Viagem para os EUA a trabalho: dicas importantes

Pessoal! Estive nos EUA em setembro, por uma semana, a trabalho – a business trip. Fiz algumas anotações que podem vir a ser úteis para vocês caso precisem ou queiram dar um pulinho lá na terra do tio Sam, apelidada por um amigo meu de Gringolândia.

Visto e passaporte em dia. Sempre. A gente nunca sabe quando pode surgir a oportunidade: uma reunião, um curso, ou até mesmo aquela promoção de viagem pra Disney!

Veja a temperatura do local para poder planejar melhor a mala e também seu roteiro nas horas vagas. Alguns sites brasileiros trazem a previsão de tempo das principais cidades estrangeiras, mas eu recomendo o The Weather Channel. No topo da página dá pra mudar de ºF para ºC.

Tire suas dúvidas sobre os tempos verbais, baixe um guia grátis da English Live: Guia de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola. Clique aqui e saiba como baixar!

Prepare-se para a diferença de fuso horário e possível jet lag.

Faça um seguro saúde. Agências de viagem e corretoras de seguro oferecem esse serviço. Alguns países nem permitem a entrada se você não tiver seguro, além de que pode ser crucial caso você fique doente ou aconteça algum acidente durante a viagem.

Não esqueça os carregadores de todos os aparelhos eletrônicos que estiver levando (principalmente o da máquina fotográfica!). Adaptador de tomada (power adapter) também é essencial.

Empire State Building

Remédios

Além dos que porventura você toma diariamente, providencie um kit básico para resfriado, dor de cabeça, azia, cólica, dor muscular. Se precisar comprar alguma coisa lá, vai precisar de receita médica (a doctor’s prescription).

Dinheiro, cartões e celular

Isso varia muito; tem gente que prefere se precaver e levar bastante dinheiro; eu preferi levar o mínimo necessário só pra dar gorjeta (tips) e eventualmente pegar um táxi. Se tiver cartão de crédito internacional, é interessante avisar a administradora sobre o período que for ficar fora, para evitar bloqueio por suspeita de fraude. Avise também a operadora do celular, para habilitar o roaming internacional e pedir orientação sobre possível necessidade de mudança de parâmetros/configuração quando chegar no seu destino (melhor do que pedir ajuda em inglês na operadora de lá).

Central Park & I

Planeje o seu Roteiro

Leve um mapa da cidade e planeje o seu roteiro com antecedência, estabelecendo prioridades (principalmente se for ficar pouquinho tempo como eu fiquei). Me disseram isso sobre NY e é pura verdade: tem TANTO lugar pra visitar, que se você não decidir com antecedência vai ficar perdidinho pra escolher em cima da hora.

Vista do Central Park, foto tirada no Top of The Rock

Se for pra NY e for mão-de-vaca como eu, recomendo o segundo melhor blog do mundo: NY para Mãos de Vaca.

Mesmo que seja a pessoa mais consumista do planeta e ficar abobalhado com o preço das coisas, saia um pouquinho das lojas e vá curtir os pontos turísticos da cidade.

Controle o impulso. Esteja disposto a pagar excesso de bagagem (e declarar sua falência) ou liste com antecedência as pessoas que você deseja presentear.

Vão te oferecer as coisas mais absurdas possíveis de café da manhã, com calabresa, frutos do mar… Mas o buttered croissant e o hot chocolate da Starbucks são fantásticos ;-)

Um livrinho bem bacana que até ensina a preencher o formulário de imigração, dá dicas de vocabulário para fazer compras e como fazer um pedido num restaurante: Como Dizer Tudo em Inglês em Viagens, do Ron Martinez.

Viajar sozinho(a) pode ser divertido, só vai depender de você

Não importa o quão expert você é em inglês, você vai ter problema pra abrir a porta do quarto do hotel, pra ligar o chuveiro, pra desligar o ar condicionado, pra usar a cafeteira e até o ferro de passar roupa. E vai se perder na cidade, mesmo com o mapa na mão. Mas, como dizia o Bob, every little thing is gonna be alright (e sua viagem vai ser mais memorável ainda se você tiver lembranças cômicas sobre ela).

Tire foto de tudo, sem vergonha. Até do letreiro do McDonalds eu tirei, pra comparar os nomes dos lanches com os daqui. Faça a sua parte de turista, mas não dê tanto na vista. Da mesma forma que eu tenho pena dos turistas que passeiam em plena São Paulo carregando uma mega máquina fotográfica pendurada no pescoço, não faça o mesmo em certas cidades mundo afora que são tão dangerous quanto essa daqui.

Flávia, dá pra praticar inglês fazendo turismo?

Bem pouco, mesmo. Uma senhora puxou assunto comigo ao me ver consultando o mapa da cidade. Nas lojas, ou mesmo nas ruas, quando alguém vinha pedir pra eu bater uma foto, alguns comentavam ao perceber o meu sotaque. E só. Se quer dar um up no inglês, a melhor opção é mesmo numa escola. Mas, in such a short trip, não creio que valha a pena.

Take a bottle of water along with you. Wear sunscreen. And have a nice a trip!

See you,

Flávia

Flávia Magalhães

Flávia Magalhães é estudante de inglês e colabora periodicamente com artigos para o EE. Além disso ela é moderadora do Fórum do English Experts.

Mostrar 18 comentários