Como aprendo inglês

Boa noite, prezados amigos do EE.

Primeiramente, parabenizo os moderadores pelo site. Sempre que posso, recomendo. Venho há muito tempo visualizando as dicas dos companheiros aqui, mas nunca me pronunciei. Assim, gostaria de explanar um pouco sobre mim e, quem sabe, solucionar algumas dúvidas.

((SE VOCÊ NÃO ESTIVER DISPOSTO A LER UM TEXTO TÃO GRANDE DE UM DESCONHECIDO, DESÇA E LEIA APENAS O FINAL...))

Como a maioria dos casos, o meu contato com a língua inglesa deu-se inicialmente no colegial, quando com muito esforço tentava aprender o verbo To Be. De forma alguma me identifiquei com a língua. Não sei se por estudar em escola pública ou pela professora estar grávida (não apresentando um bom humor para lecionar) ou se por desinteresse mesmo.

Passados alguns anos, pude experimentar o que de fato é perder uma oportunidade na vida por não ter o domínio da língua. Em 2004, quando estava prestes a me formar no curso técnico de Produção de Petróleo e Gás no CEFET-SE, fui informado que estavam abertas inscrições para trabalhar nos campos de petróleo no Iraque, durante a reconstrução daquele país, logo após a operação “Tempestade no Deserto”. O trabalho era em turno de revezamento e o salário, algo em torno de US$ 1.000,00 por dia era muito convidativo. Como eu estava me formando, o único requisito que precisava ter era a fluência no inglês. Desabaram os meus castelos e todos os planos de independência financeira (para alegria de minha mãe).

Naquele mesmo ano, chamei um colega deste curso e fechamos um pacote para estudar durante sete meses no Yazigi. Estudamos o primeiro semestre, com duas aulas por semana e no sétimo mês, julho, estudamos duas horas por dia. Naquele tempo, eu tinha a errônea noção de que aquelas três horas semanais seriam suficientes para que meu inglês tivesse um upgrade. Ledo engano. Com meu descontentamento, passar-se-iam mais dois anos enquanto que neste ínterim, o meu inglês enferrujava.

Já em 2006, comecei a estudar inglês como um EE de fato, apesar de ainda não ter conhecimento do site. Matriculei-me na Englishtown e gostei muito. Mas acredito que ainda poderia ter uma dedicação maior ao estudo da língua e que aquelas quatro horas diárias que eu dedicadamente passava à frente do PC eram insuficientes. Eu estava viciado.
Naquele ano, fui convocado para trabalhar no Banco do Nordeste, em uma cidade do interior de Sergipe, distante 128 km de minha casa. Poxa! Concurso federal é outra coisa. “Boca de forno, forno”. Aluguei uma casinha ali, mas ainda não tinha o principal para o meu aprendizado: a conexão banda larga. Novamente, abandonei os estudos.

Hoje, quatro anos depois, ainda estou aqui. Faço faculdade de Ciências Contábeis e depois da “Convergência Contábil aos Padrões Internacionais” vi-me numa situação de obrigatoriedade em recomeçar os estudos lingüísticos e, desta vez, só parar quando estiver fluente. Ou melhor, não parar mais nunca. Decidi obter certo domínio do inglês até a minha formatura daqui a dois anos e meio (se eu não reprovar, rs). Aprecio o espanhol e o russo, mas estes serão estudados em médio prazo.

Após decidir que vou continuar a aprender inglês, a primeira coisa que fiz foi providenciar uma conta de e-mail só para este fim (por precaução, já fiz isso com os outros dois idiomas também). Daí, foi questão de tempo para encontrar o site EE. Devorei-o. Assinei o feed, li as dicas do fórum e me apaixonei pelo modo como a Flávia explica as coisas.

Tenho procurado exaustivamente um modo como aprender inglês sozinho. Depois que encontrei o site, fui convencido de que muito mais do que um bom método é a motivação para estudar e que qualquer que seja o material, este é por mim considerado apenas como uma ferramenta de auxílio. Estou no nível Elementar chegando ao pré-intermediário. Tenho muito o que aprender e gostaria das dicas de vocês!!!


((... ABAIXO, SEGUE UM MODELO DA MINHA ROTINA DE ESTUDOS)).


1 – Adquiri o dicionário Longman e o consulto sempre quando não entendo alguma palavra, e somente depois de consultar o meu outro dicionário Inglês – Inglês;

2 – Também tenho em mãos a “Essential Grammar in Use” e o “English Vocabulary in use”, ambos materiais do nível Elementary e que eu os alterno diariamente;

3 – Sou evangélico e leio e ouço a bíblia em inglês todos os dias durante cerca de quarenta minutos. Faço uma relação de palavras desconhecidas e volto ao item 1;

4 – Assinei alguns feed’s da BBC e sempre que há atualizações eu baixo aqueles Podcasts;

5 – Me inscrevi no Livemocha.com mas não me empolguei tanto. Parece que tem mais graça ajudar as pessoas a falar português do que aprender de fato inglês. Isto de certa forma foge ao meu objetivo. Mas, estou prosseguindo com os cursos gratuitos;

6 – Aos sábados, assisto a algumas dessas sitcom’s (friends, smallwille) e pratico, de forma divertida, o meu listen. Porém, ainda não consigo assistir sem as legendas em inglês. E se há algumas palavras ou expressões que eu não entendo (como “You’re gonna like it”), retorno ao item 1;

7 – Ouço todos os dias os podcasts do Dr. Jeff McQuillan durante no mínimo duas horas. Toda manhã, tomo “English Café” e sempre repito o mesmo episódio. De início, dou uma olhada no título e nas palavras chave. Tento assimilar o que é dito pelo professor da beautiful California. Durante o almoço, levo em mãos o Learning Guide do episódio e verifico se consegui assimilar substancialmente as palavras. As que não conheço, volto a praticar o item 1.

Não quero ser mal compreendido neste sentido, mas abro um parágrafo neste relato para discordar do Alessandro, quando diz que os podcasts do ESLPOD.com são para pessoas de nível intermediário. Não me encontro num nível intermediário, mas, devido ao teacher speak slowly, boa parte do que é dito eu posso entender, mas não compreender. Diferentemente da maioria que eu conheço, o meu listen é razoavelmente bom. Quando o Jeff fala alguma frase, posso até mesmo, dependendo da dificuldade, repeti-la perfeitamente, desconhecendo seu conteúdo e como escrevê-la. O que falta para mim é um vocabulário básico.

Após alguns meses me dedicando desta forma, percebo o meu inglês evoluindo ao longo deste período. Talvez seja porque eu estou de fato com este objetivo em mente: falar inglês fluentemente. As cinco horas diárias (incluindo os podcasts) que me permito imergir no inglês estão consumindo minha sede de aprender outro idioma. Acho que vim com muita sede ao pote. Hoje já consigo sonhar em inglês. Às vezes, falo com as pessoas neste idioma e não no nativo e isso me deixa confuso. Parece que estou ficando louco.

O que sinto falta é de um norteador que me diga o que devo, ou não, fazer para melhorar o meu aprendizado. Já tentei adquirir o Rosseta Stone, mas só encontro o software na versão pirata. E assim eu não compro.

Veio a idéia de novamente participar da Englishtown. Esta, sim, acredito eu, poderia me nortear. Conversei com Rosângela – consultora da escola – e o pacote que eu me interessei ficou em torno de R$ 2.028,00 para 14 meses de estudo, estando inclusas neste preço 36 aulas particulares. Graças a Deus, dinheiro não é problema pra mim (a Deus seja a Glória) e eu estou seriamente pensando em realizar este curso.

Peço aos amigos que avaliem o meu método de estudos, critiquem os meus apontamentos e me dêem um feedback quanto à Englishtown. Faço questão de ler um comentário da Flávia. Peço desculpas pelo tamanho do texto, mas esta foi a forma resumida que eu encontrei para me expressar.
Avatar do usuário Logan18 20
Fala Autodidata tudo bem? Espero que sim.

Sou Analista Contábil e a Flávia Contadora, e vejo que vc está seguindo esse duro caminho também...

Gostei muito do seu post, apesar de grande o li por completo, e acho que você está no caminho certo e vejo que você realmente está focado em conseguir sua desejada fluência. Eu sou um aluno iniciante, e não muito concentrado no estudo do Inglês, pois não tenho muito tempo, trabalhando e fazendo faculdade fica dificil conciliar, estudo quando dá e nos ônibus e nos trens da vida pela cidade do RJ que certamente não são os melhores lugares para se concentrar. Continue focado em seus estudos e com 5 horas de estudo e dedicação diária você verá resultados rapidamente, porque eu vejo os resultados aparecerem comigo estudando da minha maneira.

Boa sorte, se precisar de ajuda estou as ordens e CONTINUE FOCADO.

See you around...
MENSAGEM PATROCINADA Você sabe como está o seu nível de inglês? Teste agora GRÁTIS em apenas alguns minutos.

Clique aqui para iniciar o Teste Online!
Avatar do usuário Flavia.lm 3835 1 9 85
É de mim que vcs tão falando, mesmo?
Assim que eu recuperar a fala e colocar os pensamentos de volta no lugar eu volto aqui pra responder à altura.
Por enquanto, um imenso MUITO OBRIGADA.
Avatar do usuário Flavia.lm 3835 1 9 85
Vamos por partes:

Quem sou eu pra dizer qualquer coisa a respeito de alguém com uma trajetória dessas? Vc já é um expert, por causa das conquistas que teve na vida, e por ter consciência da “falha” cometida e de saber que nunca é tarde pra começar tudo de novo.

A “falha” ta entre parênteses porque não se pode julgar ninguém pelas atitudes tomadas – você deixou de estudar inglês algumas vezes, mas talvez não tenha sido displicência sua e sim uma necessidade daquele momento – portanto, não se culpe. O mais importante já foi feito: você tomou uma decisão. O passado agora só vai servir de lição, não de lamentação.

* * *

Você deve ser da época que o povo ainda falava “a informática ta dominando o mundo, daqui alguns dias vai tomar o emprego de muita gente...” --> até aqui, concordo, mas... “... contabilidade, por exemplo, daqui uns dias vai ser tudo informatizado, a profissão de contador vai sumir”. Queria convidar quem falava isso a passar um único dia comigo no escritório. Ou então lá com você na sua faculdade.

* * *

Daí, foi questão de tempo para encontrar o site EE. Devorei-o. Assinei o feed, li as dicas do fórum e me apaixonei pelo modo como a Flávia explica as coisas.


Um vez eu falei pra um colega daqui (iguitars), de brincadeira mesmo, que o fórum servia de terapia. Depois, comecei a ficar preocupada se, de fato, eu não estava passando horas e horas aqui no fórum pra fugir de algum possível problema. Respostas à parte, eu tenho tirado muito proveito da aquisição e “lapidação” de aprendizado, e tenho aprendido mais ainda com essa noção de ajuda mútua que, até hoje, não encontrei em nenhum outro site e em nenhuma escola de inglês.

Quanto ao fato de você gostar de como explico as coisas, fico imensamente feliz. Nunca dei aula, sou muito mais tímida do que aparento ser, tenho falhas notáveis no meu inglês – mas não me culpo por elas, tenho plena consciência de que vou precisar estudar inglês pelo resto da minha vida - e com muito prazer. Por isso, um elogio desses é realmente motivador e com certeza vai me fazer dedicar ainda mais ao fórum... oooops, melhor não. Eu precisaria de algumas horas à mais por dia, e o meu infelizmente ainda tem só 24 horas. Além disso, ainda tenho que dar conta da tal da “convergência aos padrões internacionais”... :D

Depois que encontrei o site, fui convencido de que muito mais do que um bom método é a motivação para estudar e que qualquer que seja o material, este é por mim considerado apenas como uma ferramenta de auxílio.


Falou e disse!

Tenho muito o que aprender e gostaria das dicas de vocês!!!


So here we go! :

Pra mim, seu plano de estudos está mais do que perfeito. Você trabalha as quatro habilidades, segue uma rotina, e aparentemente tem bastante disciplina – que, creio eu, seja o mais difícil para quem estuda por conta própria. Além disso, vejo que você selecionou bem quais materiais seguir – coisa que sempre insisto com os colegas aqui do fórum, já que hoje em dia tem material demais na internet e nem sempre é fácil escolher um ou outro – dá sempre aquela vontadezinha de querer fazer tudo (e acabar não se dedicando de verdade à nada).
Me preocupo apenas se não está exagerando um pouco na dose – 5 horas por dia? no dia que der vontade de não estudar, não estude! – e não se sinta culpado, heim!

Acho que vim com muita sede ao pote. Hoje já consigo sonhar em inglês. Às vezes, falo com as pessoas neste idioma e não no nativo e isso me deixa confuso. Parece que estou ficando louco.


Once again: Take it easy! Inglês é necessário sim, mas não é o inglês que vai te dar consolo num momento de tristeza, não vai segurar sua mão qdo vc estiver doente, nem é quem vai vir correndo te abraçar qdo conquistar alguma coisa de importante. Portanto, lembre-se sempre das reais prioridades da sua vida e reserve tempo suficiente pra elas.

Qto ao “parece que estou ficando louco”, sinta-se em casa! Aqui no fórum todo mundo também é (mesmo aqueles que ainda não assumiram!)

- Não conheço o Englishtown, mas, dentre outros cursos online, me parece ter um certo reconhecimento, já existe há muitos anos, etc. Além disso, você mesmo já usou no passado e gostou. O preço também me parece coerente. Portanto, siga em frente! Gosto apenas de sugerir que, caso tenha interesse, visite algumas escolas – um professor presencial pode fazer toda a diferença naquilo que você está buscando – um norteador quando ao seu desenvolvimento. Colegas de sala também fazem uma grande diferença (nem sempre positiva, é verdade, mas só descobrimos quando tentamos).

Bem, vc queria um comentário meu... e aí ele está. Mais uma vez, obrigada pelas palavras. E saiba que já te admiro tanto quanto, pelo empenho que demonstrou. Espero agora demonstrações deste empenho em participação aqui no fórum, não apenas como leitor mas sim como “perguntador” e “respondedor”.

Welcome aboard!
Avatar do usuário Flavia.lm 3835 1 9 85
Nada como reler os próprios posts.
No segundo parágrafo, eu quis dizer: a "falha" está entre aspas
Autodidata keep your good work!!! You're in a right way.
Hi autodidata!! How are you?

Otima, isso que tenho a disser da forma como você esta buscando de aprender inglês, pois como a Flavia disse esta trabalhando as 4 habilidades: speaking, listening, reading, vocabulary, continue assim focado em aprender inglês, quanto ao tempo de 5 horas por dia pode ser um pouco exagerado se você não organiza-lo corretamente, pois essas 5hs se estao divididas com intervalos de algumas como acredito que seja o seu caso, otimo, e assim como vc disse quando estamos focado em aprender queremos estudar, estudar, isso acontece comigo algumas vezes, passo a tarde na frente do pc estudando, ouvindo musica, etc...

Mais uma vez digo voce esta no caminho certo "foco em fluencia". Quanto ao curso no englishtown tambem não o conhece muito, mais pelo que me falam e uma otima ferramenta, também recomendo a dica da flavia, em busca como altenativa também um curso prensencial, pois as vezes é bom para tirar duvidas, praticar com colegas de salas, professor.

Ah uma dica ouça muita musica em inglês, as vezes algumas musicas podem ajudar muito na aquisição de listening, speaking, e vocabulary ainda mais de slangs of english.

Bye!!! E participe do forum do EE.


Mauricio Sousa