A expressão "Oh my Gosh!"

Alguém me explica porque alguns americanos falam "Oh my Gosh!"?

Mais Votada Mais Votada

Avatar do usuário Donay Mendonça 56255 22 92 1341
A explicação é a seguinte:

"Oh my God" is a direct violation of the third commandment. ["Oh, my God" é uma violação direta do terceiro mandamento.]

"Oh my gosh" is a variation that removes anything that would potentially make it sinful according to the ten commandments, therefore it's fine to use. ["Oh, my gosh" é uma variação que não infringe os dez mandamentos, portanto é uma boa opção para se usar.]

Bons estudos.
Really nice the real meaning.
Meaning: "don’t use God (in "Oh my God!") as your justification in selfish causes." (Telushkin, 42).
Thks Donay!
Trecho do livro ONCE UPON A TIME UM INGLÊS..., p. 281.
"Em determinadas épocas, tanto nos Estados Unidos quanto na Inglaterra, e ainda hoje em certas regiões, era muito pior blasfemar do que usar linguagem chula. Resultado: a língua inglesa é rica em expressões inofensivas que tomam o lugar das blasfêmias e de outras expressões, quando se está na presença daquela pessoa religiosa, recatada e sensível e a quem não queremos melindrar. Palavras como darn, drat, durn, gosh, good golly, goodness gracious, gee whiz,heck, jeepers, jeez, shucks, shoot e dezenas de outras, são substitutos delicados para termos como God, Jesus, damn, hell, sh*t, etc. O processo é interessante – a pessoa começa a dizer a palavra proibida, se pega no ato, hesita, e termina dizendo outra. Jee...pers, jee...z, em vez de Jesus; go...sh, go...lly, em vez de God; sh...ucks, sh...oot, no lugar de sh*t.

Em português, o processo é rigorosamente o mesmo. Temos exemplos como “pra ca...cete”, “pa...ca” ou “pa...cas”, sendo que “ca...cete” tem seu próprio eufemismo, “ca...cilda", e “pu...xa", “pu...xa vida", bem como “pô...xa", também são eufemismos óbvios. Esses malabarismos verbais dão origem a um fenômeno bastante curioso: a importância das palavras cresce quanto mais elas são proibidas, e à medida que ganham importância são cada vez mais usadas e, portanto, mais proibidas, e, portanto, mais usadas, e por aí vai. É um círculo vicioso.
Avatar do usuário Donay Mendonça 56255 22 92 1341
John D.Godinho,

Muito interessante sua mensagem. Realmente faz sentido.

Valeu pelo complemento!
Avatar do usuário Gabi 785 1 1 15
De fato, adorei ler sobre isso!
Avatar do usuário Logan18 30
É faz sentido, gostei muito desse tópico Jonh também é cultura!!!
Avatar do usuário murilo91 260 1 6
How about " oh my godness" ?

Ps: Jonh tambem é cultura [2] rsrsrsrs
Avatar do usuário Donay Mendonça 56255 22 92 1341
Murilo,

'My goodness' é uma variação de 'My God'.Para mim,é também uma tentativa de não usar 'God' e estar isento de culpa, religiosamente falando.
Em algumas regiões como na Irlândia a população por ser muito religiosa Segue o mandamento de Deus arrisca" Não falarás o nome de teu Deus em vão "Então para não falar o nome de Deus em vão eles falam my gosh ao invés de my God.