Prolixo, eu? (expressões da língua inglesa)

Há várias expressões em Português que são vistas como redudantes e desnecessárias. Quando não, incorretas. Em inglês, para a minha mais completa estupefação, elas servem para definir de uma forma mais precisa alguns termos. A nossa resposta mais comum a tais termos é o estranhamento. Porém, como línguas não devem ser questionadas, e sim assimiladas, rendo-me a usá-las e até passá-las adiante!

Confira algumas:

Shoot someone dead = Atirar em alguém morto

Tire suas dúvidas sobre os tempos verbais, baixe um guia grátis da English Live: Guia de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola. Clique aqui e saiba como baixar!

A ênfase aqui é a de que, além de atirar, matou. Ou seja, o resultado do tiro foi a morte. Você pode conferir uma matéria na BBC que usa esta expressão, ou até ler a letra da canção do Caetano Veloso.

Cut someone/something open = Cortar algo/alguém aberto

A ênfase é de que o corte abre algo, alguém. Por exemplo, é um termo muito usado quando se fala em cortar batatas para fazer o tradicional prato inglês jacket potato. A batata é cortada em duas ou quatro fatias de modo que pareça aberta. Este termo também é utilizado em procedimentos cirúrgicos, quando ‘se abre’ uma pessoa para uma operação, por exemplo.

Soak in wet = encharcado de molhado

A primeira vez que escutei isso, achei super estranho. Porém agora compreendo a intenção do exagero, mas ainda considero a formação desta frase esquisitíssima. Já a ouvi quando alguém se refere a outro que se encharcou na chuva.

Exemplo:

  • It was pouring down and when he arrived he was soaked in wet. (Estava chovendo muito e quando ele chegou, ele estava encharcado.)

Já a ouvi também em um contexto sexual, para referir-se a mulheres.

Close the door locked = Fechar a porta trancada

Além de fechar a porta, passar a chave. Ou seja, não apenas encostar a porta, mas também trancá-la.

Estas expressões demoramam um pouco para serem absorvidas por mim, que sempre achei expressões como ‘entrar para dentro’, dignas de repúdio. Porém, é como dizem, muda a língua, mudam os ângulos e as regras. É preciso não tentar traduzir ao pé da língua e manter a mente aberta!

Sobre o Autor: Breno Pessoa mora em Londres e trabalha como produtor de conteúdo para a EF (Education First).

Autor

Autor Convidado

Este artigo foi escrito por um Autor Convidado do English Experts. Confira o nome do autor no rodapé do texto acima. Seja um colaborador, clique aqui e saiba como participar.

Mostrar 15 comentários