No meu caso por na época do intercâmbio, eu era aluno de Hotelaria, eu pude ficar por 12 meses.
Depois desse 1 ano, fui para Chicago para estudar, e fiz a mudança do visto para o F-1 (estudante).
Caso tenha mais perguntas estou aqui para ajudar.