Aprender uma nova língua a cada dois anos

Olá a todos.

Compreendo que cada pessoa tem seu próprio tempo, e que cada língua tem suas própria estrutura, podendo ser mais fácil ou difícil baseado na habilidade em aprender.

Porém minha dúvida é a seguinte. Com treino diário e sério em uma língua, é possível ter base o suficiente no idioma para leitura e conversação em dois anos?

Atualmente estudo inglês, sou iniciante, mas tenho vontade de aprender vários idiomas, como alemão, chinês, japonês, árabe. Logo me surgiu a dúvida de se com estudo sério, tempo e treino o suficiente, é possível aprender uma língua a cada dois anos, visando que nos próximos cinco anos de minha vida quero saber ao menos dois idiomas.

Sei que o nível de fluência não se atingirá em dois anos, logicamente, logo minha dúvida é se meu nível em dois anos será suficiente para conversar e realizar leituras e escrever alguns textos.
MENSAGEM PATROCINADA Para aprender mais sobre os Tempos Verbais baixe agora o: Guia Grátis de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um resumo bem estruturado para revisar os conceitos que você aprendeu na escola.

Clique aqui e saiba como baixar!
Avatar do usuário Daniel Reis 875 1 13
Olá,

Acho que isso depende muito de pessoa para pessoa e o quanto você realmente irá estudar ao longo desses 2 anos.
O problema é que dos idiomas que você quer aprender somente Alemão é próximo do inglês(so to speak) e se você pretende estudar esses ídiomas a partir do Inglês(o que é mais do que recomendado) acredito que você precise ter um conhecimento mais amplo do próprio Inglês e assim você poderá tirar o máximo da língua que você deseja falar.
No geral, se não existe pressão em cima de você, se você precisa ter um Inglês avançado e, se aprender línguas para você é apenas um hobby, acredito que valha a pena sim estudar um ídioma a cada 2 anos.

Valeus
Avatar do usuário PPAULO 38755 6 32 678
Dá pra aprender sim, mas depende de muitas coisas. É exatamente o que o Daniel explicou no primeiro parágrafo. Mas a prova é que Haitianos, pessoas de países Árabes, da China, Africa (mais recentemente do Congo), Japão, Ucrânia, Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha, França, e muitos outros países tem aprendido português muito rápido aqui.
Muitos deles com um certo sotaque, mas ainda assim bem funcional, se comunicam bem.
Avatar do usuário PPAULO 38755 6 32 678
O fato de uma língua ser "prima" facilita mesmo, assim quem estuda Alemão tem maior facilidade se souber inglês, e quem sabe Italiano, Francês, Espanhol, o Castelhano (uma vez num chat um argentino me disse que não gostam que digam que eles falam espanhol, mas castelhano, não sei...); e outras línguas românicas.
Por incrível que pareça, quem sabe português tem mais dificuldade com espanhol do que o contrário, diz-se que em cidades que fazem divisa com a Espanha os Portugueses também tem dificuldade com o ''listening" dos cidadãos que atravessam a fronteira, mas os espanhóis entendem os portugueses perfeitamente. Talvez seja questão de ritmo da fala.
Já aqui no Brasil parece ter um certo senso de "propriedade" da língua portuguesa e meio que se torna quase uma questão de patriotismo se falar português, mas quando se parte para o inglês isso muda... É só ver a quantidade de alunos que se dão bem melhor em inglês do que em espanhol em provas de vestibular/ENEM etc.
O fato é que, querendo, qualquer pessoa aprende sim. E é claro que alguns aprendem mais rápido, e outras circunstâncias podem influenciar.
Por exemplo, o fato de saber que vai precisar de saber português para efeito de emprego, estudo etc, age como um "catalizador" (acelerador) do aprendizado.
O mesmo se aplica ao estudante brasileiro que está aprendendo outras línguas.
Avatar do usuário Ancrispa 2555 8 57
You’ve chosen languages with a high degree of difficulty (except for the English language).
Let’s start talking about the Arabic language. When I was learning French I met an Arabic pen pal on a language site, she was an Arabic teacher. She told me that the Arabic language is quite complex and possesses an extreme degree of difficult even for native speakers. What I’m trying to say is that the Arabic language is a long term learning process.
Read more here:
http://www1.folha.uol.com.br/ilustrissi ... rabe.shtml
Japanese and Chinese:
These two are languages that require long term learning process. You need around of 2,200 hours of learning for each of them. The same amount of hours you will need to learn Arabic.

Chinese:
http://www.nippobrasil.com.br/especial/n01.php
Japanese:
http://noticias.universia.com.br/destaq ... studo.html

German (medium degree of difficulty):
Now we are talking about a language with a lesser degree of difficulty if we compare it to the three languages I’ve mentioned above. You will need something around 750 hours.

Here there’s a language difficulty ranking:
http://www.effectivelanguagelearning.co ... difficulty

I think the easiest one for you to achieve your goal is the English language if you study on a daily basis.

Thus summarizing my opinion: it’s not impossible. But it will take an incredible amount of time, devotion and patience. If you organize a schedule e.g. English (two years already) study four hours a week and German ( 10 hours a week) during two years. After that you decide to learn Japanese. You keep studying English 4 hours a week, German 8 hours a week and Japanese 12 hours a week and so on. You can’t stop studying the first language because you should keep learning and developing your vocabulary, listening, reading and speaking.

In my opinion it’s quite a challenge. It reminds me the beauty and complexity of a classic music “Night on bald mountain” by Modest Mussorgsky (Russian composer).

P.S. I’ve written in English because I personally think you should read in English.
Avatar do usuário Ancrispa 2555 8 57
Correction: instead of classic music the reader should read: a classical music...
Você tocou numa questão interessante aí. Eu sei alguma coisa de Espanhol (mesmo), e Inglês. Eu acho que o meu inglês é funcional, não baseado em grandes conhecimentos gramaticais. Procuro saber a maneira mais correta de falar, mas não sou um "grammar freak". Me sinto a vontade em conversas ao vivo, telefone ou escrita (exceto temas muito específicos como medicina, mas aí eu tb não saberia muito bem em português).

Quando eu penso em aprender outra língua penso: será que devo ou devo dedicar mais ao inglês? (Mesmo eu não me dedicando o quanto deveria para o inglês, que isso fique claro)
O que é ser um poliglota? OK, um poliglota, ao meu ver, é quem fala 3 línguas ou mais. Mas o que é FALAR UMA LÍNGUA?
O "Jack of all trades, master of none" não me agrada em nada, sinceramente falando. Você falou num prazo de dois anos, claro, tempo varia de pessoa pra pessoa, e cada um tem um objetivo, mas eu prefiro as vezes demorar um pouco mais mas me garantir em uma habilidade ou outra, do que saber de tudo um pouco e não conseguir de fato me aprofundar em nada.
Avatar do usuário PPAULO 38755 6 32 678
Concordo com você Luis, na parte do "Jack of all trades-stuff". Talvez seja a questão de focar em algo, mas aí é o falante/estudante que tem que tomar essa atitude (vendo suas capacidades, a sua realidade - por exemplo, contato ou imersão na linguagem-alvo e por aí vai).
Não se pode generalizar; por exemplo, uma pessoa pode estar com uma bolsa de estudos para a Espanha, deverá certamente focar no estudo de espanhol. Em geral, se deve dar muita (ou mais) atenção ao inglês por ser língua franca.
Embora estejamos em um tempo em que em alguns campos/casos, saber inglês está quase como saber português. Isto é, (quase) obrigatório...e tão lugar-comum, que certas multinacionais já exigem Alemão e/ou outras línguas (como diferencial - o que separa um candidato à emprego de outro.)
De qualquer forma, concordo com você. Sendo até certo um perfeccionista, eu gosto de tudo que me proponho a fazer, fazer bem feito.