Ter um vocabulário enriquecido em conversas

360 1 9
Estudo inglês há 2 anos e meio sozinho mas nos últimos meses eu agendei diversas aulas com professores nativos no Italki.
Fiquei até satisfeito com a minha capacidade de comunicação para um primeiro momento, já que nunca tinha conversado com ninguém em inglês.
Entretanto, consegui notar que apesar de eu conseguir transmitir a minha ideia e conseguir me comunicar com os professores, as vezes eu não consigo utilizar a palavra mais apropriada para aquele momento, e aí eu substituo por alguma outra palavra mais comum.

Será que é só uma questão de prática mesmo? Eu entendo bem o que eles falam,entendo praticamente 100% das palavras ouvindo um podcast ou assistindo uma série. Notei também que no decorrer das aulas houve uma evolução natural na minha comunicação, pequena mas houve.

Alguém tem dicas pra superar essa barreira? Estava pensando em levar uma lista de 10 palavras para as próximas aulas que eu não costumo utilizar, para incorporar durante a conversa. Dessa forma eu posso me forçar a utilizá-las nas minhas conversas casuais.
3 respostas
Ordenar por: Data

Resposta aceita Resposta aceita
49575 6 42 892
O fato de querer levar ou lembrar de 10 palavras pode ser um indício de uma certa "tensão" em querer se expressar, ou de querer "mandar bem" etc.
Deixa fluir, relaxa.
Eu daria a sugestão de pegar uma lista e treinar à parte (talvez em casa, ou dependendo de sua realidade até na rua - falando baixinho com uma pessoa imaginária).
Estudar pode ser algo leve, mas contínuo, pode ser que uma palavra num certo sentido seja encontrada numa música, numa entrevista, num filme, num podcast...
Assim sendo, estar atento e imerso no inglês é importante. Quanto mais contato mais decrescerá a necessidade de listas, pode crer! É natural, não estou dizendo pra esquecê-las agora, ou que deixar de usá-las no futuro. Mas vai diminuindo, naturalmente, e talvez até deixe mesmo de usar. Isso depende de cada um.
As respostas anteriores já disseram tudo, conversação tem um componente emocional, podemos até comparar com o aprendizado de dirigir. Quando se aprende a dirigir a pessoa fica "self-conscious", ligado em cada movimento que se está fazendo (e talvez suando nas mãos e no corpo - tenso).
Com o tempo o indivíduo está dirigindo tranquilo: conversando e ligado que um cachorro está lá na frente, uma criança que pode soltar-se da mão da mãe e correr pra pista, no ônibus parado que uma pessoa desce e passa na sua frente. E ainda olha no espelho pra ver o caminhão que se aproxima...
Se você entende 100% do que falam, já é progresso. Agora é só treinar mais a sua própria conversação e os próprios professores devem lhe ajudar. Que tal expressar isso, você pode dizer algo como "I can get by in English, but I find myself at loss for words..." eles entenderão e dirão algo sobre isso.
Respeite seu ritmo, não se compare com os professores ou alunos que parecem saber de tudo, que se expressam melhor, etc. Também não vá ficar na zona de conforto, tente adicionar palavras novas e expressões ao seu vocabulário para não ficar repetitivo, tente achar formas diferentes de dizer uma mesma coisa. Sim, elas existem!
No mais é só continuar nesse caminho, você chegará lá aonde quer. Força!
MENSAGEM PATROCINADA Faça um teste de inglês e descubra seu nível em 15 minutos! Este teste foi desenvolvido por professores e linguistas certificados. O resultado sai na hora e com gabarito.

Iniciar o Teste Online!

4885 1 8 107
Sim, é questão de prática. Quando mais você conversa, mais você desenvolve a conversação. Nosso cérebro usa áreas diferentes para escrever e para falar.

960 2 13
Matheus, apenas complemento o que a Andrezza falou, eu costumava jogar com amigos do Sul do país, aqueles realmente carregados da maneira de falar e das gírias sulistas. É... Algumas semanas com isso acontecendo eu parecia ter vindo de uma típica família sulista.

Voltando ao assunto principal, o que eu aprendi de tal experiência, realmente eu mesmo usando o ANKI, tendo diminuído a porcentagem de progressão dos cards (o tempo em que ele irá reaparecer) a falta de contato com as palavras/termos e a falta de ver elas de forma repetitiva ou marcante (tendo um gatilho emocional ligado à alguma frase ou contexto) me faz apenas saber no momento de lembrar, entender a palavra, mas quanto à realmente internalizá-la (uma palavra essencial) e ter ela na ponta da língua, mesmo colocando 10 cards, com dias diferentes para revisão, demora alguns meses para eu começar a conseguir buscar no momento em que eu desejar descrever ou falar algo (tal como uma catálogo com o quê está disponível)

Minha sugestão seria anotar frases com tais palavras e tentar desenvolver gatilhos emocionais e/ou situacionais com elas