O que fazer quando não há tradução ao português?

Bom dia pessoal.

Senti muita necessidade de criar esse tópico pq estou tentando como muito empenho aprender inglês. Tento melhor a cada dia.

Mas as vezes o inglês simplesmente não faz sentido; você tenta achar algum solução pela inspiração do google ou de outro site que procuro, mais ainda não encaixa o significado da sentença.

Deixe me exemplificar.

Uma das coisas que estou fazendo para melhorar meu inglês é ler algumas páginas de algum livro em inglês. O livro escolhido foi o The four hour workweek, traduzido no Brasil para Trabalhe quatro horas por semana (péssima tradução by the way)

E leio esse livro e quando não entendo alguma frase procuro olhar na sua versão em português e da pra ver descaradamente a tentativa de encaixar algo ali. Por exemplo, no inicio do livro há o seguinte trecho: "From using Jedi mind tricks to disappear from the office to designing businesses that finance your lifestyle, there are paths for every comfort level. "

A parte em negrito foi traduzida para cada nível de segurança. A palavra confort foi traduzida pra segurança. Como?

E há varios exemplos disso por ai. Isso esta me deixando louco, como vou saber o significado de algo se não tem um equivalente português? So vou sair por ai tentando adivinhar significados?
Avatar do usuário PPAULO 35990 4 32 631
I suppose it is the "Trabalhe 4 horas por semana" (The 4-hour workweek) by Tim Ferris? Well, if so, I think you think it would be something like "a/uma jornada semanal de 4 horas"?


Why don´t you consider buying the book in English? you may find it in second-hand bookshops for a peanut, or you even may not want it second-hand, up to you.

On the other hand, there are bad translations everywhere, this we do know. Yet, sometimes you have to give the translator some slack, if he made a translation "by meaning/by the sense of it", if you catch my drift. Sometimes the author really means something that Portuguese don´t have an equivalent, but there´s a different way to say it, that is a fact.
Sometimes you just have to trust the translator, other times (depending on you having more free time or depending on your English level etc) would better to get the book in the original language. You could always submit a sentence, or a chunk of the book when you couldn´t understand something in it.

I do know how do you feel, sometimes I have, in my readings, get some parts or idioms/sentences translated into something that was almost foreign to the sense the author meant, leaving me with the feeling "oh, that is not what the author wanted to say" or "one wouldn´t say that in Portuguese, that is not the point/that got somehow out of place etc". Not that I am saying that about the book in question, it was just a passing comment of mine.

Hope it helps.
Let´s leave it open to further comments.
MENSAGEM PATROCINADA Para aprender mais sobre os Tempos Verbais baixe agora o: Guia Grátis de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola.

Clique aqui e saiba como baixar!
Avatar do usuário Bill Sikes 790 1 1 18
Terráqueo, essa é uma angústia que me afligia quando estava começando a estudar inglês (e mesmo quando estava terminando). A gente busca um solid ground, porque ainda não temos um convívio suficientemente consistente com o novo idioma, que também é um sistema de pensamento, uma nova apreensão filosófica do mundo, das coisas e das relalações – de certa forma.

O inglês tem a característica de ser ambíguo e econômico, porém belíssimo, como dizia a Clarice Lispector:

Se eu fosse muda, e também não pudesse escrever, e me perguntassem a que língua eu queria pertencer, eu diria: inglês, que é preciso e belo. Mas como não nasci muda e pude escrever, tornou-se absolutamente claro para mim que eu queria mesmo era escrever em português. Eu até queria não ter aprendido outras línguas: só para que a minha abordagem do português fosse virgem e límpida. [Declaração de Amor, crônica]


Assim, diante da nossa complexa e vigorosa língua portuguesa, é super normal se sentir confuso diante de construções sintático-semânticas de um idioma germânico – e não latino como o nosso. Logo, para nos sentirmos em novo solid ground (hopefully ele será), só nos resta nos aproximarmos cada vez mais desse novo universo, tentando nos distanciar do português sempre que possível – mas sem esquecê-lo. Afinal, a sua primeira apreensão da linguagem foi através do português.

(Essa é minha opinião pessoal. Alguns neuropsicolinguistas afirmam que depois de muita prática e experiência com um novo idioma, nós podemos nos "libertar" da nossa língua nativa e nos apoiar inteiramente nas palavras, significados e construções do novo universo (novos registros linguísticos são construídos, semelhante ao que aconteceu com nossa língua mãe).)

Acho que precisamos estar imersos nesse novo sistema de sentidos, tentar pensar à maneira deles: um tanto estranho, mas acho que é o aspecto mais divertido e gratificante de se aprender um novo idioma. De certa forma nos conhecemos em outras facetas; facetas germânicas, anglo-saxônicas, e também latinas, mas reformuladas...

Viajei demais? Deixei de ser terráqueo? :D
Bill, não viajou tanto não; mas pelo que percebi ao pouco tempo que voltei a estudar inglês não creio que seja possível chegar a perfeição em um outro idioma que não seja o seu nativo, podemos chegar a 90% ~95% de entendimento, mas sempre haverá certas colocações de palavras e frases empregadas de forma que não fazem sentido no português.

Eu diria que estou em um nível intermediário - avançado, e costumo ver muita série legendada em inglês pra treinar o listening e as vezes me perco no significado de palavras muito simples. Isso é muito ruim, acho que principalmente pra quem esta começando.

O que estou tentando fazer quando vejo esse tipo de situação é falar com algum nativo no interpals, shared talk. Talvez, daqui um mês, se eu continuar no ritmo de aprendizado e motivação que estou eu penso em pagar um professor nativo pra me ensinar essas "partes sem sentido" do inglês. Vai ser o jeito...
Avatar do usuário Bill Sikes 790 1 1 18
Terráqueo escreveu: sempre haverá certas colocações de palavras e frases empregadas de forma que não fazem sentido no português.


E haverá mesmo, Terráqueo, pelo menos ao pé da letra. Nós interpretamos, pois o contexto nos indica -- o que não significa que ficamos de mãos abanando, carentes de sentido.

A construção have got, por exemplo, muito usada na Grã-Bretanha, só faz sentido para a gente quando podemos deixar o português na gaveta e nos deliciar com essa nova forma de se expressar.

Não é isso que faz a aprendizagem tão divertida?
Poxa Bill agora você viajou, deixou de ser um Terráqueo kkkk

Esse tipo de colocação que não faz sentido no inglês que me deixou louco, mas fazer o que, neh?! Faz parte da língua e eu quero aprender, então fico louco atrás do sentido daquilo da forma que se encaixaria perfeitamente ao nossos ouvidos aportuguesados.
Avatar do usuário Bill Sikes 790 1 1 18
LOL!

Mas eu sugiro a buscar o sentido dentro do próprio inglês, já que um idioma é um sistema autossuficiente. O nível intermediário, que você disse ser o seu, é o mais emocionante. É como a adolescência: a gente vai descobrindo que já entende tanta coisa, mas ao mesmo tempo não sabe de um montão de outras. E na verdade é esse não-saber que torna tudo tão interessante. Mesmo em relação à nossa "última flor do Lácio", nós passamos a vida inteira sabendo só uma porção, em comparação com o oceano que um idioma é.

P.S.: o sentido aos nossos ouvidos aportuguesados, como você apontou, realmente fará falta em muitos casos; mas certamente vem com o tempo. ;)