Uma pergunta para quem sabe 3 idiomas

Olá amigos do English Experts.

Nesse momento em que eu comecei a sentir que o Inglês está fluindo, eu tive uma paixão escondida despertada. Em outras palavras, agora eu quero estudar outro idioma.

A história é que antes de estudar inglês eu estudei também o espanhol, mas naquela época eu não sabia como aprender um idioma, e confesso que parei de estudar o espanhol porque eu achava o inglês mais interessante. Mas, hoje eu sei (ao menos tenho uma noção melhor) de por onde começar com um idioma, de por onde aprender e como aprender um idioma, já que o inglês me ajudou muito com isso. E eu confesso também que não gosto muito de espanhol, quanto de inglês, principalmente quando o assunto é gramática e aquelas aulas chatas de espanhol. Mas o que me atrai nesse idioma são principalmente as músicas, os diálogos.

Adiante, esse é o motivo pelo que eu quero estudar espanhol, sem contar que quero expandir meus horizontes profissionais, pois uma pessoa fluente em 3 idiomas é difícil de se encontrar (depois com o tempo e com a fluência tenho vontade de aprender francês e alemão, mas tudo com o tempo).

Ok, mas porque eu venho a escrever para vocês? Pelo seguinte:

Me ocorreu uma história engraçada há não muito tempo atras: Eu moro em uma cidade do interior de SP, pequena (70k de habitantes), e trabalho em uma empresa com cerca de 20 funcionários, e muitos sabem inglês (a maioria intermediário, assim como eu) mas dentre todos eu sou o que tem melhor comunicação. Certo dia meu chefe chegou em minha sala e me convidou para ir visitar um cliente estrangeiro que mora no Brasil mas não fala português muito bem (até então não sabíamos de onde o cliente era) que estava na cidade a procura de algum estúdio para fazer um serviço, eu aceitei e fomos ao encontro do cliente. Chegando lá, ele era espanhol, e morava a cerca de 2 anos no Brasil mas não fala português muito bem. O problema que veio a seguir é que meu chefe só falava inglês (e não falava muito bem) e eu sabia um pouco de espanhol por conta de um ano que eu estudei no passado e já citei aqui. E quando eu fui tentar falar em espanhol (ou portanhol, se é que está correto dessa forma) eu me enrolei totalmente com o inglês. Ficou algo tipo assim: Hola como vá, How can I help you?.

Por fim conseguimos nos resolver falando em português e ele em espanhol de modo que os dois lados se entendiam rsrsrs.

Mas a minha duvida, ou medo, é de que assim como aconteceu nessa situação, eu tenha dificuldade em falar o espanhol ou estudar o espanhol e confunda totalmente com o inglês na hora de abrir a boca. Desculpem pelo relato longo mas era necessário para explicar a situação.

Então peço que por favor deem dicas sobre como não confundir, pode ser que isso tenha se dado em função do nervosismo também, mas enfim, só peço dicas e opiniões a respeito de falar 3 línguas e conciliar elas na hora de abrir a boca, ou contem suas histórias caso haja algo parecido com a minha.

Desde já fico muito grato. :D

Mais Votada Mais Votada

Avatar do usuário Flavia.lm 3845 1 9 85
Pupil, eu falo inglês e espanhol, mas uso muito mais o inglês no meu dia-a-dia. É muito comum eu querer falar em inglês com qualquer estrangeiro que apareça na minha frente, mesmo que a pessoa esteja falando espanhol, porque pra mim é mais fácil... mas é um erro que cometemos, pois muitas vezes a pessoa não fala inglês! A recomendação nestes casos é calma e muita, muita atenção no que se quer falar.

Às vezes isso acontece mesmo quando só temos uma língua estrangeira. A gente quer dar sensação de fluência falando rápido, mas aí se perde e acaba gaguejando, trocando palavras, etc. E depois fica lamentando “putz, era aquela palavra tão fácil, e eu esqueci!”

Durante um intercâmbio que eu fiz, tinham duas garotas suíças que sempre andavam no mesmo grupo que eu. Um dia elas estavam conversando entre elas em alemão, e uma virou pra mim e me fez uma pergunta (em alemão). Respondi qualquer coisa em língua portuguesa e todas começamos a dar risada. Depois, foi só ajustar a tecla sap dela pro inglês e começamos a nos entender. Vida de bilíngues, trilíngues e poliglotas não é fácil, mas com jogo de cintura a gente dá um jeito!
MENSAGEM PATROCINADA Você sabe como está o seu nível de inglês? Teste agora GRÁTIS em apenas alguns minutos.

Clique aqui para iniciar o Teste Online!
Avatar do usuário PPAULO 36010 4 32 631
Geralmente quando a pessoa diz gosto mais de inglês do que de espanhol, é porque ela tem mais facilidade no inglês do que na outra língua.

Talvez seja devido ao espanhol ser tão "parecido" com o português, aí então que começa a confusão...a pessoa começa a se enrolar na gramática ou na pronúncia (ou mais ainda na escuta) e o cerébro começa a dar um certo nó. Isso talvez se dê por uma razão: o aluno se cobra, ele acha que tem que ser fluente...começar pelo fim.
Na verdade, talvez gostando de linguagens e se mostrando relaxado, sem preocupação (sem se cobrar demais) dê muito melhor resultado.

Quando houve a JMJ tivemos duas hóspedes aqui,eram duas venezuelanas.
Pra minha esposa a língua espanhola era quase o equivalente à grego, uma vez ela saiu atrás das hóspedes com um saco de lixo (para que elas colocassem alguns restos de comida.) e dizendo "aqui, lixo, lixo" e de volta, aquele olhar de "não compreendo!" aí eu disse "basura". Ah, sííí!
Contudo pela línguagem universal dos gestos e boa vontade, e algumas conversações "traduzidas/interpretadas" por mim ou meus filhos, minha esposa já estava aprendendo algumas palavras e expressões.
Até hoje ela fala, meio brincando/imitando, quando elas viram uma sopa (era um dia frio) e elas comentaram "rico, rico" com aquele "r trinado'' do espanhol.

Já eu e meus filhos levamos um bom tempo para entender quando falavam Facebook, e saia algo tipo ''feibook". Realmente eles falam muito rápido quando querem, ou quando esquecem que não estão falando com alguém que sabe muito
a sua linguagem.
Outra vez mostramos uma foto de um dos meus filhos e a namorada dele, que mora longe, elas disseram "su novia?", e nossa resposta "não não, é só namorada!"
Depois descobri que novia poderia ser ambos, noiva ou namorada!

Contudo, nada que boa vontade mútua, gestos e explicação de quem estudou a linguagem (no caso de minha esposa) ajudam muito. E muitos micos, mas quem aprende sem pagar pelo menos uns micos? o segredo é não levá-los tão a sério.

Em tempo: eu não sei nem um idioma, nem mesmo português. Mas me viro mesmo assim.
É, como a Flavia disse acho que o principal é ter muita calma, e não se cobrar muito, como citou o PPAULO, isso acontece até mesmo com o inglês, a pessoa quer muito a fluência e pula etapas. É lógico, para nós o inglês é mais fácil, mas para aqueles que só falam português e espanhol o inglês é um "bicho de 7 cabeças" rsrsrs.

E foi legal você citar a JMJ, pois eu também participei e nunca vi tantos estrangeiros juntos no mesmo lugar, tantas culturas diferentes, e assim como vai acontecer a Copa do Mundo e a Olimpíada, eu creio que esses grandes eventos são uma boa oportunidade para conhecer pessoas e culturas novas e se envolver um pouco mais com a linguagem.

Mas enfim, o universo linguístico é imenso. Tenho certeza que vou me dar bem de certa forma com o espanhol, afinal o importante é ter vontade, e vontade eu acho que não me falta. Fico tranquilo em perceber que esse problema de confusão é algo comum, mas não é algo que pode atrapalhar muito, afinal tudo depende do tempo e da prática.

Muito obrigado pelos relatos.
Avatar do usuário TheBigSpire 1050 1 6 24
Que tópico bacana!

Passei pelo mesmo problema da Pupil! Em certo momento da vida eu era capaz de falar espanhol quase fluentemente, então passei a dedicar-me ao inglês com todas as minhas forças.
Fui morar no exterior e, focado no inglês, deixei o espanhol de lado.

Certa vez, encontrei-me num círculo de espanhois e tentei falar com eles em espanhol e percebi que já não conseguia me comunicar de forma eficaz. Por estar tão focado no inglês, o espanhol ficou esquecido no meu cérebro e naquele dia falei misturando tudo em inglês e espanhol. Encontrei aquele grupo de espanhois novamente e em poucos encontros, vi que meu espanhol estava de novo calibrado.

Como o espanhol era um idioma que eu já não me interessava mais tanto (por erroneamente achar que não era necessário estudar mais), voltei para o Brasil há 1 mês e meio e comecei a estudar italiano. O problema: Italiano e Espanhol são muito parecidos. Como meu foco atual é o italiano, mais uma vez me vi na situação de confundir idiomas e se tento falar espanhol agora são diversas as palavras italianas que saem. Vi que meu Espanhol vem realmente muito enferrujado e que precisarei estudá-lo novamente em breve, e com frequência.

Minha namorada não é brasileira e vive comigo aqui no Brasil. Ela fala inglês, italiano e espanhol e agora está aprendendo português. Como o Brasil fornece um cenário sensacional para quem vem aprender a língua (o número reduzido de estrangeiros ajuda demais!), ela ficou quase 1 mês falando exclusivamente português com todos ao redor. Até que tentou falar espanhol com uma amiga espanhola dela e percebeu que estava travando em alguns momentos.

Portanto, se eu pudesse resumir tudo o que eu disse nesse post com apenas uma dica, seria: Não negligencie nenhuma das línguas que você estudou/estuda em detrimento de outras. Você pode dar mais atenção a alguma delas por um tempo, mas sempre busque alguma forma de continuar praticando as outras línguas vez ou outra (quanto mais frequente, melhor). O cérebro precisa de estímulos contínuos para que continue em forma!
Avatar do usuário Sypher 945 1 1 23
Já não tenho problemas com inglês há alguns anos e recentemente passei a me entender bem com o japonês também. Então, como eu costumo sempre ter tempo livre, comecei a me perguntar se eu deveria aprender Coreano ou Chinês, já que Japonês foi realmente muito interessante aprender. Andei por alguns websites onde achei pessoas discutindo esse assunto e em um deles encontrei uma observação muito interessante. A pessoa dizia algo mais ou menos assim:

"Quando você passa a estudar um idioma, a lógica diz que você deve direcionar o máximo possível de seu tempo ao contato com essa língua. Porém, se logo após aprender uma você já se lança em outra, o tempo que deveria ser dado à uma maior assimilação ou aprofundamento da primeira será dedicado ao novo aprendizado da segunda. Por isso, uma vez que você passe a dominar um novo idioma, é preciso de, pelo menos, um à dois anos de intervalo até o próximo idioma. Dessa forma, você assimilará suficientemente o primeiro idioma a ponto de não perder sua prática enquanto dedicá-se ao aprendizado do segundo."

Pra mim isso fez a maior lógica. Eu jamais teria alcançado uma boa dinâmica no inglês se tivesse corrido atrás do japonês logo em seguida. Então vou dar um tempo, pelo menos mais um ano e meio, até começar a pensar se vou querer o Hangul (coreano) ou o Mandarim (chinês).
Poxa que observação bacana!
Acho que isso respondeu ainda melhor minha duvida...De fato temos vontade mesmo de aprender varios idiomas ao mesmo tempo, mas como eu percebi e vocês citaram, isso pode gerar muita confusão, alem de atrapalhar no desenvolvimento de um idioma.

Enfim, achi que a duvida está mto bem resolvida...Quanto a minha decisão, nao vou estudar espanhol já, ao menos não esse ano, afinal tempo para aprender quantos idiomas eu quiser eu tenho rsrsrs

Obrigado pela ajuda
Avatar do usuário PPAULO 36010 4 32 631
Além do que já foi exposto acima, gostaria de acrescentar mais uma informação/opinião.
Já que falamos português todos os dias no nosso cotidiano, então se quisermos aprender Alemão, Espanhol, Francês, por exemplo; podemos entrar em sites dessas linguagens em inglês.
Desse modo aprendemos a terceira linguagem e não enferrujamos no inglês.
Claro que sou suspeito, gosto muito de inglês, mas é também por que há muita coisa em inglês na Web. Há muito menos sites de como aprender espanhol em francês do que em inglês, só pra ilustrar.

E cuidado! tenha muita calma nas suas conversações, se além do estudo você ainda tem que trabalhar.
E mais, se tiver outras responsabilidades importantes; se for a única renda da família/trabalhar com números - por exemplo, contabilidade. Se é o único que tem que lembrar quando pagar as contas e do nível do óleo do carro, freios etc, se é o que declara o imposto de renda e o que ajuda os filhos com a lição de casa...etc

Então há a probabilidade de você ter sobrecarga de informações, e você precisa calma quando estiver conversando (até mesmo em português), não se cobrar muito. Ajuda falar pro amigos que você tem bastante coisas no seu prato, eles entenderão e lhe ajudarão.
Para ilustrar, outro dia eu estava conversando com amigos no trabalho e disse que na Baía da Traição (PB) eles comiam aquele bicho que é cheio de pernas, eles brincando (mas sem pressionar) diziam "aranha''?, "centopéia"? "lula"? "pernilongo"? e outros bichos. Claro que era de brincadeira, mas acabou que eu lembrei que era "polvo", é só não ficar se cobrando demais.
Avatar do usuário Sypher 945 1 1 23
PPAULO escreveu:Já que falamos português todos os dias no nosso cotidiano, então se quisermos aprender Alemão, Espanhol, Francês, por exemplo; podemos entrar em sites dessas linguagens em inglês.


O Paulo tem toda razão. Os idiomas orientais, por exemplo, tem uma quantidade enorme de ferramentas para falantes de inglês e poucas, bem poucas, em outros idiomas ocidentais. Algo muito semelhante pode se dizer também de línguas ocidentais em relação ao inglês. Se você sabe inglês ao ponto de poder estudar algo em inglês, você terá muito mais ferramentas para aprender francês do que se apenas soubesse o português, por exemplo.

Só pra citar, Pimsleur e Michel Thomas, dois métodos excelentes, só oferecem aprendizado de línguas para falantes de inglês (na verdade, o inglês é a única língua que o Pimsleur ensina para não falantes de inglês).
MENSAGEM PATROCINADA Há quanto tempo você estuda inglês? Já passou por sua cabeça que você pode estar estudando de uma forma que dá pouco ou quase nenhum resultado? Que tal fazer um intensivo de inglês de 180 dias e recuperar o tempo perdido? Em 6 meses você pode elevar o seu inglês a um novo patamar.

Clique aqui para conhecer o curso!