Mãos à obra!

Oi pessoal, passados os ensaios iniciais vamos ao que realmente interessa o estudo de idiomas, no nosso caso o inglês. Não é necessário um trabalho estatístico para constatar que a maioria das pessoas que concluíram o curso de inglês em escolas de idiomas não fala a língua do tio Sam a ponto de se comunicar bem com um estrangeiro nativo do idioma.

Segundo o idph.net, oitenta a noventa por cento das pessoas que estudam ou estudaram idiomas estrangeiros (especialmente a língua inglesa, para nós, os brasileiros) não falam ou dominam o idioma! Oitenta a noventa por cento das pessoas que verdadeiramente falam inglês, em nosso país, não aprenderam sentados num banco de escola de idiomas!

Isso nos leva a pensar se estamos tomando o caminho certo. É difícil acreditar que com apenas 2 horas semanais um aluno é capaz de aprender um idioma cheio de nuances e variações como é o caso do inglês, onde eu seria capaz de dizer, que a regra é uma exceção, ou seja, existem tantas variações que no final das contas as regras gramaticais contam pouco. Talvez eu esteja sendo um pouco radical, mas é mais ou menos isso que acontece. Daí vem aquela sensação de que quanto mais se estuda menos se sabe.

O objetivo deste Blog não é oferecer um método “revolucionário” de aprendizado de idiomas, como muitos prometem, mas de ser um meio discussão e troca de idéias. Portanto sinta-se a vontade para comentar os posts e me enviar sugestões de assuntos a serem abordados.

Vamos começar pelos artigos (the, a, an), que parecem ser muito simples, mas que podem nos confundir. Termino hoje com um ditato Chinês que diz o seguinte: “A long journey starts with a single step”, ou seja, “Uma longa jornada começa com um único passo”.

However, let’s get our hands dirty.

See you soon.

Alessandro

Alessandro Brandão

Alessandro Brandão é coordenador do English Experts e do Fórum de idiomas. Trabalha também em projetos na área de Ensino a Distância (EaD).

Mostrar 4 comentários