Ampliando o Vocabulário: HAND

Não é que a série “Ampliando o Vocabulário” tem dado certo! Agradeço aos vários comentários com referência à ela. É bom saber que tem sido útil, curiosa e interessante. Lembre-se, porém, que a intenção aqui é apresentar os vários significados que uma palavra pode ter. Ou seja, não tem nada a ver com expressões idiomáticas (idioms) ou combinações de palavras (collocations). Para saber o que são estes dois, clique aqui.

Pois bem! Hoje vamos falar da palavra “hand”, que geralmente interpretamos como “mão” (parte do corpo humano). Este é o sentido primário da palavra. No inglês arcaico, era “hond” e não “hand”. Enfim, um pouco de etimologia para você.

Por volta de 1590 (noventa anos após Cabral botar a mão no timão e vir parar no Brasil), “hand” começou a ser usada também com o sentido de “trabalhador”. Assim, podemos ter um “factory hand” (operário) ou ainda um “farm hand” (trabalhador rural). Em 1699, começa a ser usada também com o sentido de “taifeiro”, “marujo”; neste caso, é possível vê-la assim “deckhand”. Aliás, foi no ano de 1699 que a coroa portuguesa permite que os brasileiros coloquem as mãos nas moedas de prata de 80, 160, 320 e 640 réis.

Tire suas dúvidas sobre os tempos verbais, baixe um guia grátis da English Live: Guia de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola. Clique aqui e saiba como baixar!

Voltando em 1575 (José de Anchieta estava por aqui passando a mão nas cabeças dos índios), encontramos a palavra “hand” fazendo referência aos ponteiros de um relógio. Assim é possível falar sobre o “hour hand” (ponteiro das horas) ou “minute hand” (ponteiro dos minutos).

Talvez por questões de cavalheirismo, ” hand” em 1642 começou a aparecer com o sentido de guiar alguém com as mãos ou oferecer a mão para que uma garota se apóie ao subir ou descer em algum lugar. Cavalheirismo este que anda faltando e muito hoje em dia. Enfim, um exemplo é “hand the lady to the car” (ajude a senhora até o carro). Ainda como verbo, “hand” também significa “passar”, “entregar” (com as mãos). Neste caso, você pode “hand a letter to someone” (entregar uma carta para alguém) ou “hand me the salt, please” (me passe o sal, por favor). Ah sim: 1642 é o ano que a coroa portuguesa monopoliza o tabaco! Só o rei passava a mão no fumo!

“Hand” também pode significar “aplauso”, “salva de palmas”. Este sentido, porém, só aparece por volta de 1838 (ano que no Brasil, os revoltosos colocam as mãos nas armas para iniciar a Balaiada). Uma frase comum com este sentido pode ser “Let’s give the boy a great big hand” (vamos dar ao rapaz uma grande salva de palmas / vamos aplaudir o rapaz).

Para encerrar, é bom saber também que a partir de 1622 (200 anos antes de D. Pedro I passar a mão na espada e declarar a independência do Brasil), “hand” passou a significar “rodada” (no jogo de cartas). Já em 1630, passa a ser usada com o sentido de “mão”. Calma! Esta mão aí refere-se às cartas que um jogador possui em determinada rodada em um jogo de cartas. Bom, 1630 foi quando 56 navios holandeses chegaram ao litoral pernambucano e teve início o período das invasões holandesas.

Take care!

Denilso

Denilso de Lima

Denilso de Lima é autor de “Inglês na Ponta da Língua” e “Por que assim e não assado?” [Ed. Campus/Elsevier]. Dá palestras e workshops sobre ensino/aquisição de vocabulário [Lexical Approach e Linguística de Corpus] em instituições de ensino.

Mostrar 12 comentários