Visto + Curso nos EUA

Olá a Todos!!!
Apesar desse ser meu primeiro tópico, há muito venho lendo e aprendendo com o site, mas vamos a minha dúvida!

Estou planejando ir para os EUA agora no final de Julho - o curso se inicia em Agosto - para estudos de Inglês, minha principal dúvida é quanto ao VISA! Preciso ter uma noção se com a situação/condições com a qual vou me apresentar tenho chances de conseguir o Visto de Estudante.

O Curso
Ainda não estou matriculado em nenhum curso, estou começando "os processos" agora, mas tem um City College bem perto da casa onde ficarei, no qual o curso de inglês tem duração de 2 anos (1 ortografia + 1 fala), e aceita estudantes internacionais, como é um curso do qual a cidade patrocina, o curso é bem mais barato que os outros que tem por lá! Custo total aproximado de 5 mil doláres/ano.

Minha condição e situação:
-Idade: 21 Anos
-Renda: 950/mês
-Faculdade (Brasil): Atualmente no 7º Periodo de ADM (São 8 Periodos) - Se o VISA der certo, terei de parar a faculdade.
-Tenho uma irmã que mora lá, em Los Angeles, apesar de ela ter ido como turista e lá ter ficado (15 anos atrás - Veio de volta ano passado pela 1ª vez desde que saiu do Brasil, mas já retornou) hoje ela tem o GreenCard e no final do ano passado (2009) comprou uma casa, e é lá que ficarei, pelo menos no começo.
-Trabalho em uma empresa cujo dono é um Deputado Federal, e um de seus filhos foi vereador e na próxima eleição vai tentar ser Deputado Estadual.
-Sobre a condição de dinheiro, bem, o problema, irei com uma conta bancária de aproximadamente de 7000 reais, sem chances de conseguir o visto com isso, certo!? Sobre trabalhar nos Estados Unidos com visto de estudante, sei que é bem restrito, mas consiguirei uma renda extra com isso, meu cunhado me ajudará com o emprego.

A Grande Idéia
A idéia é ir ao consulado, na entrevistado levando comigo algum tipo de "carta de recomendação" do Deputado Fed., mas que tipo de carta/documento?
Sobre mostrar que quero retornar, a idéia é ir estudar e retornar a fim de trabalhar para o tal filho dele que se canditará a Dep. Estadual, certamente vou precisar de uma carta para isso também, certo? Novamente, qual o tipo?

As Dúvidas
-Consigo contornar o problema do dinheiro com essas 2 cartas?
-Caso apareça uma oportunidade muito boa lá, haverá algum problema para os autores das cartas se eu ficar por lá, com VISA é claro?
-No dia da entrevista, provavelmente estarei fora da empresa na qual estou hoje, existe algum problema em ir a entrevista de estudante sem qualquer vinculo de emprego aqui no Brasil?
-% Chances do Visa? :)

Muito Obrigado,
Lucas.

PS: Se realmente for preciso um patrocinador para o curso, uma carta do banco dizendo que ele (deputado ou o filho dele) tem fundos suficientes para bancar o meu curso e ele afirmando que me bancará, é suficiente, pois a hipótese de um extrato bancário está descartada.
MENSAGEM PATROCINADA Aprenda dicas sobre os tempos verbais em inglês! Baixe agora o seu Guia Grátis de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um ótimo resumo para revisar todos os conceitos.

Clique aqui e saiba como baixar!
Avatar do usuário Flavia.lm 3885 1 9 86
Olá Lucas

Desculpe a sinceridade, mas acredito que os pontos abordados por você são específicos e sérios demais para que você se resguarde apenas com opiniões dos colegas aqui do fórum.

De fato, não vai ser fácil conseguir um visto de 2 anos para um curso que é incompatível com o montante que você possui. O fato de ter moradia garantida é um fator positivo, porém lembre-se que o histórico da sua irmã (foi como turista e ficou lá) pode contar negativamente, uma vez que podem considerar que a sua idéia é fazer o mesmo.

Peço desculpas novamente, mas não acho que a indicação de um deputado te faça mais merecedor do que qualquer outro brasileiro que esteja pleiteando o visto. Pra mim isso é abuso de poder (lembrando que isso é minha opinião pessoal e nada tem a ver com o nome EE).

Como eu já falei, não tenho conhecimento sobre regras pra visto de estudante/trabalho no exterior. O ideal seria pedir orientação no próprio consulado ou com algum outro profissional (advogado, talvez). Empresas de intercâmbio talvez prestem esse tipo de serviço.

Boa sorte,

Flávia
Xará, minha opinião (apesar do pouco conhecimento no assunto): acho que quando se mistura política com qualquer coisa nesse país o resultado geralmente sai de um jeito "favorável" pra gente (o famoso Q.I. - Quem Indica), mas em se tratando de relações internacionais, principalmente envolvendo o Governo Norte-Americano, todo cuidado é pouco. Acredito que o fato de você mostrar uma carta de recomendação dum político brasileiro não vai te favorecer em nada se no momento da entrevista você não for coerente e sincero em relação às suas reais intenções quando estiver nos EUA. Se fosse uma recomendação dum político americano talvez a história fosse bem diferente...

Acho que você tem competência suficiente para mostrar a quem for preciso que irá para os States com o intuito de aprimorar seu inglês e, com esse conhecimento adquirido, voltar posteriormente ao Brasil mais qualificado e apto a crescer profissionalmente. Pelo menos é o que a grande maioria das pessoas de bem justificam quando se é perguntando o motivo da viagem aos EUA nas embaixadas e consulados da vida.

Faça o que é de praxe, enfrente aquela burocracia entediante de sempre com honestidade e tente não misturar terceiros nesse processo para não se complicar. Acredito que a simplicidade trará mais resultados positivos do que envolvendo outras "fontes ideológicas".

Quer um conselho? Ligue para o consulado e peça uma orientação de um funcionário especializado no assunto. É mais seguro e confiável do que "ouvir" conselho de leigos, como eu, rs.

Boa sorte e sucesso!
Primeiro de tudo peço desculpas pela demora em responder, mas a semaninha começou com tudo! (hahaha)

Ambos, Flávia e Lucas, vocês me recomendaram entrar em contato com o consulado, mas devo ligar lá ou um email e pedir as informações simples assim?

Flávia, acho que você me entendeu mal, não desejo demonstrar que sou mais mercedor que os outros com a tal carta, a idéia é demonstrar que não sou um doido varrido (hahaha) desejando entrar lá, imaginei que com a recomendação de alguém mais influente que as minhas plavras na entrevista fosse capaz de reverter o quadro negativo da estadia da minha irmã nos EUA, Você acha que ainda pode me influenciar isso, mesmo sendo a tanto tempo?

Ao meu Xará, Lucas, a carta seria apenas me indicar, para tentar começar com o pé direito, e como tenho o fato da minha irmã ter ficado lá, mesmo que por pouco tempo ilegal acaba me prejudicando, precisava e preciso de algo que façam ter uma visão diferente. Sobre você dizer em crescer profissionalmente aqui, é justamente essa a idéia.

Mais uma vez pergunto a ambos que me responderam tão sinceros (e assim que desejo que seja), para um curso desse custo, quanto seria ter em dinheiro? No caso de um patrocinador, eu transformasse a carta de recomendação em uma de patrocinio, seria melhor assim?

Muito Obrigado,
Lucas.
Avatar do usuário Flavia.lm 3885 1 9 86
Lucas

Peço desculpas. Eu leio todas as msgs do fórum, mas, por algum motivo, essa passou despercebida.

Qto às suas perguntas, infelizmente não sou a melhor pessoa pra responder. Veja se os links abaixo te ajudam:

http://www.embaixada-americana.org.br/i ... temmenu=86
http://veja.abril.com.br/idade/exclusiv ... ndex.shtml
http://www.imigrar.com/visto_pr.html
Desculpa Lucas, não imaginava que você fosse fazer outro questionamento, rs. Com relação aos custos da viagem, quanto à um possível patrocínio, eu não faço a mínima idéia (ainda não tenho experiência no assunto), mas acho que esse site vai te dar alguma noção de valores na hora de planejar sua viagem.

Good luck! :mrgreen:

http://web.infomoney.com.br/templates/n ... sfinancas/
Rapaz,

Atualmente tirar o visto está mais simples, pois os americanos estão querendo gente que gaste lá, então capricha no visual de turista e tenha uma conta com dinheiro o suficiente para mostrar que você é um gastador em potencial.
Já fiquei em casa de parente lá, minha estratégia, foi pegar carta do emprego, que para minha felicidade também tinha uma filial nos EUA, então consegui uma carta de empresa americana, com assinatura e pessoa responsável por mim dentro dos States. Mas acabei por não entrar como visita de negocio, sim como turista, o que me deu 30 dias, que no meu caso foi o suficiente, pois eu paguei um curo 2x por semana, e lá em Michigan descobri que existem curso gratuitos para estrangeiros, nestes eu ia 3x por semana. Aproveitei nos finais de semana para conhecer a região de Detroit, para fazer isto tudo lá foi imprescindível alugar um carro...

Mas voltando ao assunto principal, no seu caso, como foi de um amigo meu, ele também foi na época da faculdade, também tinha 21 anos, inicialmente ele foi na Experimento Intercâmbios, empresa que arrumou um trampo, para ficar lá 6 meses (na época ± em 2003, tinha muito trabalho para universitários temporários lá), mesmo assim no dia do visto ele levou 3 referencias: -carta de estágio; carta da faculdade; - carta do trabalho voluntariado que ele fazia (todos recomendando, e mostrando que ele tinha vinculo com o Brasil, assinadas e carimbadas), mesmo como estagiário ele levou a carteira de trabalho. Com a renda dele era pequena, ele mostrou em copias autenticadas, que os pais deles tem casa próprias e também o imposto de renda da mãe dele, que na época era quem dava "teto" pra ele...

Na minha ida no consulado o melhor foi estar com documentação em dia, e mesmo falando do visto turismo+negócio que eu ia tirar e estando com carta de recomendação, eles queriam é saber com quem eu morava e o que meus pais fazem no Brasil...

Espero ter ajudado abraço

Guilherme