A vida numa cultura que condena o erro

Infelizmente nós não vivemos numa cultura que valoriza o erro. Contraditoriamente as pessoas mais bem-sucedidas são aquelas que falharam várias e várias vezes (again and again), mas em algum momento acertaram na mosca.

A falha faz parte da jornada de qualquer um que quer se tornar um Expert (em qualquer área). Eu aprendi mais com os erros do que com os acertos. Boa parte do que sou hoje eu devo às críticas recebidas quando fui mal-sucedido. No entanto, alguns dos projetos que mais me orgulho de ter participado vieram depois de “falhas catastróficas”.

Ao estudar idiomas penso no seguinte, se eu estou errando pouco é porque também estou aprendendo pouco. O erro faz parte do processo de aprendizado, afinal de contas, we learn by making mistakes!

Tire suas dúvidas sobre os tempos verbais, baixe um guia grátis da English Live: Guia de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola. Clique aqui e saiba como baixar!

Na adolescência eu acreditava que era muito inteligente, ou que pelo menos eu estava acima da média. Acho (eu disse acho, ok?) que todo jovem tem um pouco dessa prepotência. Graças aos erros eu descobri que não era esse “garoto prodígio” que os outros diziam e que para conseguir alguma coisa eu teria que me esforçar muito. Acho que o medo de errar te expõe e te mostra algumas verdades que talvez você não queira ver.

A Berghs School of Communication convidou no ano passado algumas personalidades (entre elas o escritor Paulo Coelho) para falar sobre o medo de errar. A apresentação que mais gostei foi a do prestigiado designer gráfico norte-americano, Milton Glaser. Para quem não conhece, foi ele o responsável pela campanha “I Love New York” (lembra da camiseta?). Veja o vídeo:

Para os comentários

Você tem medo de errar? Se sim, por quê?

That’s all for today. See you!

Referências

Tema sugerido por Diego Cassiolato

Alessandro

Alessandro Brandão

Alessandro Brandão é coordenador do English Experts e do Fórum de idiomas. Trabalha também em projetos na área de Ensino a Distância (EaD).

Mostrar 9 comentários