Cursos de Faculdade: Letras e Tradução/Intérprete

Olá pessoal. Escrevi há dias sobre gostar de inglês e não ter tempo para estudar inglês. Hoje escrevo sobre a formação para os cursos de Letras e Tradução / Interpretação.

O curso de Letras, que no Brasil forma os professores de inglês das escolares regulares, não ensina as quatro habilidades que se procura ter em um idioma, para sermos competentes: a escrita, a leitura, a fala e a compreensão (writing, reading, speaking and listening). Nossas salas de aula de ensino médio e fundamental estão abastecidas com professores que têm metade do conhecimento exigido para desenvolver-se um idioma. Dominam a gramática para escrever e ler, mas não são proficientes para falar e compreender, portanto não têm formação para ensinar speaking e listening, apenas writing e reading. E mesmo assim, ganham o diploma de professores de inglês. Uma pena, pois desta forma incompleta, o professor não pode nos ajudar a aprender um idioma em 8OITO – longos anos de banco escolar, o que seria mais do que suficiente para ensinar as quatro habilidades de inglês.

Num país onde o conhecimento de inglês é peça chave para conseguir bons empregos e sucesso numa carreira profissional, os alunos saem das escolas normais sem saber se comunicar, cansados de ver e rever a gramática que vai e volta ano após ano, de tal forma monotonamente ensinada, sem propósito de utilidade, que afugenta os alunos ao invés de os estimular a conhecer mais.

Tire suas dúvidas sobre os tempos verbais, baixe um guia grátis da English Live: Guia de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola. Clique aqui e saiba como baixar!

O curso de Tradução/Interpretação pressupõe que você já tenha uma boa vivência do idioma para se tornar melhor profissional. Apesar das faculdades não exigirem proficiência no idioma escolhido (exige apenas que se passe no vestibular, onde não é exigido um nível maior de conhecimentos específicos de idiomas), os alunos que não forem conhecedores do idioma, realmente estarão sempre um passo atrás daqueles que já conhecem o idioma. Há no currículo aulas de gramática (a gramática já é iniciada em nível intermediário, não se começa do nível básico, para ensinar o beabá) e há aulas de tradução propriamente ditas, no idioma escolhido, mas sem um bom conhecimento prévio, o aluno se sentirá sempre aluno de curso de inglês, mas num banco de faculdade e não aluno de tradução, pois este último pressupõe familiaridade com o idioma. Por isso é que em geral, os cursos são Letras com ênfase em Tradução/Interpretação. Há faculdades que oferecem cursos de Tradução/Interpretação como curso sequencial, pós-graduação, exigindo como pré-requisito que o aluno já tenha domínio do idioma em questão.

Bom, espero ter ajudado algumas pessoas que pensam na formação dessas profissões, a terem uma idéia do que as espera ao ingressarem nesses cursos. Vê-se no banco da faculdade, a surpresa dos alunos que dizem, “mas eu achei que ia aprender inglês aqui…”. Aprenderá sim, parcialmente, sairá um profissional incompleto, apesar do diploma na mão… Portanto, sendo mais direta: não, não sairá fluente de um curso desses. Terá que procurar um bom curso de inglês fora do banco da faculdade, para ser fluente e terá que fazer muitas traduções e tê-las avaliadas para poder ser bom tradutor. É isso.

See you!

ps.: Esse post foi baseado na pergunta enviada por E-mail por Klicia: “Gostaria muito de saber, se o curso Tradutor/Interprete exige que o aluno saiba um nível intermediario ou avançado de ingles e se o curso de Letras, dá ao aluno a fluência na lingua inglesa.”

Nilza

Nilza Dimambro

Nilza Dimambro leciona a disciplina de inglês na universidade. Trabalha como tradutora em sua empresa a ABA Textos Traduções.

Mostrar 88 comentários