Especificidades da correção textual

Avatar do usuário Artful Dodger 4500 6 13 103
Caros English Experts,

Recentemente comecei a realizar a correção de textos em inglês que os usuários postam no fórum. Apesar de a maior parte do trabalho ser relacionada à adequação gramatical (verbos auxiliares, verbos modais, tempos verbais, concordância, regência e ortografia), existe a parte estilística do processo. Quando uma frase está gramaticalmente correta, mas soa estranha, há que se substituí-la por outra mais adequada. Entretanto, ao se fazer isso, frequentemente muda-se o estilo de escrita do autor.

Esse é o ponto que gostaria que discutíssemos: até que ponto deve ir a revisão textual? Deve se ater à pura correção ou chegar mesmo à modificação estilística? E você, que posta textos a serem corrigidos no fórum, o que acha?

Aguardo os comentários.

Cheers!

Mais Votada Mais Votada

Avatar do usuário Juliana Rios 18840 21 98 389
Concordo com você Telma. Ao corrigir (ou tentar corrigir) textos, procuro sempre mantê-lo tão fiel ao original quanto possível, focando-me primariamente em erros gramaticais. Evito o uso excessivo de paráfrases pois creio ser importante que o autor compreenda o erro na sua frase original, e que esta retenha sua estrutura básica. Ao me deparar com uma frase que não penso soar natural em inglês, ou que contém determinados vícios trazidos do português, contudo, procuro sugerir uma nova colocação. Ainda assim, tento restringir tais sugestões a casos extremos, ou que comprometem a fluidez/naturalidade do texto. Em resumo, acho importante ater-se sumariamente à correção gramatical, sugerindo colocações alternativas em casos mais extremos, sempre tentando, porém, manter-se o mais fiel possível ao texto original.
MENSAGEM PATROCINADA Você sabe como está o seu nível de inglês? Teste agora GRÁTIS em apenas alguns minutos.

Clique aqui para iniciar o Teste Online!
Avatar do usuário PPAULO 39165 6 32 684
Eu mesmo, às vezes tenho feito algumas correções de texto aqui, mas tomem isso como um modo de eu mesmo treinar o "writing".
Na verdade não pretendo mudar a idéia de quem vem colocando seus textos para correção, digo a idéia geral dos mesmos.
Por isso incentivo aos autores dos tais a reapresentá-los de forma que acharem mais próxima de seus estilos, com as tais modificações gramaticais e tal.
Na verdade, eu tento, e sempre tentarei sempre manter o texto fiel ao do autor, sabendo que "todo tradutor é um traidor". No sentido de que é praticamente impossível se saber exatamente o que vai na cabeça do aprendiz, bem como sua bagagem anterior, o conhecimento de uma cultura e da outra, o próprio nível de gramática portuguesa etc.
Claro que fazendo um trabalho meio que apressado, falhas acontecerão, algumas vezes eu vou longe demais! mea culpa, eu assumo.
Entretanto, a pessoa sempre pode revisar o texto e reenviá-lo, e a gente aqui do outro lado vai saber se ele prefere de um jeito ou de outro.
Considerem minhas incursões aqui como "sugestões", sendo que algumas são recomendações mais importantes que outras. Por exemplo, colocar "please/will you/could you" em uma frase para ser mais civil e educado (e por extensão, não gerar "resistência" com quem fale inglês.)
Algumas vezes também, em outros Fóruns (finado BBC) era comum as pessoas pedirem para que se fizessem correções e se checasse se não estava "natural". Acontece sim, muitas vezes, uma expressão tipo "o gato tem sete vida" em inglês as pessoas dizerem/escreverem "seven lives" quando o natural seria "nine lives" e por aí vai.
Daí, segue-se que, no meu caso acho que sempre que possível é melhor se ater à forma e estilo do trabalho apresentado, aproveitando o máximo do que o autor quiz expressar ou expressou. Espero que aqueles que tiveram alguma correção feita por mim, pensem que foi à título de sugestão, por isso muitas das vezes coloco junto o porquê de uma possível modificação ou outra. Assim, eles veem as coisas por outro lado, e talvez até aprendam com isso um ponto ou outro, quem sabe? Contudo, eu os incentivo a ter espírito crítico, não achar que estou sempre certo. Afinal eu estou no mesmo barco deles.
Avatar do usuário Telma Regina 22725 9 58 570
Concordo com você Artful Dodger. Temos que lembrar que o grande desafio é como traduzir o texto para o inglês sendo o mais fiel possível ao texto em português. A estrutura das frases, como sabemos, é muito diferente. Observamos que há uma interferência muito grande do português nas construções das frases, interferência essa que se torna negativa para o aprendizado. Há textos que precisam de muitas mudanças e outros de pequenas correções e que poderiam ser escritos de outra forma mas que estão corretos na linguagem simples do autor.
Na minha opinião, temos que tentar orientar o melhor possível para que o autor sempre procure melhorar. Já percebi que alguns cometem certos erros repetidamente, erros que já se tornaram "vícios".
Temos que procurar orientar todos a pensarem mais em inglês e esse é o nosso desafio.
Há algum choque com coesão e coerência neste assunto? Ou puramente estilo literario, for example, linguagem tecnica, poema, narração. Não peguei ainda o feeling da questão.
Avatar do usuário Artful Dodger 4500 6 13 103
Concordo com o que li aqui, no que concerne a tentar evitar a modificação desnecessária das palavras do autor. Afinal, cada indivíduo possui um vocabulário próprio, um estilo de escrita bastante particular.

Entretanto, às vezes chegam pedidos de correção de textos direcionados a exames como o TOEFL e o TOEIC. Para estes, as questões tornam-se mais complexas, uma vez que neste tipo de teste são avaliados aspectos que vão além da pura correção gramatical: o estilo de escrita, a fluidez, os acertos na escolha lexical, a coerência, a coesão e a habilidade argumentativa.

Assim, especificamente para estes textos e a pedido do autor, eu me dou maiores liberdades criativas, sugerindo diferentes construções, alterando a ordem dos parágrafos, substituindo palavras repetidas por sinônimos, utilizando a voz passiva e a nominalização do discurso. Mas fica a cargo do usuário do fórum acatar ou ignorar essas sugestões.

Gostaria de ressaltar que tem sido um aprendizado muito rico este trabalho de correção e agradecer aos colegas da comunidade pelas opiniões construtivas e fundamentadas.

Cheers!
Very good, I had no knowing about it. I'd like from now on submitting my texts and know where I'm going wrong. Please let me know how I may do that by using the forum.
Avatar do usuário Juliana Rios 18840 21 98 389
Concordo com o que li aqui, no que concerne a tentar evitar a modificação desnecessária das palavras do autor. Afinal, cada indivíduo possui um vocabulário próprio, um estilo de escrita bastante particular.


Concordo.

Entretanto, às vezes chegam pedidos de correção de textos direcionados a exames como o TOEFL e o TOEIC. Para estes, as questões tornam-se mais complexas, uma vez que neste tipo de teste são avaliados aspectos que vão além da pura correção gramatical: o estilo de escrita, a fluidez, os acertos na escolha lexical, a coerência, a coesão e a habilidade argumentativa.


Concordo ainda mais.

Acho que você acertou na mosca, Dodger. A prerrogativa de tomar menores ou maiores liberdades criativas com o texto irá depender do tipo de redação, e a que fim ela se destina. De nada adianta focar a correção de textos direcionados a exames de proficiência exclusivamente sobre o aspecto gramatical quando este é apenas um dos muitos critérios utilizados em sua avaliação. Acho importante, neste caso, sugerir estruturas e termos alternativos, capazes de enriquecer o texto (incluindo, quando cabível, a ressalva de que a estrutura original não estava errada, mas que há melhores maneiras de fraseá-la). Por outro lado, penso que textos de iniciantes ou de caráter mais "pessoal" devem ter o foco mais direcionado à gramática, e a alguns pontos semânticos mais críticos, até mesmo para não "confundir" o autor ("porque a minha frase está errada? Posso escrever de tal maneira também?" etc.)
Avatar do usuário PPAULO 39165 6 32 684
Não Tiago, não há choque.
Quando falamos de estilo é se há discrepância entre o que o autor de um texto quer dizer e o que ele realmente diz, este é um ponto. Outro é, de onde vem essas palavras e expressões que ele está usando, isto é, como ele vai/pode dizer e o contexto em que isso se insere.

Isto porque quando se está aprendendo uma língua o aluno/aprendiz terá, forçosamente, terá que "imitar" alguém, talvez o professor, um livro, um autor, um jornalista, o até um de nós aqui, um colega CDF (fera) na escola etc.
Por exemplo, quem lê Grisham vai ter um certo ajuste de vocabulário ao do Grisham, quem lê um livro de Galbraith poderá incorporar certas palavras dele ("nothwishtanding" para ilustrar aqui). E quando for colocá-las em uso, talvez haja problemas de gramática, contexto etc.

Por que o aprender inglês pode ser com várias finalidades, fica a questão: para usar na Disney? para um exame tipo TOEIC/TOEFL, para ler uma obra de ficção (novel), para uso técnico/acadêmico? para assistir um filme/ouvir uma música ou acompanhar? para usar no trabalho quando vier uma equipe de outro país? e por aí vai.

Como já foi apontado aqui, não se trata de ser poesia, romance, prosa...mas de o autor do não apenas transferindo a gramática e a lógica da língua-mãe). Mas vemos sim, se ele está com o texto apropriado para o que se propõe (narração, texto informal etc).
Levando em conta algumas variáveis: escrita técnica (ou muito formal), informalidade excessiva ou usada em textos para exames, uso de palavras que caíram em desuso (old-fashioned or cliché), inconsistência entre o que se diz num parágrafo e outro, ou ainda se existe uma forma melhor de se dizer algo.
Ou uma forma melhor do leitor, que fala inglês entender melhor, ou até uma forma mais concisa. Tendo em vista que são duas culturas diferentes.
De certa forma, estamos checando se ele está "imitando" bem, se aprendeu aquilo que lhe ensinado, mas tentando não mudar o texto para ser o "nosso texto", deixando o autor confuso. De certa forma quem elabora um texto já tem algum conhecimento a mais. Até que ele tenha/escolha um estilo próprio.

Alguém pode elaborar um texto sem nenhum erro gramatical e o mesmo precisar de algum tipo de revisão, só para ilustrar isso, veja:

https://www.boundless.com/writing/style ... concisely/


Original: According to optimal quality-control practices in manufacturing any product, it is important that every component part that is constituent of the product be examined and checked individually after being received from its supplier or other source but before the final, finished product is assembled. (45 words)

Revised: Effective quality control requires that every component be checked individually before the final product is assembled. (16 words)


Original: Over the most recent monthly period, there has been a large increase in the number of complaints that customers have made about service that has been slow. (27 words)
Revised: Last month, many more customers complained about slow service. (9 words)


Qual dessas versões você gostou mais?


Ou deixar a mensagem mais apropriada ao contexto. Acredite, isso faz uma diferença!
http://rliberni.wordpress.com/2009/08/2 ... e-context/


Então, o que a gente quer é mostrar que há outras formas de se expressar, sem mudar o sentido do que o autor quer dizer, aproveitando o máximo do que ele já sabe. É isso.
--------------
Eugenio, se for texto é só postar aqui em correção de texto.
Lembrando que o pessoal lê e faz sugestões voluntariamente, e de acordo com a disponibilidade (de tempo etc). Um texto aqui pode ser lido/revisado na mesma hora ou levar semanas até. Até porque é necessário pensar com calma e fazer as coisas da melhor maneira possível.
E, no meu caso, sou só um estudante de inglês, não profissional do ramo.
Então o pessoal que por acaso pensar nos voluntários EE para o dever de casa é melhor não depositar inteira confiança, assim não terá a probabilidade de se dar mal.
Entretanto, o pessoal aqui faz o melhor que pode, tenha certeza. E seja bem vindo, bons estudos.
MENSAGEM PATROCINADA Há quanto tempo você estuda inglês? Já passou por sua cabeça que você pode estar estudando de uma forma que dá pouco ou quase nenhum resultado? Que tal fazer um intensivo de inglês de 180 dias e recuperar o tempo perdido? Em 6 meses você pode elevar o seu inglês a um novo patamar.

Clique aqui para conhecer o curso!