Curso de inglês do CCAA é bom?

Avatar do usuário Alessandro 2970 3 9 71
Você é (ou foi) professor ou aluno da escola CCAA?

Deixe aqui informações sobre a metodologia de ensino. Suas informações poderão ser úteis para estudantes que estão buscando informações sobre a escola.
MENSAGEM PATROCINADA Aprenda dicas sobre os tempos verbais em inglês! Baixe agora o seu Guia Grátis de Tempos Verbais em Inglês. Ele contém um ótimo resumo para revisar todos os conceitos.

Clique aqui e saiba como baixar!
Eu já estudei.

A metodologia eu acho excelente, pois incentiva o aluno a estudar pensando em inglês, não na forma de pegar uma frase ou texto, e traduzi-lo palavra por palavra.

A metodologia consisti em cada lição tem uma pequena história, uma situação, e com base nela é tirada o vocabulário e a gramática. Incentiva o aluno a entender sem traduzi-lo, e a explicação de toda a matéria, e as conversações entre professor e aluno, e aluno para aluno, ocorrem toda em inglês.

A única desvantagem para mim que achei, que quando eu fiz (não sei nas outras escolas CCAA) não tinha uma aula só para conversação, que já ouvi falar que algumas escolas de idioma tem, como fisk, sendo que não sei se é verdade.
Estudo no CCAA e gosto muito do método. Somos levados a pensar/falar/escrever em inglês. :D
Gosto muito do material, acho que é bem interativo. Além dos livros com as situações/gramática, há o livro de exercício (que pode ser feito no computador e impresso) e o livro com os exercícios de listening.
Na escola que eu estudo tem aulas de conversação, além de atividades extras. ;)

Embora seja um pouco repetitivo (não há um aluno que realmente goste dos drills, mesmo sabendo que eles ajudam pra caramba), o método te dá confiança na comunicação seja ela falada ou escrita. :mrgreen:

O ponto negativo é que é SÓ inglês americano, então quem quiser aprender outros sotaques (principalmente acostumar o ouvido com os outros sotaques), tem que correr atrás.

(Lá na minha escola, a gente pode escolher fazer aula de conversação com um professor Sul-africano. Foi uma experiencia muito legal pra mim. Todavia, não sei se isso tem em todos os CCAA's. Acho que depende muito de quem é o diretor e tal...)

Bom, é isso! Se lguém tiver alguma dúvida que queira perguntar, é só falar ;)
Avatar do usuário PKdbz 30
No CCAA que eu estudo não tem isso tudo que o fe_notavel falou, as aulas se limitam as lições, nada de aulas de conversação, mas como nosso amigo citou acima, depende do diretor, professores, etc...

Eu gosto do CCAA, mas acho que o método evolui muito devagar, não sei se todas escolas são assim, faço inglês a 2 anos e meio, e as lições ainda explicam coisas básicas, que vi muitas lições atrás. E quando tentei ouvir um podcast do ESLpod.com (classificado como intermediário), sofri MUITO, acho que depois de 2 anos e meio isso não deveria acontecer.

Creio que fazem isso pra pessoa estudar mais tempo rsrss

Depois que começei a estudar em casa, meu inglês melhorou, digamos, o equivalente a 1 ano de curso em 1 mês de estudos por podcasts rss
Eu fiz aula de inglês no CCAA por 8 anos, desde o TN até o Mastering English (Básico, Intermediário, Avançado e Aperfeiçoamento). Fiz intercâmbio agora e desde meu primeiro dia até o último recebi muitos elogios quanto ao meu inglês. Enquanto estudava no CCAA, tive a oportunidade de conhecer melhor a metodologia quando fui assistente do laboratório de línguas e eu simplesmente amo o método deles. Mas eu ainda acredito que só aprende quem quer, já vi muita gente e tive muitos colegas que reclamaram muito do CCAA e da metodologia - principalmente de que é difícil. Na minha opinião realmente é difícil, mas que você aprende se quiser, aprende. E aprende bem. Realmente demora muito tempo pra mudar de um nível para outro (na prática), mas eu acho que é porque eles realmente frisam muito tudo que você aprende.

Quanto as aulas de conversação, na minha escola também tinha. Quem era aluno de qualquer nível podia ir às sextas na escola na aula de conversação, ou se você não era aluno tinha que pagar pela aula de conversação.

O fe_notavel disse "Embora seja um pouco repetitivo (não há um aluno que realmente goste dos drills, mesmo sabendo que eles ajudam pra caramba), o método te dá confiança na comunicação seja ela falada ou escrita" e eu concordo 100% Mas eu gosto que seja repetitivo, enjoa demais tantas repetições, MAS FUNCIONA! E os drills são mesmo muito chatos, mas valem a pena.

Eu não acho que esse método arrastado do CCAA seja "só pra tirar dinheiro do aluno". Também é, com certeza, mas eu já tive a oportunidade de estudar o método deles com mais "rapidez" e posso dizer que quando tudo era repetido, repetido, frisado, frisado, até eu enlouquecer, eu aprendia muito mais. Ou seja, também faz parte do método deles.

E realmente, eles só falam inglês. Perdi as contas de quantas vezes escutei "In English, please"! Hahaha.
Estudei por 2 anos no CCAA, e posso concordar com as qualidades que os colegas disseram ai em cima, o curso tem mts repetições, conversação e bastante exercícios.

Entretanto, tive mts dificuldades no curso, pois na época eu tinha 14 anos, e era muito tímido, o que dificultava a minha participação nas aulas. Tinha que repetir a lição ministrada em voz alta, o q era um sacrifício, isso acabou me desmotivando muito, é uma escola que não indico para pessoas que sofrem com esse problema.
Estudei no CCAA durante 7 anos e meio, de 2002 a 2009 (dos 11 aos 18 anos) e posso dizer-lhes que me adaptei muito bem ao método do CCAA. Sempre achei-o muito bom.

Porém é aquela coisa, aprende quem quer e estuda por contra própria também. Não tem jeito, nenhum curso de inglês te fará um falante fluente da língua. Ele te dá bases e alicerces para isso. Digamos que isso representa uns 50% da sua jornada. O resto é você por conta própria treinando e estudando em casa e nas ruas utilizando todas as formas que você tiver de treinar seu inglês: música, filmes, entrevistas e o MAIS importante: conversando com um falante nativo (hoje em dia é muito mais fácil com tantas ferramentas digitais) ou na pior das hipóteses com alguém que também fale inglês.

Todo bom professor de inglês será sincero contigo e dirá que além dos estudos em classe você também deve estudar e continuar treinando em casa. Com qualquer língua é assim e não apenas no caso da língua inglesa.

Voltando sobre o método: ele é o famoso método que correlaciona listening com practical conversation. Ou seja, haverá uma animação ou uma sitcom qualquer que a turma ouvirá três vezes e o professor irá pedir para cada integrante da turma repetir o que ouviu, se os alunos cometem erros ele automaticamente corrige-os na pronúncia ou nas próprias palavras.

O ponto chave do método é algo que considero de extrema importante para o caminho da fluência e aprendizagem num idioma, que é: pensar no próprio idioma e não manter o seu cérebro preocupado em traduzir as palavras para poder entende-las. Se a pessoa não consegue pensar no idioma que está aprendendo, ela terá enormes dificuldades na aprendizagem ou simplesmente não conseguirá. Eu mesmo tenho exemplos de amigos que fizeram CCAA comigo que foram assim mesmo o método fomentando 100% a prática do inglês na sala de aula (em nenhum momento há conversas em português).

Concluindo, não tenho nada de negativo para falar sobre o método do CCAA, pelo contrário achei-o muito bom e me ajudou muito no meu caminho até a minha fluência no inglês e mesmo que eles foquem apenas no inglês americano. Isso não é nenhum problema pois você se acostuma e tira de letra outros tipos de inglês por conta própria com a ajuda desse pontapé inicial que o CCAA te dá.

Eu mesmo hoje caso eu queira tanto posso falar em inglês britânico, quanto em inglês americano (posso escolher os sotaques hahaha), o mesmo vale para a compreensão que desde o início do curso fui pegando em ambas as "formas" de inglês.
Daqui a praticamente 1 ano, eu estarei completando o meu curso no CCAA, e eu estou muito satisfeito, era exatamente o que eu procurava como curso de inglês. A metodologia eu acho extremamente dinâmica, como disseram anteriormente, nos leva a pensar em inglês, e isso realmente funciona comigo. Quando estou nas aulas, quando estou fazendo lição em casa, penso apenas em inglês, sem contar que com 1 ano e meio de curso, pensar em inglês já era uma realidade para mim, hoje eu já até me acostumei, e muitas vezes tenho dificuldade em responder em português, porque o inglês "chega" mais rápido, rs. O CCAA é para quem gosta de estudar e de se dedicar bastante, as provas são MUITO difíceis, são enormes e você tem um tempo muito curto pra fazer, e não é o seu professor que corrige a sua prova e nem aplica a sua prova oral, e posso falar que 97% dos professores são extremamente criteriosos na correção, e não consideram uma vírgula errada. Posso dizer que saio do CCAA ano que vem, extremamente satisfeito com tudo que ele me ensinou, com um inglês muito bom, principalmente se comparado com o de alguns amigos meus de outros cursos e claro, CCAA me ensinou muita coisa para a vida, toda a pressão, toda a dedicação, ser prático porém atento nas provas da escola, fico feliz de meu pai ter acertado o curso quando em 2011, ele resolveu me colocar em um curso de inglês.
Estudei no CCAA por 5 anos. De fato, adorei a metodologia, porém pecam no quesito conversação. Geralmente, quando falamos em Inglês lá repetimos frases ou seguimos o fluxo da conversa proposta no texto/situação-base. Pouco espontâneo.
MENSAGEM PATROCINADA Há quanto tempo você estuda inglês? Já passou por sua cabeça que você pode estar estudando de uma forma que dá pouco ou quase nenhum resultado? Que tal fazer um intensivo de inglês de 180 dias e recuperar o tempo perdido? Em 6 meses você pode elevar o seu inglês a um novo patamar.

Clique aqui para conhecer o curso!
BrCerqueira escreveu:Estudei no CCAA por 5 anos. De fato, adorei a metodologia, porém pecam no quesito conversação. Geralmente, quando falamos em Inglês lá repetimos frases ou seguimos o fluxo da conversa proposta no texto/situação-base. Pouco espontâneo.



Eu fui dos melhores professores aos professores mais robóticos possíveis. E posso afirmar que isso varia de professor para professor. Alguns professores conseguem tornar a aula uma coisa espontânea e que foge do roteiro sempre, mas outros são extremamente ligados ao que se tem que fazer e não se importam com a aula ser divertida.