Por que do ING em "I hate readING"

Avatar do usuário Marcio_Farias 12350 1 22 206
@oceanmind - Assim como no português, encaramos um verbo sensitivo (hate) que ora pede um infinitivo, ora um gerúndio. De uma forma ou de outra, todas as colocações ajudaram a esclarecer o fato. Sim, como você mesmo disse, devemos decorar as circunstâncias em que este tipo de verbo pede um complemento e, claro, praticar. Eventualmente, como Henry Cunha já bem frisou, assimilaremos as formas e, daí a um tempo, estaremos utilizando-as automaticamente.

<off-topic> Hoje, depois de dois anos sem conversar com um falante nativo de inglês, tive a felicidade de fazê-lo com um americano que, casualmente, entrou com a noiva brasileira no meu setor de trabalho para pedir informações! Num minuto ele detectou o meu sotaque americano, só isso já me deixou bastante contente! :D </offtopic>
MENSAGEM PATROCINADA Você sabe como está o seu nível de inglês? Teste agora GRÁTIS em apenas alguns minutos.

Clique aqui para iniciar o Teste Online!
Avatar do usuário Henry Cunha 9960 2 17 177
Na verdade, devo me desculpar por ter realmente complicado um assunto que merece ser explicado bem mais cuidadosamente. Minha intenção era mostrar que, em certos casos, a troca de um infinitivo por um gerundio altera o significado da frase. Naquele primeiro par, por exemplo:

Se Vc parar para pensar sobre isso...
Se Vc parar de pensar sobre isso...

Entrei no Google com a indagação "when are infinitives and gerunds interchangeable?", e me deparei com alguns sites que explicam muita coisa, fornecem exemplos, e listas e mais listas de verbos que caem de um jeito ou outro. Quem se interessa pode exprimentar, por exemplo,

http://www.perfectyourenglish.com/gramm ... nitive.htm.

Regards
Mas é que "Stop to (verb)" e "Stop (verb + ing)" tem uma diferença grande, já nos outros verbos a diferença é pequena.

Enfim, eu vim parar nesse tópico porque tenho uma dúvida. Com relação a qualquer verbo, como eu sei quais são seguidos por infinitive form (to+verb) ou gerund (verb+ing)?

Eu comecei a dar aulas agora, e chegamos nesse assunto de quais verbos são seguidos pelo que. Mas o material traz só alguns verbos como exemplo, e comenta que o verbo to like, por exemplo, pode ser seguido por verbo no infinitivo ou no gerúndio. Exemplo: "I like to eat apples" ou "I like eating apples". Mas só isso. O material apresenta até o verbo "to stop" e não comenta essa diferença, que na minha opinião é bem significativa, talvez pra não confundir o aluno com a nova gramática. Enfim, quanto aos outros verbos, como eu sei quais eu posso usar infinitivo e/ou gerúndio no verbo que os segue? Principalmente o verbo "to enjoy", posso usar "I enjoy spending time with you" e "I enjoy to spend time with you" ou só um está correto?

Eu comentei com o aluno que o que acontece é que existe uma diferença (porque ele perguntou o porque dessa diferença no uso), que às vezes vai ser pequena, no significado dependendo de como você usa o verbo a seguir e dei alguns exemplos. Mas isso só complicou pra ele, já que é matéria nova.
Avatar do usuário Henry Cunha 9960 2 17 177
Dani, de fato a resposta é bem complicada. Comece com aquela referência de site no meu post anterior, e prossiga daquele aos outros dois sites lá indicados, para constatar a complexidade da questão. Portanto, não vale a pena tentar decorar listas. Esses usos idiomáticos devem ser adquiridos com a prática. O melhor é dar aos seus alunos alguns exemplos, e depois ir ampliando a correlação infinitivo-gerúndio quando houver a introdução de novos verbos -- se o objetivo da aula permitir.
Avatar do usuário Bill Sikes 790 1 1 18
Dani, este site é um lifesaver: http://grammar.ccc.commnet.edu/grammar/gerunds.htm !!!

Ele deixa claro que muitas vezes o uso é idiomático, não havendo uma explicação lógica. Entretanto:

The infinitive form will usually describe a potential action.

Assim:

(1) We decided to leave.
(2) He managed, somehow, to win.
(3) It is threatening to rain.

Esses verbos no infinitivo sugerem eventos que aconteceram depois de uma outra ação. (1) Primeiro nós decidimos, depois nós partimos; (2) primeiro ele arranjou alguma manobra ou tática para depois vencer; (3) primeiro houve a ameaça para que então se consumasse a chuva. Assim, segundo a explicação do site, depois do verbo "decidir" nós nunca usamos o gerúndio, pois a decisão sempre antecede uma ação em potencial (infinitivo).

Some [...] verbs [...] may be followed by a gerund if they are describing an "actual, vivid or fulfilled action" (Frodesen)


Exemplos:

(1) I stopped smoking.
(2) I heard Bill sing/singing.
(3) I now regret leaving school so young.

Veja que nesses exemplos estamos falando de ações já vividas, realizadas. (1) Primeiro eu fui fumante, depois eu larguei o vício; (2) primeiro o Bill cantou para que então eu pudesse ouvi-lo (note que aqui eu também posso usar o bare infinitive, por se tratar de um verbo sensorial; (3) primeiro eu larguei os estudos, depois eu me arrependi.

Mas como o Henry apontou, nada como o convívio com o idioma para naturalizar a nossa vivência dele.

;)