Colher x apanhar x recolher x 'ponhar'

Avatar do usuário DHST 675 1 2 12
Eu estou simplesmente boquiaberto (e triste rs) aqui quase por ter acabado de descobrir que o verbo ''ponhar'', na verdade, não existe. Eu imaginei que fosse correto dizer ''ponhar maçã'', ou mais comum ainda, ''ponhar laranja'', mas simplesmente não existe esse verbo (soa tão natural). Vocês conhecem? Já ouviram, usaram? Eu adoro etimologia; eu queria saber se 'ponhar' seria uma 'corrupção' do verbo apanhar (que pra mim ainda é bater, fora de contexto rs).
Avatar do usuário Rakell Grubert Pere 3375 3 6 65
Eu ja ouvi "panhar laranja"( frutas em geral), no lugar de colher e " ponhar" no sentido colocar. Ambas são erradas e eu nunca usei, mas na zona rural é muito comum, é o jeito do caipira de falar.

Definição de apanhar do dicionário Aurélio:

v.t. Ajuntar o que está espalhado: apanhar lenha. / Tomar, levantar o que está no chão: apanhar as luvas. / Colher: apanhar verduras, frutas. / Alcançar: apanhar o trem. / Ser espancado: apanhar uma surra. / Pegar: apanhar peixes, pássaros. / Prender: apanhar um ladrão. / Contrair: apanhar uma moléstia. / &151; V.i. Perder: apanhar no jogo.
MENSAGEM PATROCINADA Aprenda dicas sobre os tempos verbais em inglês! Baixe agora o seu Guia Grátis de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um ótimo resumo para revisar todos os conceitos.

Clique aqui e saiba como baixar!
Eu particularmente uso este verbo fictício (rsrs), o 'ponhar' que vem do pôr, que geralmente é usado erroneamente na língua falada e escrita em diversos tempos verbais.

O correto é

Eu porei. (e não 'EU PONHAREI')
Eu pus. (e não 'EU PONHEI')
Eu tinha posto. (e não 'EU TINHA PONHADO')
Eu poria. (e não 'EU PONHARIA')

Aqui, uma lista com a conjugação desse verbo em todos os tempos:
http://www.conjuga-me.net/verbo-p%C3%B4r
Avatar do usuário Marcos 3345 4 17 71
Olá pessoal,

Dando uma volta pelo fórum acabei me deparando com este tópico. Achei interessante as colocações dos colegas e assim gostaria de deixar uma ou duas considerações.

Todos sabemos que a língua padrão de um idioma é aquela que segue as regras estruturais impostas pela gramática do mesmo para que assim um certo grupo de individuos possam se comunicar de forma padronizada em um mesmo código (idioma). Imagine se cada um fosse seguir suas próprias regras em releção ao idioma falado em um local específico, provavelmente a comunicação se tornaria inviavél.

Mas e se eu falasse que do ponto de vista linguístico todas as opções apontadas acima como erradas, estariam corretas. Aposto que muitos não concordariam, não é?

Vamos pensar do ponto de vista linguístico como sugeri acima. O que é língua e para que é usada?

Se você perguntar a um linguísta ela/ela muito provavelmente dirá que língua trata-se de um código e que tem por objetivo a comunicação, e que também está em constante "evolução".

Ou seja, ao utilizar-mos uma língua estamos tentando passar uma menssagem a diante, certo?

Bom, então se eu disser: Eu panhei 10 maçãs hoje.

Deu para entender qual menssagem eu quis passar? Aposto que sim. Deste modo, apesar de ter utilizado um vocábulo inesistente ou de forma diferente do código padrão da língua, eu ainda assim consegui passar a menssagem adiante, sendo então considerado "linguisticamente" correto.

O que quero dizer é que há diversas variações linguísticas dentro de um idioma, especialmente aqui no Brasil onde o português utilizado no norte do país é relativamente diferente do português utilizado no sul.

No curso de Letras estuda-se algumas materias sobre o assunto como: Variação linguística, onde é visto várias diferenças no uso da língua, assim como o preconceito linguistico, mas isso já é outro assunto, rs.

De todo modo, não estou aqui defendendo um modo ou outro de se usar a língua, mas sim tentando mostrar que nossa língua vai muito além das regras gramaticais, contudo vale lembrar que ao redigir uma redação, um documento, ou algo parecido deve-se utilizar o código padrão da língua.

Recomendo a leitura do livro chamado: A língua de Eulália, de Marcos Bagno. A obra mostra de modo simples e divertido as diversas variações pertencentes ao nosso português.


É isso ai.
Até!