Resenha: As Palavras Mais Comuns da Língua Inglesa

Livro: As Palavras Mais Comuns da Língua Inglesa (2ª edição)
Autor: Rubens Queiroz de Almeida
Editora: Novatec
Páginas: 312
Preço médio: R$ 48,00
Livro Nacional
[Compre no Submarino ou Livraria Cultura ]

A exigência pelo domínio do idioma inglês vem crescendo muito. O que se discute não é mais se o profissional deseja ou não se diferenciar, o que está em jogo agora é a sobrevivência profissional. Aqueles que dominam o inglês têm à sua disposição uma variedade muito maior de fontes de pesquisa. Apenas como exemplo, estima-se que mais de 80% conteúdo da internet esteja em inglês. Obviamente as empresas buscam o profissional que consegue utilizar toda essa informação.

A maioria das pessoas, pressionadas, acabam se matriculando em uma escola de inglês. Lá o aluno vai aprender o idioma em sua totalidade, ou seja, vai desenvolver as quatro habilidades: leitura, escrita, fala e compreensão. Na teoria um estudante matriculado em um curso regular levaria de 4 a 8 anos para ter um domínio razoável do idioma. Imagine só o desespero de um programador, um médico ou um jornalista que precisa dominar o inglês “para ontem” para exercer de forma plena a sua profissão?

Receba aqui um prêmio que vai ajudar você a falar inglês!

Clique aqui e acesse!

Rubens Queiroz, no livro As Palavras mais Comuns da Língua Inglesa, propõe que ao invés de aprender as 4 habilidades, o aluno desenvolva inicialmente apenas uma: a leitura. Ele justifica dizendo que no Brasil até mesmo quem é fluente em inglês, o utiliza apenas em situações especiais. Outro ponto é que no ambiente de trabalho a maior parte do contato com a língua inglesa se dá através de documentação técnica, correspondência etc.

A principal crítica com relação a se aprender apenas a leitura é que isso pode gerar alguns vícios que depois serão dificilmente corrigidos, especialmente na pronúncia. Mesmo assim acredito que vale a pena focar na leitura no começo, pelo menos foi isso que fiz. Dominar a leitura do inglês coloca o aluno em um outro patamar de aprendizado. Ele passa a ter a capacidade de aprender inglês em inglês, isso faz uma grande diferença.

Os capítulos iniciais do livro são motivadores. O autor apresenta uma estatística interessante. Qualquer texto em inglês é composto de:

  • 20 a 25% de cognatos (palavras com grafia e significado semelhante)
  • 60% são condensados em 250 palavras mais utilizadas
  • 20% de palavras que pode ser deduzidas a partir das outras

Após os capítulos introdutórios o autor apresenta as 700 palavras mais comuns da língua inglesa, não da forma tradicional com significados, mas sim de através de frases com exemplos.

A metodologia apresentada por Rubens Queiroz funcionou para mim, especialmente nos primeiros anos de estudo. É bom deixar claro que o autor apresenta o domínio da leitura como o começo. Se você precisa dominar a leitura eu recomendo.

Há quanto tempo você estuda inglês? Já passou por sua cabeça que você pode estar estudando de uma forma que dá pouco ou quase nenhum resultado? Que tal fazer um intensivo de inglês de 180 dias e recuperar o tempo perdido? Em 6 meses você pode elevar o seu inglês a um novo nível. Clique aqui e saiba como.

Alessandro

Alessandro Brandão

Alessandro Brandão é coordenador caseiro do English Experts e do Fórum de idiomas. Trabalha também em projetos na área de Comércio Eletrônico e Ensino a Distância (EaD).

2 comentários