Imitar é bom para melhorar a pronúncia?

Recentemente houve uma discussão no fórum que me chamou a atenção. O professor Adir em resposta ao projeto conversação deu a seguinte dica: “uma ótima forma de melhorar a pronúncia é tentar imitar os nativos”. Para minha surpresa um leitor discordou com o argumento de que “imitar” pode tornar o nosso inglês não muito natural, em outras palavras, artificial.

Acho muito interessante essa divergência de idéias e acredito que a discussão quando feita de forma construtiva só traz benefícios. Segue abaixo a minha opinião a respeito do tema.

Quando eu comecei a estudar inglês eu não fazia distinção alguma de região ou sotaque do inglês que estava ouvindo. Quando eu ia conversar com meus amigos americanos (Mary e Adam), eles logo começavam a me corrigir. Isso porque eu falava algumas coisas mais comuns no inglês britânico misturadas com inglês americano, o que dava a impressão que o meu speaking parecia uma colcha de retalhos com sotaques e palavras de diferentes regiões. Um nativo consegue entender, mas fica muito estranho.

Tire suas dúvidas sobre os tempos verbais, baixe um guia grátis da English Live: Guia de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola. Clique aqui e saiba como baixar!

Só consegui resolver isso quando resolvi focar os meus estudos de listening e speaking no inglês americano, mais especificamente escolhi o Jeff McQuillan para imitar, falei sobre isso na série sobre o meu kit de estudos. Acredito que foi uma decisão muito acertada já que a minha pronúncia melhorou bastante e ficou mais natural.

O leitor Marco perguntou no fórum se há algum problema em misturar inglês britânico e americano. Como eu já falei, pode não ser tão problemático, mas sua comunicação não vai soar de forma natural. Imitar é uma boa alternativa para evitar esse problema.

Outro ponto muito importante é que quando você passa a seguir alguns falantes nativos, você percebe que eles costumam usar as mesmas palavras para expressar as idéias. Dessa forma o vocabulário novo vai sendo fixado com o andamento dos estudos e a sua compreensão vai melhorando também.

O Ricardo Schütz, o editor de um dos sites mais sérios de ensino de inglês fala o seguinte sobre a imitação:

Para adquirir-se não apenas a correta pronúncia de fonemas, mas também a acentuação tônica das palavras e a entonação da frase, desde o início do aprendizado, é necessário ao aluno desenvolver a arte da imitação e sempre consultar uma fonte autorizada: um native speaker ou uma pessoa que fale com boa pronúncia, um dicionário com símbolos fonéticos, ou ainda os modernos speaking dictionaries, dicionários eletrônicos de bolso que reproduzem som. Fonte: sk.com.br

Por fim, lembro que o inglês é um idioma mais “cantado” do que o português, ao pronunciar uma frase é perceptível os altos e baixos. Dessa forma a entonação das frases no inglês parece ser mais exagerada, o que causa estranheza para nós brasileiros. Por fim acabamos evitando pronunciar o inglês como ele realmente é, por pura vergonha. Com a imitação isso deixa de ser uma barreira, já que você está imitando não tem problema. Não é mesmo?

Gostaria de saber a sua opinião a respeito: Você acha que imitar é bom para melhorar a pronúncia?

Seu comentário é muito importante para complementar as idéias do artigo.

See you guys!

Alessandro

Alessandro Brandão

Alessandro Brandão é coordenador do English Experts e do Fórum de idiomas. Trabalha também em projetos na área de Ensino a Distância (EaD).

Mostrar 71 comentários