Metodologia Ibeu

Avatar do usuário Alessandro 2970 3 9 71
Você é (ou foi) professor ou aluno da escola Ibeu? Deixe aqui informações sobre a metodologia de ensino. Suas informações poderão ser úteis para estudantes que estão buscando informações sobre a escola.
MENSAGEM PATROCINADA Para aprender mais sobre os Tempos Verbais baixe agora o: Guia Grátis de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola.

Clique aqui e saiba como baixar!
Para melhor conhecimento, aqui vai uma tabela de como funciona lá:

Kids - 4 Níveis (K1 ao K4)
Teens - 8 Níveis (T1 ao T8)
Basic - 3 Níveis (B1,B2,B3)
Intermediate - 4 Níveis (I1,I2,I3,I4)
Upper level - 3 Níveis (U1,U2,U3)

Como funciona: Se você ainda é criancinha, vai pro kids e depois para o teens. Quando termina o teens, você já vai direto para o I2(intermediate 2) e segue o resto. Ou seja, pula o Basic + I1.
Quando você já é um jovem/adulto começa no Basic e continua com o resto (não tem essa frescura de kids, teens).
Além de que é claro que existe o teste de nível e você pode pular etapas.

Olhando para a tabela você pensa: Oh my God! Que tanto de níveis! Como eu já tinha um inglês "meia boca" das escolas normais, e muito treino em internet, video-games, seriados, achei que ia bem no teste. Foi o que aconteceu. Na parte escrita do teste de nível, eu poderia cursar até o I3, I4 se eu quisesse, pois eu sempre me saí bem em gramática. Mas eu fui para o curso de inglês porque para mim é MUITO mais importante a comunicação (oral and listening). Foi nessa hora que enganchei. Quando fui fazer a entrevista, conseguia entender quase tudo o que era me falado, mas não tinha prática em falar (eu NUNCA tinha feito um curso antes, só o de colégio, como dito anteriormente). Só sei que me enrolei todo e me puseram no Intermediate 1. Fiz o I1 nas férias do início do ano, o I2 no semestre regular, o I3 agora nas férias do meio do ano, e estou a cursar no momento o I4. Ou seja, mais 3 níveis e "termino" o IBEU.

Mas eu não me engano. Sei que quando terminar o IBEU ainda não vou estar um expert em inglês, creio que só com intercâmbio para melhorar. Além de que me parece que quando se termina todos os níveis no IBEU daqui (lembrem-se que estou falando pelo IBEU-CE) espera-se que o aluno esteja no nível C1 do CEF (Common European Framework). Então acho que está de bom tamanho.

Preços: São os mais caros daqui de Fortaleza, ficando atrás apenas do Brasas, que chegou recentemente. Mas esse caro não é nem comparável com o que vocês pagam aí nas metrópoles.

Horários: Há dois tipos:
- Duas vezes por semana (cada uma com 1:45, totalizando 3:30h/semana)
- Sábado(2:30h/semana)

Ainda há o Intensivo de Férias, que são 4 semanas, com aulas todos os dias (seg-sex) com duração cada uma de 2:30. Pra mim esse é perfeito! Pena que não tem no período normal, somente em Janeiro e Julho.

Metodologia: Simplesmente eles não falam português! É claro que tem situações extremas que não tem como evitar, mas desde o início você é preparado para falar em inglês, pensar em inglês, respirar em inglês. Lá se você não for bem você reprova. Se não conseguir acompanhar as aulas eles te rebaixam. Se conseguir ir muito além do que te é ensinado eles te passam para um nível superior. Eles não importam com o seu dinheiro (falarei mais sobre isso abaixo), querem te ensinar. O livro não é lá essas coisas, mas não é ruim. Ele é perfeito para a metodologia do IBEU: não se importam muito com a gramática, eles querem que você fale e compreenda o que lhe foi falado (na minha aula de hoje por exemplo passamos a maior parte conversando, tendo feito apenas uma página do livro).
- Eles não misturam adolescentes com adultos. Geralmente os adultos fazem no sábado (pelo tempo disponível) e menores de 18 não são permitidos no sábado. Eu com 16 anos faço no sábado porque tenho universidade durante a semana (sim, sou a exceção). Mas eles me deixam fazer porque (eu me considero que) eu não tenho mentalidade de criancinha, que fica fazendo aquelas piadinhas e tal. A vida tem que ser levada à serio com relação ao estudo. Ou seja, no começo os adultos ficam incomodados com minha presença mas acabam acostumando porque sabem que não sou um aborrecente.
- As provas não são lá essas coisas também, mas também não é fácil. Na contagem deles tudo leva em conta (parte oral, escrita, listening, redações, gramática, participação.)
- A classe é pequena. A regra é no máximo 15, mas geralmente não passa de 10. Ou seja, parece com aulas particulares, pois elas são bem informais (a sala é formada com as cadeiras em círculos, ou seja, todo mundo tem direitos iguais na participação).
- Os professores tem um cronograma, mas o que geralmente se cumpre é o livro didático. Por exemplo, o livro utilizado é dividido em dois: a parte didática e a parte de exercícios (eles são separados). A parte didática TEM que ser terminada mas a parte de exercícios fica a critério do professor. É claro que quem for fazer vai ter um upgrade no inglês, mas como geralmente essa parte é composta pela maioria de gramática, não se utiliza muito. Por exemplo eu utilizo por conta própria a parte do listening (ninguém me obriga a fazê-lo). Ou seja: faz quem quer. Isso soa que o IBEU é relaxado para com os alunos, mas pelo contrário, eles são bem preocupados conosco, e como eu disse anteriormente, eles prezam pela conversação. Se você chegar nos EUA sendo o rei da gramática mas não sabendo falar pra mim é a mesma coisa que nada.

Pontos que gostaria de destacar:

- Não tenho 100% de certeza, mas ACHO que o IBEU daqui é totalmente diferente do Rio. Aqui eles são MUITO gente boa, no sentido de filantropia, essas coisas voltadas para quem não tem muita condição.
- TODOS os professores já passaram uma temporada nos EUA. Ou seja, não tem ninguém amador aqui. Só para citar um exemplo, tem um amigo de 20 anos que dá aula na Yázigi. Não que ele não seja fluente, mas desconfio de quem nem fez faculdade de letras, nunca viajou pra fora, e que dá aula só com o que aprendeu no curso.
- IBEU significa Instituto Brasil Estados-Unidos. Ou seja, eles têm um convênio com os EUA (de vez em quando os EUA mandam materiais, amostras culturais...) Mesmo eu tendo um pouco de ódio dos EUA (não vou discutir isso aqui, mas o inglês é necessário para mim, e só por isso faço inglês, não porque admiro a cultura e tal...) eles fazem um papel bonito de realmente te inserir na cultura norte-americana. Pode parecer lavagem cerebral, mas você sai de lá com um vasto conhecimento dos EUA (pra mim isso é fundamental, pois quero fazer um intercâmbio lá).
- Continuando no quesito de EUA, o IBEU-CE é muito respeitado. Tendo um diploma do IBEU-CE, você pode mostrar para qualquer um nos EUA que eles vão te respeitar, pois o diploma é emitido pela Embaixada/Consulado (não sei a diferença) Americana (isso é demais, não?!). Sem contar que tem tipo um cara que trabalha lá que é funcionário da Embaixada/Consulado (algo desse tipo, não sei exatamente o que é) que ele pode te dar todas as informações, ajuda, para uma viajem aos EUA, seja para aprender inglês, seja para trabalho, estágio, whatever. Ele está lá somente para isso.
- Biblioteca rica. Não a utilizo, mas sei que se eu precisar um dia, ela vai me salvar.
- Não é sistema de franquias. Aqui em Fortaleza só tem 2 unidades.
- Me parece que eles não são tanto capitalistas como os outros cursos (calma, eu não sou inocente) pois como disse anteriormente, eles fazem filantropia e tal(eu acho que eles ainda contam com uma ajuda do governo para se manter). Aqui não tem nada de extra. Você paga a mensalidade e pronto. Livros você compra na livraria (não é apostila criada por eles). Como disse anteriormente, ACHO que eles não tem nenhuma ligação com o IBEU-RJ, até o logotipo é diferente.
- Infraestrutura boa. Eu sei que, se o curso for bom, who cares? Eu não ligo para isso, mas pra quem é fresco, fica aí um ponto positivo. Não tem nada de especial, como cadeiras almofadadas, sala de computação, lanchinho, blábláblá. Mas é tudo limpo, organizado, ar-condicionado em todas as salas, som em todas as salas, televisão (utilizada somente pelas crianças) em todas as salas. Ou seja: nada de exorbitante, só o essencial.

Ponto negativo: Acho que o único seja a parte de escrita de texto (não de gramática, mas de redação mesmo). Para mim acho desnecessário, mas eu peno para fazer a redação da prova. Não que eu não tenha embasamento e tal (eu sei que soa bem arrogante, mas estou tentando ser o mais verdadeiro possível), o mais difícil são os temas que eles escolhem hehe Se fosse para fazer uma dissertação sobre política, economia, evento do momento, seria muito mais fácil.
Para ficar um expert em parte escrita/gramática vou fazer uma cadeira de inglês gratuita (estudo em universidade federal) que vai ser disponibilizada para quem quer tentar bolsas na França (eu sei, lá fala francês, mas também se usa o inglês nas faculdades de lá). Eu não quero saber de ir pra França, mas o motivo de fazer esse curso é porque ele enfoca em alguma prova de nível requerida (não me lembro o nome) por lá.

Bom, peço desculpas pelo texto longo, mas queria explicar o máximo possível para quem pensa em estudar no IBEU-CE. Qualquer dúvidas sobre a instituição podem perguntar à vontade.
Bom, ja fiz 3 cursos diferentes de inglês e posso garantir que o IBEU foi o que menos valeu a pena. O IBEU tem nome, tradiçao e realmente bons professores. Acredito que seja um curso forte para crianças e adolescentes mas para quem ja é adulto como eu não é bom.

O curso para adultos está dividido em 3 módulos: Flex e top flex (3 anos ao todo) e o Advanced (2 anos), totalizando 5 anos de curso. O problema é o método de avaliação deles, que difere do curso de adolescentes. São 3 miniprovas (muito fáceis) valendo 40 pontos, 1 prova oral valendo 20 pontos e 40 pontos de PARTICIPAÇAO EM SALA onde ninguém tira menos que 30. Esse sistema de avaliação permite que muitos alunos passem sem saber praticamente nada.

Agora contarei minha experiência la:
Entrei no nível 3 do Flex. A professora era muito boa mas as provas muito fáceis porem continuei pois sabia que geralmente nos primeiros níveis a cobrança costuma ser menor. Fui avançando e a avaliação continuou a mesma. Cheguei a discutir com meus professores sobre isso mas eles diziam que não podiam mudar o sistema.
Após 4 níveis percebi que eles focavam basicamente em 1 tema: Viagens, ensinando todo o vocabulário. Porem, meu desejo é ter um conhecimento amplo sobre inglês e não somente aprender um vocabulário especifico, então perguntei a uma professora o porque disso e ela me respondeu que a maioria das pessoas buscavam inglês porque queriam viajar e por isso eles davam muito vocabulário de viajem (um absurdo).
O tempo foi passando e entrei para o Top Flex, nível intermediário. Percebi que as avaliações continuavam muito fáceis pra quem ja, teoricamente, tem um nível intermediário de inglês. Tive problemas nesse período e acabei faltando metade das aulas e mesmo assim gabaritei 2 provas. Não sou nenhuma superdotada para tirar 10 em uma prova sem ir a nenhuma aula, portanto percebi que tinha algo muito errado e resolvi trocar de curso.
No ultimo período que fiz la o cenário era o seguinte: Uma turma com mais de 20 alunos, sendo que mais da metade não sabiam coisas básicas como formular uma pergunta ou contar um fato simples no passado (confundiam presente com passado, algo que a gente dá no nível básico). Pouco dialogo na sala (minha fala é péssima e mesmo assim gabaritava a prova oral). Exercícios muito básicos.

Meu conselho, se você tem menos de 18 anos talvez valha a pena tentar mas se ja é adulto, fique longe. O preço está em torno de 420 atualmente, foi o maior desperdício de dinheiro, não vale a pena. Estou indo para o brasas agora, onde ja estudei antes.