Ler em inglês

Avatar do usuário Jedson 70 1 3
acho que o foco de uma grande quantidade de pessoas é a leitura mas tb acho fundamental saber a gramatica e a fala.
donay mendonça escreveu:Pedro,

Mesmo que seu objetivo principal seja ler,recomendo tentar desenvolver as quatro habilidades.Mais cedo ou mais tarde pode fazer falta.Para aprendermos bem um idioma,devemos seguir o processo natural(ouvir,falar,ler e escrever).Por mais que possa parecer difícil,acaba sendo mais fácil no final das contas.Aprender apenas lendo e escrevendo pode ser estressante a médio prazo, e os resultados não são tão bons quanto quando se aprende as 4 habilidades.

Um pouco do conteúdo básico:
Adjetivos iniciais(nice,bad,beautiful,ugly,etc)
Tempos verbais(presente,passado,futuro,presente contínuo)
Verbos(Work,travel,eat,drink,cook,speak,etc.)
Números
Dizer as horas
Advérbios de frequência
Pronomes

*Para termos boa leitura a dica é simples:Ler com frequência,trazer a leitura para seu dia a dia.

Bons estudos!


Olá Pedro, tudo bem?

Também sou inciante no inglês estou vivendo um pouco disso que o Donay falou!

Comecei no inglês lendo muitas coisas e hoje consigo entender 70% do que leio... Escrevo razoavelmente bem. O problema é que desenvolvi essas duas habilidades (reading and writing) e deixei as outras para trás (speaking and listening). Isso foi a pior coisa que eu fiz!

Hoje tenho a maior dificuldade em falar e entender o que falam! Por isso te aconselho a buscar desenvolver primeiro sua fala e seu ouvido, para depois passar para leitura e escrita!

Ano que pretendo investir em um curso de inglês, para melhorar minha situação!

Abraços e bom estudos!
Avatar do usuário Dude Spell 135 2
As dicas do Donay dizem tudo o que deve ser feito.

Eu aprendi o básico de inglês em escola pública, estadual, na época não era tão divertido como hoje que a gente pode espancar professores e traficar drogas nas salas de aula, mas tinha lá o seu lado bom, o inglês básico era bem dado e era repetido incansavelmente por todo o ensino fundamental. Sempre a mesma coisa.

Minha mãe me deu, aos 11 anos, um curso de inglês para crianças e aprendi minha primeira frase: wipe your nose. Mas só aprendi essa frase mesmo. Como o inglês tava na TV e no rádio o tempo todo, comecei a cantar músicas com a letra certa.

Aos 16 anos peguei um livro emprestado e um dicionariozinho escolar e levava uma hora e meia, duas horas numa página de letras grandes. Mas sem grana prum curso, foi o jeito. Troquei tudo o que lia (livros e revistas) para o inglês e durante 5 anos mais ou menos não lia nada em outra língua.

Hoje leio em inglês como leio em português, mas escrever e falar é um desastre. E agora, lendo fluentemente há mais de 20 anos, tou estudando escrita e fala.

Na minha opinião, a alma do negócio é:

1 - Estudar as estruturas básicas do inglês.
2 - Ler para ganhar vocabulário.
3 - Entender a pronúncia vendo filmes com legendas em inglês e ouvindo músicas com a letra.
4 - Escrever e falar o que aprender.
5 - Repetir a partir do item 1.

Tentar fazer tudo mais ou menos ao mesmo tempo.
Avatar do usuário Flavia.lm 3885 1 9 86
Interessante o seu relato, principalmente a parte onde vc diz que aos 16 anos passou a ler revistas e livros somente em inglês. E isso me fez pensar em nos jovens "empolgados" de hj em dia, que "acha" que já sabe tudo de português e que tem que entrar de cabeça num novo idioma.

Aos 17 eu estava lendo Machado de Assis, José de Alecar & afins pra prestar vestibular. Hoje vejo o quanto o "intensivão" de leitura durante minha adolescência ajudou a formar meu português, e obviamente a me ajudar com os estudos de inglês.

Eu tenho primos na faixa de 10-12 anos e às vezes me espanto com as coisas que eles publicam nos Orkuts e Facebooks da vida. Por isso insisto sempre que, não importa o tamanho da nossa paixão pelo inglês, ainda temos que zelar muuuuito pela nossa língua pátria.
Avatar do usuário Adriano Japan 805 1 18
Ás vezes me ocorre um fato que comparo o estudo do inglês com o de exatas.
No meu trabalho querendo ou não passo o dia inteiro lendo e escrevendo em inglês, batendo na mesma tecla, adquirindo aquele nível de experiência que dá pra saber quando uma frase está errada só de bater o olho, embora não consiga apontá-lo.
Chegando em casa vou assistir um filme ou ouvir uma música "sem compromisso", e me espanto como tudo soa tão mais nítido, fácil de entender, embora eu tenha passado o dia inteiro só lendo.

É como você passar horas estudando Química, só nas fórmulas, caneta e papel, aí chegar no labolatório, e ver na prática, a coisa funcionando, tubos de ensaio borbulhando, é lindo. :mrgreen:
Avatar do usuário Dude Spell 135 2
Flavia.lm escreveu:Interessante o seu relato, principalmente a parte onde vc diz que aos 16 anos passou a ler revistas e livros somente em inglês. E isso me fez pensar em nos jovens "empolgados" de hj em dia, que "acha" que já sabe tudo de português e que tem que entrar de cabeça num novo idioma.

É exatamente isso, teria sido muito mais difícil, se não impossível, pra eu aprender inglês sem o meu hábito de ler livros e revistas em português desde os 11-12 anos. Não só ler mas escrever em português também, por essa idade (16-17) eu tinha uma meia dúzia de pen pals e fazia poesia.
Avatar do usuário Adriano Japan 805 1 18
pen pals.. quem nunca teve uns 3 no mínimo? :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:
Avatar do usuário Flavia.lm 3885 1 9 86
Adriano Japan escreveu:É como você passar horas estudando Química, só nas fórmulas, caneta e papel, aí chegar no labolatório, e ver na prática, a coisa funcionando, tubos de ensaio borbulhando, é lindo. :mrgreen:


A-D-O-R-E-I a analogia.
Avatar do usuário Flavia.lm 3885 1 9 86
Avatar do usuário Adriano Japan 805 1 18
Flavia.lm escreveu:
Adriano Japan escreveu:É como você passar horas estudando Química, só nas fórmulas, caneta e papel, aí chegar no labolatório, e ver na prática, a coisa funcionando, tubos de ensaio borbulhando, é lindo. :mrgreen:


A-D-O-R-E-I a analogia.
;) ;)
e olha que não suporto exatas :oops: (←não tinha emoticon de carinha vomitando por isto usei esse)