Quero aprender. Se vira nos 30.

Nao sou professor. Sou um amante da lingua. Acompanhem meu raciocinio, qualquer ideia a favor ou oposta é so dizer e qualquer coisa explico:

Primeiro: esqueçam todos as informaçoes que voces tem sobre o idioma. ( isto vai ajudar a entender o que irei dizer )
Segundo: Voce quer aprender ingles para vestibular ou aprender realmente? E se por acaso acha a pergunta estranha ou a mesma coisa eu digo o seguinte.
Aprender para vestibular, nao precisa de pronuncia. É decoreba e entender o que a frase quer dizer. Nao é preciso gravar muitas palavras. Saiba gramatica. Saiba do que é preciso saber. Nao queira aprender de mais. Nao preocupe. Nem ligue para traduçoes mentais, passar do ingles para o portugues.
Agora aprender realmente, aprenda ingles como voce aprendeu o portugues. Cuidado se esta aprendendo sozinho. Voce pode cair na lama e nem saber. E sofrera consequencias disso depois.
Terceiro: Apenas aprenda a nova lingua. É aprender. Aprenda a escrever e a falar bem. É só. Esqueça a ideia de falsos cognatos; querer uma expressao do portugues para o ingles; etc... . Aprenda a escrever e falar bem.
Quarto: no portugues para escrever bem voce deve ler livros por exemplo, e saber da gramatica. Ja na fala nao é preciso ter a gramatica em capa palavra dita, é preciso de saber falar, apenas precisa de fluencia. O que acabo de escrever nao serve para o ingles? sera que nao?
Quinto: voce esta no esterior - crie recursos para dialogar e para qual sentido for o dialogo: carregue foto; imagem de tal destino ( local ) ; mapa; rascunho de mapa com as paradas principais; existem aparelhos tecnologicos e que permitem se conectar com a internet. Com este aparelho voce pode recordar como dizer algo. Mostrar para a pessoa que voce pediu informaçao, frases digitadas para que ela atenda o que deseja, caso tenha dificuldade em se comunicar. E voce pode ter todos esses materiais dentro do aparelho. Nao preocupe se alguem nao vai te ajudar caso voce se perca ou precisa de ajuda no exterior. Lembre-se quando voce vai pagar por um serviço as pessoas terao toda paciencia do mundo para atende-lo. Saiba acionar essas pessoas dos servisos que elas ocupam. Voce inclue sua duvida no meio do bla bla bla, e ambos saem bem nisso.
Avatar do usuário Flavia.lm 3835 1 9 85
Olá Tiago

Também não sou professora, e também sou apaixonada pela língua.
Respeito e entendo sua opinião e raciocínio, apenas tenho um ponto de vista diferente.

Somos brasileiros, e, ainda que se haja a necessidade de aprender/aprimorar a língua inglesa, nossa língua pátria ainda é prioridade. Não associar uma língua à outra é praticamente impossível, isso porque o português contemporâneo tem influência do inglês, e o inglês tem muita herança do latim também. Por isso, considero que estudar falsos cognatos é estremamente importante.

Estudar gramática em inglês também é importante. Através dela muita coisa da estrutura da língua passa a fazer muito mais sentido, e conseqüentemente a comunicação fica mais rica. Não estou falando de decorar regras, mas sim de entender a lógica e o uso das mesmas.

regards.
MENSAGEM PATROCINADA Você sabe como está o seu nível de inglês? Teste agora GRÁTIS em apenas alguns minutos.

Clique aqui para iniciar o Teste Online!
Obrigado Flavia pelas palavras.

Só vi uma certa incompreensao no meu dizer. Eu nao disse que nao se deve estudar falsos cognatos. A designaçao de falsos cognatos é que nao tem importancia.
Pois quando aprende um idioma isso nao faz diferença alguma. Olha, existe em nossa lingua uma forma para dizer da ciencia, da geografia, da matematica. Sendo que pode dizer a mesma coisa com palavras simples. Sou a favor da simplicidade.

Desculpe, mas eu nao vi sua opiniao oposta a minha. Ate a sua ultima frase que fala de regras, gramatica, está no que eu disse.

Abraços.
Avatar do usuário Flavia.lm 3835 1 9 85
Olá Tiago
Talvez eu não tenha entendido direito sua primeira mensagem. De qualquer forma, não era minha intenção discordar de nada mesmo, apenas acrescentar meu ponto de vista.
Que bom que pensamos da mesma forma, então.
Avatar do usuário Logan18 20
Tiago, vivemos em um mundo globalizado onde ninguém existem pessoas que não tem tempo pra ler um e-mail cara...
1º Isso quase ímpossível de se fazer, a associação é a alma do negócio, isso que faz você lembrar das coisas, é assim que aprendemos o próprio português.

2º Concordo com você nesse ponto.

3º Não tem como aprender a escrever sem de alguma forma estudar gramática ou ter estudado gramática.

4º ponto:Temos que estudar a gramática sim, para entendermos as construções das frases e sabermos aplicá-las no dia-a-dia, normalmente os que não estudam a gramática falam dessa forma : FRAmengo, FRuminense...

Então quanto ao 5º ponto que você apontou, você sinceramente acha que alguém vai querer te dar informações, esperar você carregar a imagem no celular ou mostrar a ela o que é que você quer dizer?

Bem o seu método de estudos pode dar certo para você e para outras pessoas mas eu acho que esse método se vira nos 30 cairia bem comigo. O que você acha que aconteceria com você numa entrevista de trabalho o entrevistador visse sua fluência com o idioma e te contratasse, e logo após o seu primeiro e-mail ele constatasse que estava mal escrito e com muitos erros de gramática... Fluência para mim não é tudo se você não sabe a gramática.
Logan18,

No seu numero:
1°- voce reafirmou o que eu disse sobre a forma de aprender o idioma. E quando eu digo esquecer tudo o que ja ouviram. Nada mais é do que, ler algo como se fosse novo. Isso ajuda a quebrar barreiras seja quais forem.
3° - Eu nao disse que nao se deve aprender gramatica. Está claro que eu concordo com isso onde eu escrevi na terceira dica: aprenda´a ler e escrever bem.
Quando voce fala do meu 5°ponto. Eu nao disse que alguem teria paciencia. So mostrei meios para voce chegar num destino em que deseja. Ex: voce pega um taxi, voce mostra uma foto de onde desja ir e fale algo e pronto. O taxista vai te levar la. É claro que voce na hora de mostra a imagem, voce ja estará com ela seja como, de imediato.

E sobre suas ultimas palavras. Volta na gramatica quando diz sobre o escrever errado. Eu nao sou contra a gramatica e nao disse nada contra e ja escrevi a cima a respeito.

O que estou dizendo nas minhas dicas, num resumo seria: simplicidade. Ser simples. Só. Nao veja o idioma como um bicho de sete cabeças.
Porem, está ocorrendo desentendimento na minha forma de expressar, dizer. O que para outros, nao ocorreria. Existem varias formas de se dizer a mesma coisa.
Ate agora nao existiu uma palavra que voce contrariou o meu texto. Que na verdade nem é meu. Apenas reproduzi.

Abraços.
Uma coisa caro amigos do forum.

Quem deseja realmente saber de algo, nao tera falta de paciencia em ler estes textos longos ou quais textos forem nao so no idioma em que deseja aprender como em qualquer outra coisa.

Abraços.
Avatar do usuário Marcio_Farias 12280 1 21 206
Tiago escreveu:[...] Aprender para vestibular, nao precisa de pronuncia. É decoreba e entender o que a frase quer dizer. Nao é preciso gravar muitas palavras.[...]

What my elder care taker's English teacher does, according to my elder care taker's opinion. My elder care taker, a night public high school student, has complained about her English teacher in not precisely the same words I complain about not studying at night at all. In another post I stated her English teacher quietly slaps the words on the blackboards with no previous explanation as to pronunciation. In this post I state students won't keep up with class if they start taking English and their English teachers both for granted. Do their English teachers care? Do students care? Those who struggle to learn to pronounce words surely go one step beyond simple slapping words onto their heavily scribbled notebooks; those who don't just want to have fun. As my co-worker's students do.

At my co-worker's classroom, students willing to go to the toilet room simply and matter-of-factly ask him, "Mr. teacher, I want to go take a dump/pee!" Sometimes during altecations, students will up and complain to him, "Mr. teacher, Fulano wants to him me! Won't you please stop him?" Other lesser complaints deal with, "Mr. teacher, Cicrano gave a thunderous f*rt! It stinks! (Please remove him/her from class!)"

Now, I have this question, "Do public school students and teachers really care about English?"
Marcio,
Vou começar a escrever sobre a ultima frase, que na verdade é uma pergunta.

Eu tenho essa mesma pergunta. E pelo que li no que voce escreveu em ingles, acho que pode resumir numa so frase: A insuficiencia do ensino de ingles.

Claro que o assunto possa ter uma profundidade que vai ate mesmo alem de mim, do que eu posso oferecer sobre este idioma e o mesmo se aplica para qualquer outro idioma.

Como este Blog ajuda as pessoas a verem, a enxergarem a realidade que existe no "ensino de ingles". Onde pessoas acham que estao aprendendo mas nao estao. Eu fiz um rascunho de quatro blogs que gira em torno de uma so coisa: aprender ingles ( de verdade ). Isso ja fica obvio que as palavras nao sao minhas. Sao informaçoes que ja existem relatadas com minhas proprias palavras. E no final do que escrevi no "Quero aprender. Se vira nos 30", sao umas ideias e que dao certo. Tive uma oportunidade de ficar frente a frente com um casal americano, e nao falava nada em portugues, ou muito pouco. Com um dicionario na mao, eles mostravam o que queriam e se davam bem assim. É claro que o casal nao estava solto no Brasil, tinha uma pessoa que entendia a nossa lingua. Mas quando andavam a sos, um dicionario, um folheto ajudavam bem eles.

E para terminar, quem nao gosta de ingles e quer sobresair bem no vestibular, será que precisa de pronuncia?
MENSAGEM PATROCINADA Há quanto tempo você estuda inglês? Já passou por sua cabeça que você pode estar estudando de uma forma que dá pouco ou quase nenhum resultado? Que tal fazer um intensivo de inglês de 180 dias e recuperar o tempo perdido? Em 6 meses você pode elevar o seu inglês a um novo patamar.

Clique aqui para conhecer o curso!
Tiago, muito legal o seu ponto de vista sobre a língua inglesa. Realmente esse texto para alguém que está iniciando já seria um bom motivo para não desistir na primeira aula do Simple Presente quando a confusão do auxiliar "do/does" vem à tona.. ;D

Na minha opinião, a diferença marcante entre uma pessoa que realmente ama inglês e outra que simplesmente gosta de inglês é o uso dessa segunda língua em um futuro próximo, assim como as possíveis "portas" que poderão ser abertas com o seu uso. Veja bem, porque um adolescente vai querer aprender árabe? (Não tenho nada contra a língua Árabe e também não podemos generalizar pois cada um tem sua própria vida e escolhe seus próprios caminhos) porém, qual será o objetivo de um adolescente em aprender árabe se praticamente não há oportunidades de aplicação de tal língua principalmente no quesito "comunicação" aqui no Brasil? Ou seja, muitos estudantes, até mesmo de pós-graduação não sabem a razão pela qual estão cursando inglês, ao passo que outros já projetam uma visão do futuro e pensam já na utilização de tal língua, essa é a principal diferença. É tudo uma questão de foco.

Muitas pessoas "querem" aprender inglês, já outras "aprendem" inglês e vão continuar aprendendo eternamente. A grande diferença quando um auto-didata, por exemplo, encara o mercado de trabalho é a questão do "papel". Quando me refiro a papel, me refiro a diplomas, certificados e etc.. Infelizmente as empresas da atualidade querem e exigem diplomas e certificados, desse modo, pessoas menos qualificadas ocupam vagas e postos superiores somente porque possuem "esse" ou "aquele" diploma mas que, na verdade, não tem nem 10% do conhecimento de um auto-didata dedicado e aplicado aos seus próprios ensinamentos.

Tenho 18 anos e estudo em dois cursos de inglês porque realmente gosto dessa língua. Porém, eu poderia muito bem estudar por conta própria e talvez até se sair melhor estudando dessa maneira. Mas como já citei acima, tudo é baseado no papel.

Gostei das suas palavras, talvez o que eu tenha dito aqui não tenha sido tão claro com relação ao tópico que você criou, mas pelo menos uma visão mais geral da "situação do inglês" no Brasil e o respectivo uso dessa língua pelo supostos "amantes" da língua já foi um pouco esclarecida.

Ass: João Victor Ribeiro Galvino
"The world of english is a fun and exciting place to be!!"