Make a Party ou Do a Party? Nenhum dos dois!

Teacher, como é que se fala “fazer uma festa” em inglês? A gente diz “make a party” ou “do a party”?, pergunta o aluno em sala de aula.

Nenhum e nem outro, responde o sapiencial professor.

Mas como, Teacher? “Fazer” é “make” ou “do” e “festa” é “party”! Então, qual dos dois verbos eu uso em inglês?, indaga o curioso e insistente aprendiz.

Tire suas dúvidas sobre os tempos verbais, baixe um guia grátis da English Live: Guia de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola. Clique aqui e saiba como baixar!

Seu amado e mal-remunerado professor explica-lhe o seguinte:

“Nem sempre podemos traduzir as coisas ao pé da letra em inglês. Muitas vezes quando fazemos isto, corremos o risco de não sermos muito bem entendidos. Por exemplo, em português costumamos dizer “chuva forte“, mas em inglês o certo é “heavy rain“, que traduzido ao pé da letra é “chuva pesada“. Observe também que não dizemos “strong rain” em inglês. Ou seja, ao pé da letra não dá! O melhor é aprender a combinar as palavras de modo correto e entender que as palavras são como panelinhas de amigos: elas sempre saem para passear com as palavras do seu grupo favorito.

No caso de “fazer uma festa” não combinamos os verbos “do” e “make” com a palavra “party“. Eles não pertencem à mesma panelinha. A palavra “party” prefere os seguintes verbos “throw“, “give“, “have“, “hold” ou “organize“. Isto significa que para dizer “fazer uma festa” você pode combinar da seguinte forma “throw a party“, “give a party“, “have a party“, “hold a party” ou “organize a party“. Porém, não diga “make a party” ou “do a party”. Caso você fale assim, o seu inglês vai soar engraçado e estranho. Imagine um americano falando “chuva pesada”, “segurar a festa” ou coisas assim. A gente pode até entender, mas soará engraçado e esquisito. A isso damos o nome de collocations (combinações de palavras).

Com estas palavras, o professor encerrou sua explicação e os alunos sentiram-se muito gratos por mais um dica excelente dada pelo mestre mal-pago e mal respeitado pela sociedade. Afinal, ele é visto apenas como um professor de inglês. Porém, um dia, com a conscientização dos próprios professores de inglês, isto há de mudar.

Denilso

Denilso de Lima

Denilso de Lima é autor de "Inglês na Ponta da Língua" e "Por que assim e não assado?" [Ed. Campus/Elsevier]. Dá palestras e workshops sobre ensino/aquisição de vocabulário [Lexical Approach e Linguística de Corpus] em instituições de ensino.

Mostrar 11 comentários